7 conselhos para lidar com a morte de seu animal de estimação

morte de seu animal

Desde o primeiro dia em que o nosso animal de estimação chega em nossa casa, ele passa a ser parte da família, um membro a mais. Todos aqueles que não têm animais de companhia não conseguem entender o amor que há em se ter essa coisa peluda que nos acompanha todos os dias de sua vida em nossa viagem pelo mundo, pela vida e pela sociedade. Por isso, lidar com a morte de seu animal de estimação não é nada fácil.

Ele se torna o nosso amigo mais fiel, o nosso confidente e nosso consolo. No entanto, como tudo na vida, toda felicidade tem um fim e a nossa amizade com o nosso companheiro peludo também. Não há nada mais difícil para um dono de pet do que ter que superar a morte de seu animal.

Alguns decidem adotar outro rapidamente, outros preferem não ter que passar por isso novamente, ou simplesmente não acreditam que podem amar outro animal de estimação como o antigo. Você já teve que superar a morte de um leal amigo peludo? Veja algumas dicas que preparamos para lhe ajudar a superar essa perda.

Como superar a morte de seu animal de estimação?

gato-pessoas-idosas

Quando um animal de estimação morre, mil e uma perguntas passam por nossas mentes e é vital respondê-las para superar a ausência de nosso amigo fiel e leal. Vamos ver algumas dessas perguntas e suas respostas.

1- O que sentirei?

O sentimento que a morte de seu animal de estimação pode causar varia:

  • Negação. Você vai ver o rostinho de seu animal de estimação em todo lugar, abrirá portas acreditando que ele ainda está lá e ainda não conseguindo acreditar que ele se foi. Fique tranquilo, o tempo apagará esse sentimento.
  • A culpa. Você vai acreditar que foi sua culpa, que você não cuidou dele direito. Se foi uma doença, você pensará que não a detectou a tempo. Não se condene, os animais morrem e da mesma forma isso acontecerá um dia com a gente.
  • Raiva. É possível que fique revoltado com o veterinário porque ele não salvou a vida de seu pet, ou porque algo aconteceu e lhe fez chegar atrasado à consulta. Não é culpa de ninguém, é provável que mesmo se qualquer uma dessas coisas não tivesse acontecido, que seu animal de estimação também tivesse morrido.

2- Essa dor é normal?

Sim. Como dissemos no início, um animal se torna parte da família, é como perder um membro dela. Talvez muitos não entendam, mas não sinta vergonha de sua dor e nem a esconda. Chorar é preciso para superar a perda…

3- Quem pode me confortar?

Alguém na sua família que você confie ou um amigo que também ame os animais. Talvez alguém que já tenha passado pela morte de um animal de estimação. Todos aqueles que podem entender seus sentimentos e que serão verdadeiros amparadores.

4- Se for uma eutanásia, devo estar junto?

Ter que “matar” seu animal de estimação para evitar o seu sofrimento pode ser ainda mais difícil do que perdê-lo em um acidente ou por velhice. Alguns acreditam que se deva estar presente no momento do adeus, segurando a pata de nosso animal de estimação até que ele morra, e que esse seja o último ato de amor e lealdade que podemos dar ao nosso animal.

Você poderá estar junto, ou não. A verdade é que cada pessoa é um mundo e vive de forma diferente o relacionamento com seu animal de estimação. Portanto, examinar e pensar claramente sobre como você reagirá se estiver presente, e como você se sentirá no futuro se a última imagem do seu amigo for a imagem dele morrendo. Se você não acredita que está preparado, é melhor não ir. Seu animal de estimação já sabe que você o ama.

5- O que devo fazer com os restos mortais dele?

Esta é uma pergunta que pode enchê-lo de preocupação. Há aqueles que decidem levar o corpo do animal e enterrá-lo no jardim ou em algum lugar. Existem veterinários que cremam e permanecem com seus restos mortais. Também existem empresas que fazem funeral para animais e que lhe devolvem as cinzas em uma urna, que você escolhe e que pode até ser personalizada e levada para casa. A decisão é sua.

6- Como explicar para meus filhos?

os-pets-e-as-crianças

Isso pode ser um assunto muito delicado. Dizem que com a verdade se vai mais longe e são muitos os adeptos desta ideia. Apenas acreditamos que a forma com que se explica a morte às crianças não deve ser a mesma que se utiliza para dar notícias desse tipo para um jovem ou adulto. Usar frases como “ele se foi” pode criar dúvidas nos pequenos e fazer com que eles continuem a esperar que o animal retorne.

7- Devo adotar outro animal de estimação?

Isso só você mesmo pode responder, mas o recomendável é deixar que se passe algum tempo até que todos superem a dor, então poderemos abrir o nosso lar, sem sofrimento e sem comparações com o antigo pet, para receber um novo animal de estimação.