3 coisas que você aprende quando adota um gato

quando adota um gato

A decisão está tomada e um bichano vai ser parte da família. Bem-vindo seja. Mas, além das recomendações de que você tem que ser um dono responsável, já que passará a tomar conta de um ser vivo e não de um objeto descartável, contaremos algumas das coisas que você pode aprender quando adota um gato.

A responsabilidade de adotar um bichano

Por mais fama de independentes que tenham estes animais, não significa que eles se cuidem sozinhos. Isso é a primeira coisa que você deve saber quando adota um gato. Se não tiver tempo ou os recursos necessários para se tornar responsável pelo bichano, o mais recomendável é que você adie a decisão de adotá-lo, até que as suas condições estejam melhores.

Mas se a incorporação do bichano à sua casa já é um fato, lembre-se de que:

filhote-gato

  • Você deverá fornecer uma alimentação adequada à idade, tamanho e condições físicas do bichano, e lhe prover sempre água fresca.
  • Tem que lhe proporcionar: um espaço confortável e limpo para seu descanso, lugares para que se esconda e se sinta seguro (caixas, por exemplo), brinquedos apropriados e arranhadores para suas unhas.
  • Terá que vaciná-lo e desparasitá-lo conforme indique o veterinário. Lembre-se de informar ao profissional se seu gatinho tem acesso ao exterior. E tenha em mente a questão da esterilização.
  • A brincadeira e os mimos são fundamentais para que o bichano esteja sempre saudável e feliz. Se você passar muito tempo fora, considere a possibilidade de adotar outro gatinho.
  • Se no lar há crianças, explique a elas como devem tratar os animais. E, como em todos os casos, não os deixe sozinhos com um animal de estimação.

Adotar um gato é, sem dúvida, uma boa decisão, sempre que você puder se tornar responsável pelo animal. Além disso, pode aprender muitas coisas convivendo com um bichano. Aqui lhe contaremos algumas delas.

Coisas que irá aprender quando adota um gato

Feitas estas elucidações, e com o peludo miador já adaptado a seu novo lar, passaremos às coisas que você vai aprendendo da experiência maravilhosa de conviver com um gato.

1-Um gato não é um cão que mia

Embora os bichanos se adaptem a viver em grupos, não são animais de grupo, como os cães. Portanto, não espere que ele reconheça você como a autoridade, nem que ande pela vida suplicando sua atenção. Mas, como são muito inteligentes, a convivência com eles é mais do que possível. Também, respeite seus tempos e suas vontades. Ele fará você saber se quer brincar. Ou se é o momento adequado para os mimos.

2-O que faz seu amigo felino quando te considera sua propriedade e confia em você

Se seu gato roçar sua cabeça sobre diferentes objetos é porque ele está deixando suas marcas de cheiro e delimitando seu território. Se o bichinho fizer o mesmo com você, sobretudo esfregando sua cabeça contra suas pernas, é porque também está assinalando que você é parte de seu território.

Por outro lado, se seu amigo felino se jogar de barriga para cima na sua frente, ele está pedindo que acaricie sua barriga peluda, satisfaça sua vontade. Isso também significa que ele confia plenamente em você. E se ele decidir te “limpar” -como faz com seus congêneres-, lambendo suas mãos, pelos, etc., parabéns. O bichano considera, clara e sinceramente, que você é um dos seus.

3-Conviver com bichanos melhora sua saúde e te faz mais feliz

adotar-gato

Os gatos são naturalmente antiestresse. Embora você possa ter tido um dia pesado, acariciar o seu bichano ou brincar por algum tempo com ele vai acabar com o seu mau humor e acalmará sua angústia e ansiedade. Faça o teste.

Diferentes estudos afirmaram que as pessoas que convivem com gatos são mais saudáveis e felizes. O ronronar dos felinos, além de ter um efeito calmante, regula a pressão arterial dos humanos.

Então você deve saber que, quando adota um gato, além de dizer adeus à depressão e à solidão, está também diminuindo os riscos de doenças cardiovasculares e aumentando sua expectativa de vida. Portanto, ame e cuide muito do seu bichano.