3 conselhos para que seu cão não destrua a casa em sua ausência

cão não destrua

Seu peludo já não é um filhote, mas ainda assim se dedica a destruir tudo o que encontra em seu caminho quando fica sozinho? Passaremos alguns conselhos para você conseguir fazer com que seu cão não destrua a casa em sua ausência.

Motivos que levam os cães a destruírem as coisas quando estão sozinhos

brinquedos-para-caes

É um fato que os cães não gostam muito de ficar sozinhos. São animais de grupo. Mas também é certo que os membros humanos da família têm, em geral, obrigações a cumprir diariamente fora do lar.

Mas por que motivo os cães reagem desta maneira? Em geral, é porque estão entediados e não se exercitam o suficiente. Mas também podem estar estressados ou ansiosos por causa da sua ausência.

Então, como fazer com que o seu animal de estimação não morda, coma ou diretamente despedace tudo sem se importar que se trate do jornal do dia ou de um sapato novo?

Salvo casos extremos de ansiedade por separação, nos quais você certamente deverá consultar um especialista em comportamento animal, contaremos alguns conselhos que contribuirão para ajudar com que seu cão não destrua a casa quando está sozinho.

O tédio, a falta de exercício e a ansiedade costumam ser os principais motivos que levam os cães a destruírem a casa quando ficam sozinhos. Vamos falar sobre como evitar isso.

1. Passeios e brincadeiras antes de partir

Às vezes, o ritmo cotidiano de vida trabalha contra nós. Mas você já sabe, se tiver um animal de estimação, deverá ser responsável pelo seu cuidado. Portanto, tente gerar uma rotina diária que inclua um longo passeio com o seu peludo antes de você sair para cumprir com suas obrigações fora de casa.

O ideal seria que os dois aproveitassem para fazer um pouco de exercício. Ou que brinquem por um longo tempo com uma bola ou façam alguma outra atividade similar. Embora uma boa caminhada sempre será bem recebida.

Ele não pode passear sem você, ou sem algum outro habitante humano da moradia, mas talvez você possa pedir para algum familiar ou amigo para passear com ele. Ou, se sua situação financeira permitir, considere a possibilidade de contratar um bom passeador.

O objetivo é que seu amigo de quatro patas se canse e relaxe e que, em vez de se dedicar a estragar as coisas do lar, que ele durma e se esqueça, assim, de sua ausência.

2. Dê a ele muitos brinquedos

Quando o peludo despertar de sua soneca, a melhor opção é que ele encontre alguns objetos de seu agrado para se divertir.

Os brinquedos interativos costumam ser os que melhor cumprem essa função. Por exemplo, os que dispensam comida como prêmio.

Leve em conta que, embora alguns cães tenham o brinquedo preferido deles, outros preferem variar. Assim, dê atenção aos gostos do bichinho e ofereça-lhe alternativas, se necessário.

3. Educá-lo com regras claras e precisas

A educação de seu animal de estimação, como a de seus filhos, é fundamental para a boa convivência no lar. Assim eduque-o com paciência e carinho, mas evitando consentir com tudo. E trate-o sempre como o que ele é: um cão. Não se confunda e nem o confunda.

Dessa maneira, certamente conseguirá também que seu cão não destrua sua casa quando fica sozinho. Por isso:

  • Ensine-o a morder seus brinquedos e não outros objetos.
  • Estabeleça regras claras desde o primeiro momento. Se em alguma ocasião você lhe deu outros objetos para que brincasse (sapatos ou roupa velha), não se queixe se agora ele destrói versões novas desses elementos. Os cães não sabem diferenciar essas coisas.
  • Não mude as regras do jogo. “Não” deve ser sempre “não”. E isso deve ser aplicado conjuntamente com os outros membros da família. Porque de nada adianta você lhe dizer uma coisa e os seus filhos outra. O bichinho não saberá como se comportar corretamente se as ordens variarem.

Considere também esta opção para conseguir que seu cão não destrua a casa

dois-caes-se-deem-bem

Uma solução a longo prazo poderia ser também conseguir um companheiro de brincadeiras para o seu cão.

Introduzir um segundo animal de estimação no lar nem sempre é uma tarefa fácil e corre-se o risco de que demore bastante tempo antes que os peludos possam se dar bem.

Mas a não ser que haja diferenças irreconciliáveis, o mais provável é que, mais cedo que tarde, seu animal de estimação passe momentos geniais com o seu novo amigo e se esqueça de destruir sua casa quanto você está fora.