10 habilidades incríveis dos gatos

Habilidades dos gatos

Agilidade, equilíbrio, possibilidade de enxergar ainda que com escassez de luz, um ouvido que pode perceber altas frequências e até a capacidade de “saborear os cheiros”, são só algumas das habilidades incríveis dos gatos.

Estes magníficos felinos domésticos não deixam de nos surpreender e, quanto mais os conhecemos, mais aprendemos a amá-los e respeitá-los.

Conheça algumas habilidades incríveis dos gatos

1. Grande agilidade

A estrutura óssea do gato lhe confere flexibilidade e elasticidade. E sua poderosa musculatura, a habilidade para o salto.

Os bichanos têm, em geral, 240 ossos, 34 a mais que os humanos. Sendo assim, os discos entre as vértebras são de uma espessura maior que os das pessoas.

Podem saltar a uma distância equivalente entre 5 e 6 vezes a longitude de seu corpo e, graças às almofadinhas que possuem nas patas, conseguem se deslocar de maneira silenciosa.

E eles fazem tudo isso com muita elegância e precisão.

2. Equilíbrio extremo

Gatos

O ouvido interno dos gatos tem canais recheados de líquido e que estão cobertos de pequenos pelos que lhe permitem controlar o equilíbrio, agindo de maneira sincronizada com a informação que recebem através da visão e com sua poderosa musculatura.

3. Ver na semiobscuridade

Ainda que a história de que os gatos podem ver na escuridão total seja um mito, eles são animais que têm o sentido da visão muito desenvolvido.

Humanos e felinos contam com o mesmo tipo de células de visão, mas distribuídas de forma diferente. Nos olhos dos felinos predominam as que captam mais luminosidade e não são tão sensíveis à cor.

Por esse motivo, em situações de penumbra e semiobscuridade, eles enxergam entre 6 e 8 vezes mais do que as pessoas. A necessidade de caçar de noite fez com que os olhos destes animais se adaptassem a estas condições.

Também:

  • Têm um campo de visão de 200 graus (o dos humanos é de 180).
  • A visão periférica é de 30 graus em cada lado (o das pessoas atinge os 20).
  • Não podem focar em algo que esteja a menos de 30 centímetros. Por isso eles têm os bigodes.

4. Bigodes como sensores

Através dos bigodes e outros pelos situados acima dos olhos e embaixo do queixo, e que atuam como sensores, estes felinos podem captar até o menor movimento e detectar objetos que estão perto de seu corpo.

Estes pelos estão repletos de nervos e lhes possibilitam perambular pelas noites sem inconvenientes e se moverem em espaços estreitos.

5. Olfato extraordinário

Os gatos também têm maior quantidade de células olfativas que os humanos. E cheiram tudo o que os rodeia.

Seu grande olfato lhes assegura detectar sem inconvenientes:

  • Uma possível presa;
  • Uma fêmea no cio;
  • O território de outro gato;
  • Alimentos em decomposição (e assim evitá-los);
  • Um predador à espreita.

6. Paladar seletivo

O sentido do paladar nos gatos é muito especial. Por isso é difícil tentar dar a eles algum remédio misturado com a comida.

Mas também possuem um órgão adicional, conhecido como órgão vomeronasal ou de Jacobson, que está localizado na parte interior e superior da boca e que permite aos gatos algo que poderíamos definir como “saborear os cheiros”.

7. Perceber ultrassons

O ouvido destes felinos é sensível a altas frequências. Conseguem perceber ultrassons de até 50 000 Hz. Os humanos só podemos ouvir até 20 000 Hz.

8. Língua de escova

Gato se lambendo

A língua dos bichanos é áspera e funciona como uma pequena escova que elimina todas as partículas que se encontram em sua pelagem.

Assim, junto com a saliva, a língua destes animais é a responsável por eles estarem sempre limpos, apesar de não serem muito amigos da água.

9. Orelhas móveis

Os gatos têm a capacidade de girar suas orelhas na direção de onde se origina algum som. Assim conseguem detectar com mais facilidade uma presa.

10. Sensibilidade aos estados de ânimo de seus donos

Entre as habilidades incríveis dos gatos está também a de detectar o estado de ânimo de seu dono.

Alegria, tristeza, nervosismo, depressão. Nada escapa à fina sensibilidade destas maravilhosas criaturas.

Por isso eles costumam se tornar parceiros inseparáveis em situações de doença ou de convalescência de algum membro humano da família.