De quanto em quanto tempo é preciso desparasitar o seu cachorro?

Quando vemos o nosso cachorro se coçando, pensamos em qual produto poderia cair bem para o caso de ser algum tipo de parasita externo. É óbvio que é preciso desparasitar.

É importante que sigamos um calendário para desparasitar e para manter a saúde de nosso animal de estimação.

Outro fator importante a ser considerado é que a saúde do seu cão é nossa própria saúde. Muitos desses parasitas podem ser adaptar para viver em organismos humanos. Por isso, cuidar de nosso amigo significa cuidar também de nossos próprios organismos.

Desparasitar os filhotes

cao-se-cocando

Os filhotinhos precisam ser desparasitados antes da aplicação da primeira vacina neles, quer dizer, entre os primeiros 20 e 30 dias de vida.

Quem melhor pode nos aconselhar sobre a forma de fazer a desparasitação do filhote é o veterinário. Se, no entanto, ele ainda mama leite materno, o especialista aconselhará algum xarope ou remédio em gotas, específicos para filhotes recém-nascidos.

Quando ocorrer a vacinação, o filhote tem que estar livre dos parasitas. É recomendável que ele tome as gotas ou o xarope da desparasitação pelo menos sete dias antes da vacina.

Ao completar os seis meses de vida, o ideal é contar com um calendário de desparasitação que se integre à vida do cachorro.

Por exemplo, se nosso animal de estimação vive no campo ou brinca diariamente com outros animais, é recomendável desparasitar uma vez por mês ou a cada dois meses.

Quando nosso cão passa muito tempo dentro de casa ou não tem contato em excesso com outros animais, a desparasitação pode ser feita uma vez a cada três ou quatro meses.

Desparasitação interna e externa

Além de poder se infestar de pulgas e carrapatos, os cães podem também ter parasitas que afetam o seu interior.

Tendo como origem muitas causas diferentes, como o hábito de farejar o chão, ingerir coisas infectadas, inclusive através do leite materno, os cachorros podem se contaminar com parasitas internos. Um exemplo desses parasitas são as lombrigas intestinais.

É fundamental que, a cada dois ou três meses, demos ao nosso animal de estimação os comprimidos antiparasitários ou as gotas e xaropes especiais para filhotes que recomenda o veterinário.

Métodos de desparasitação

Além dos conhecidos comprimidos para a desparasitação interna, existem outros sistemas diferentes no caso da desparasitação exterior.

  • As coleiras de desparasitação contêm princípios ativos capazes de eliminar pulgas, carrapatos e outros parasitas de nosso animal de estimação. Em função do modelo, podem durar de dois a oito meses. Passado o tempo, pode ser colocada outra no cachorro.
  • Pipetas ou ampolas. Elas contêm um liquido que se deposita na parte detrás do pescoço do nosso cachorro. Os efeitos se estendem a um mês, conforme a marca. Passado esse tempo, é possível repetir o tratamento. Para filhotes a partir dos dois meses de idade, existem pipetas especiais.
  • Borrifar nos nossos cachorros spray pode eliminar pulgas e carrapatos no momento, embora a sua efetividade apenas dure alguns dias. O tratamento pode ser repetido sempre que for necessário.
  • Shampoos. Mediante o uso do xampu antipulgas, lavaremos o nosso animal de estimação sempre que seja necessário, ainda que sua efetividade seja momentânea. O efeito do xampu costuma ser o de matar as pulgas e carrapatos que o animal carregue, mas não realiza uma função preventiva.

Os parasitas internos

Ainda que não observemos sintomas claros de que o nosso cachorro esteja infectado, na verdade, é possível que ele tenha diferentes tipos de parasitas intestinais que podem ocasionar danos nos seus intestinos, rins e no fígado.

Além disso, é preciso considerar que esses parasitas internos podem afetar as pessoas que convivem com o cachorro.

Inclusive, as pessoas que convivem em casa com o cachorro infectado podem ter lesões graves no olho ou sintomas como a encefalite. Sobretudo, entre os menores da casa.

Uma desparasitação correta

Para que a desparasitação seja um sucesso, é importante que o produto ou o princípio ativo antiparasitário seja efetivo tanto com as lombrigas adultas quanto com as larvas. Dessa forma, evitaremos que o ciclo do parasita possa ser reproduzido no futuro.

Alguns efeitos colaterais

cao-se-cocando2

Determinados cães podem chegar a experimentar efeitos colaterais negativos, acima de tudo, no caso de infecções severas.

Entre os efeitos colaterais mais frequentes provocados pela desparasitação está a diarreia e os vômitos.

Se acontecer uma overdose de medicamentos ou de produtos antiparasitários, é preciso levar rapidamente o animal ao veterinário.

Entre os sintomas de overdose podem estar a baba, a fraqueza, os tremores, o andar cambaleante, pressão da cabeça e a paralisia.