A Caturrita Argentina, uma ave muito escandalosa

O papagaio do Quaker, também conhecido como Caturrita Monge ou Caturrita Argentina (Myiopsitta monachus) é originário de América do Sul. São aves verdes, pequenas e muito barulhentas. Vivem em colônias e têm estruturas sociais complexas.

Têm uma capacidade incomum para usar galhos e ramos flexíveis para construírem grandes ninhos comunitários, no qual todos os membros da colônia podem se reproduzir.

Como resultado desta rica estrutura social, o papagaio do Quaker é um pássaro muito sociável, amável e cheio de energia, o que faz dele um maravilhoso animal de estimação.

Vamos conhecê-lo?

Características

Características do papagaio

– O papagaio do Quaker ou Caturrita Argentina é endêmico da Bolívia Central, sul do Brasil e estende-se até o meio da Argentina.

Este papagaio deve seu nome à plumagem facial de cor cinza, parecido com um antiquado traje Quaker.

– Este tipo de papagaio se caracteriza por ser a única espécie que constrói seu próprio ninho utilizando galhos e outros materiais vegetais.

Através de suas casinhas, relacionam-se com os vizinhos para formarem estruturas similares a “condomínios de aves”, com câmaras individuais e entradas de ninhos separados para cada família.

Estas estruturas de aninhamento podem ser do tamanho de um pequeno automóvel e podem chegar a pesar mais de 90 kg.

– A Caturrita Argentina pode viver de 25 a 30 anos. São parecidas com uma Cacatua, mas com um corpo mais volumoso. Medem entre 28 e 30 centímetros, incluindo sua longa cauda. Sua envergadura é de 48 a 53 centímetros e pesam entre 90 e 139 gramas.

– A plumagem superior é de cor verde. A cara, o pescoço, o peito e as patas são de cor cinza pálida. O peito tende a ser de cor marrom-acinzentado e cada pluma mais fina costuma ser de um cinza pálido.

A parte superior do abdômen é amarelo-oliva e o baixo ventre, nádegas, coxas e as coberturas superiores da cauda são de cor verde amarelada. As partes exteriores das plumas de voo são de cor azul.

O lado superior da cauda é de cor verde, com um centro abaixo na cor azul. A parte inferior é de cor verde pálido, com uma base de cor cinza-azulada.

– O bico é de cor marrom; os pés são de cor cinza e os olhos são de cor marrom escuro, com anéis -oculares cinzas (anéis perioftálmicos).

– Os machos e as fêmeas se parecem entre si. Os jovens se parecem com os adultos, mas a parte da frente que é cinza, eles têm em verde.

– A Caturrita Argentina se parece um pouco com os periquitos. No entanto, estes são mais pequenos e têm a cara e o peito na cor verde, assim como também têm uma parte amarela bastante evidente nas superfícies exteriores das asas.

– Este tipo de papagaio é originário, e geralmente comum, no nordeste da Argentina (nas províncias entre Ríos, Santa Fé Córdoba e Buenos Aires), na Bolívia, no sul do Brasil (Rio Grande do Sul), Paraguai e Uruguai. Historicamente, é uma espécie de bosques, mas adaptou-se bem às zonas urbanas.

Uma grande cantora

A Caturrita é uma grande cantora

Suas vozes compõem-se de estridentes grasnidos e gritos e, sobretudo, escuta-se quando voam ou se alimentam. Estes papagaios são muito sociais e costumam ser bastante ruidosos.

Nas zonas urbanas, em particular, podem ser considerados um grande incômodo, já que formam grandes bandadas ruidosas que podem ser ouvidas à grandes distâncias.

A Caturrita Argentina também pode irritar aos humanos com suas vozes. Por este motivo, não se recomenda como o animal de estimação ideal para aqueles que são sensíveis ao barulho.

Têm um grande talento para imitar a voz humana e outros sons que escutam em seu meio. Nesse sentido, podem ser bons companheiros para aqueles que se queixam da solidão e do silêncio.

Este tipo de papagaios, com frequência, se cria em colônias. Os ninhos são construídos com galhos e outros ramos e estão situados em árvores ou em estruturas feitas pelo homem, como torres de rádio, mastros de luz ou postes elétricos.

As fêmeas podem pôr uma média de 5 a 12 ovos brancos, que são incubados por ambos os pais durante aproximadamente 24 dias.

Uma vez que os filhotes nasçam, os pais costumam ter pássaros ajudantes que colaboram na alimentação das pequenas aves. No geral, essa tarefa recai sobre alguns descendentes já crescidos.