7 causas de problemas de comportamento em cães

problemas de comportamento em cães

Os problemas de comportamento em cães têm manifestações e motivos variados. Podem estar relacionados, entre outras coisas, com o medo, a ansiedade e o estresse. Mas quais são as principais causas que originam estes inconvenientes?

Dados sobre os problemas de comportamento em cães

Os cães podem apresentar diferentes transtornos de conduta que, além de complicarem sua saúde emocional, costuma os colocar em risco porque eles fogem, sofrem acidentes, se machucam ou brigam com outros peludos.

Também, em alguns casos, os chamados problemas de comportamento em cães são, na verdade, condutas normais da espécie, mas que costumam ser incomodas ou desagradáveis para os proprietários e que às vezes se tornam excessivas ou compulsivas, como a marcação territorial, morder e destroçar diferentes objetos ou cavar buracos no jardim.

 caes-cavam-a-terra

E tampouco podemos nos esquecer que algumas destas situações na verdade são de causas orgânicas, quer dizer, ocorrem devido a alguma doença que o peludo tenha.

Os problemas de comportamento em cães podem ter causas diversas. Conheça as principais.

Principais causas de condutas inadequadas em cães

A seguir lhe contaremos quais são as principais causas dos problemas de comportamento em cães.

1- Uma má socialização

Um peludo que não foi devidamente socializado costuma apresentar diferentes problemas de comportamento. Entre outras coisas, pode ser um cão medroso, que se sente intimidado ante a presença de outros animais, pessoas desconhecidas ou ruídos repentinos (trovões, explosões, fogos de artifício, etc.). E, um cão com medo, geralmente, responde de maneira agressiva ou tenta fugir da situação e se esconder.

O problema da socialização inadequada ou diretamente inexistente, tem sido agravado nos últimos anos devido a proliferação de criadouros ilegais onde os animais de estimação passam seus primeiros dias de vida em situações de cárcere, sem poderem explorar o entorno e, além disso, são separadas de suas mães de forma precoce.

2- Educação deficiente e humanização excessiva

Não colocar limites em seu peludo nem lhe ensinar regras básicas de convivência, claras e sem contradições, pode gerar confusão no bichinho sobre como agir.

Leve em conta que a primeira coisa a se fazer para educar o seu animal de estimação de forma correta é aprender a interpretar sua linguagem corporal.

Além disso, quando se começa a considerar o cão uma pessoa e não um cão, costumam surgir diferentes problemas de conduta e de saúde física (por utilizar remédios e produtos de beleza desenvolvidos para humanos, ou por vesti-lo com roupas e acessórios da moda, etc.).

3- Maltrato físico e verbal

O maltrato tem formas diversas. Se você castigar um cão batendo nele, o intimidar com gritos e gestos agressivos, ou se o mantiver trancado ou acorrentado, isso fará com que ele se torne um animal medroso que pode se tornar agressivo ou desenvolver ações que podem retroalimentar uma situação de maltrato. Por exemplo:

  • Que urine ou defeque em lugares inadequados.
  • Que destroce diferentes objetos da casa.
  • Que cave buracos no jardim e destrua as plantas.
  • Que desenvolva condutas estereotipadas (morda compulsivamente certas áreas de seu corpo, que persiga sombras ou cace insetos inexistentes, etc.).

4- Não receba a atenção necessária

Um cão que passa sozinho boa parte de seu dia e não recebe a devida atenção de seus donos, pode começar a manifestar diversos problemas de conduta, seja devido ao tédio, ao excesso de energia, para fazer notar que o estão deixando de lado ou porque ele sofre de ansiedade por separação.

Quando se escolhe conviver com um animal de estimação, deve ficar bem claro que se deve proporcionar a ele passeios, brincadeiras e exercícios físicos e mentais diariamente, além de uma boa dose de carinho explícito.

5- Situações inesperadas

Os peludos costumam se estressar também ante situações que alteram sua rotina. Por exemplo:

  • Mudanças.
  • Mortes ou nascimentos na família.
  • Incorporação de um novo animal de estimação à casa.
  • Presença de pessoas desconhecidas (pedreiros, pintores, etc.).

6- Doenças

Muitos problemas físicos podem tornar o animal agressivo de repente, até mesmo o mais pacífico dos cães. É o caso de animais que sofrem, entre outras doenças, de:

  • Otite
  • Displasia de quadril
  • Artrose degenerativa

Também algumas condutas que consideramos estranhas podem ter sua origem na epilepsia. Uma cistite também pode fazer com que o bichinho comece a urinar em qualquer lugar.

E, também, o cruzamento constante em busca de um bom negócio com a venda de animais de raça, muitas vezes provoca em alguns exemplares diferentes patologias.

cao-doente

7- Envelhecimento

Além disso, como costuma acontecer também aos humanos, à medida que os animais envelhecem, eles vão perdendo a paciência e podem se tornar mais agressivos ou resmungões ante diversas situações.

Mas também esta progressiva agressividade ou a aparição de comportamentos que podemos qualificar como “estranhos”, costumam ocorrer devido à presença de cataratas ou de uma deterioração cognitiva similar ao Alzheimer humano.