A doma clássica de cavalos, um espetáculo!

A doma é uma das disciplinas olímpicas de equitação. Dentro deste ambiente é uma das mais exigentes, mas tem como resultado belíssimos shows, que têm como eixo principal a força, a beleza e a habilidade do cavalo.

A “dressage” como também é conhecida a doma clássica, tem como objetivo exaltar a majestade do animal, o que evidencia o nível de relacionamento do jóquei com o cavalo, resultado de um árduo treinamento que se transforma em um dos mais belos e mais harmoniosos espetáculos do mundo, no que diz respeito aos cavalos no ambiente esportivo.

O que se tenta apresentar através da doma é um equilíbrio total entre o cavalo e o jóquei, o que requer a compreensão não só da força do cavalo, mas também de sua sensibilidade e delicadeza, para um nível profundo de colaboração com o seu treinador.

A ideia é fazer com que o cavalo pareça sereno como se ele se movesse sutilmente durante a apresentação, se deixando guiar de forma confiante pelo seu cavaleiro, ou fazendo as inclinações solicitadas, andando em linha reta, saltando ou fazendo curvas.

Uma das principais características deste esporte é a postura que deve ter a cabeça do cavalo, que permanecerá alta, com o pescoço ligeiramente arqueado.

O cavalo deve ficar atento aos comandos sutis dados pelo seu mestre, embora isto seja o produto de um treinamento metódico, que visa criar no cavalo confiança e equilíbrio.

As raças mais comumente usadas

Raças para a doma

Para este esporte, todas as raças são adequadas, porém bastante treinamento é exigido, especialmente no que diz respeito a reforçar as ligações do cavalo com o jóquei e melhorar a autoestima do animal.

No entanto, para as apresentações e shows são mais comuns as raças chamadas de “sangue quente”, porque elas têm um porte mais atlético e se adaptam melhor à formação rígida, sendo o favorito para isto o cavalo holandês de sangue quente.

Origens

Por mais curioso que isso possa parecer, esta disciplina tem sua origem no mundo militar.

Na antiga Grécia, os soldados dependiam muito da velocidade e da agilidade dos cavalos, tal como era importante que eles tivessem nervos de aço para enfrentar o campo de batalha contra os exércitos rivais, portanto, os cavalos eram submetidos a um rigoroso treinamento, tentando melhorar a cada vez uma das competências que lhes conferiam vantagem na batalha.

Na verdade, alguns dos movimentos que foram usados para o treinamento militar dos cavalos ainda são utilizados em nossos tempos, embora a nível de competição.

A doma clássica foi instituída como uma disciplina olímpica em 1912. No entanto, só era praticada por oficiais de cavalaria. Somente em 1952 abriu-se a possibilidade de participação para os civis, incluindo as mulheres.

Formação

Como já foi mencionado anteriormente, nesta disciplina, para se alcançar a perfeição leva-se muito tempo, além de demandar um reforço contínuo e um rigoroso cuidado com o animal.

O primeiro passo é introduzir o cavalo dentro dos parâmetros da equitação básica, uma vez que o animal tenha aprendido o suficiente, inicia-se a formação nas diferentes etapas, como no piaffe, que é um trote elevado que o cavalo faz sem sair do lugar em que se encontra.

Também lhe é ensinado como girar sobre si mesmo (pirueta) e dar uma caminhada lenta, mantendo os dois pés erguidos na diagonal (passagem).

Em seguida, continua a dar saltos de maior complexidade, como aqueles em que ele deve levantar as quatro patas do chão até a altura da barriga ou pular com as pernas dianteiras, enquanto as traseiras se estendem ligeiramente para trás (capriole).

Entretanto, o jóquei deve estar em perfeito equilíbrio, para gerar uma sensação de conforto no cavalo, o que lhe permite manter-se sereno, sem se confundir ou se recusar a seguir as instruções do cavaleiro.

Algumas regras

Algumas regras desse esporte

Este esporte é muito exigente, entre as suas reivindicações estão:

  • Cavalos com mais de seis anos de idade.
  • A pista deve ser macia (pelo cuidado com o casco e as patas do animal), tendo 60 metros de comprimento por 20 de largura.
  • Três jurados especialistas são os responsáveis por penalizar, considerando os erros na execução dos movimentos e tempo excedido.
  • É proibido o uso de chicotes e faixas nos animais.
  • Pode-se trançar ou prender a crina e a cauda do cavalo.
  • Os jóqueis devem ser fazer diferentes execuções na escalada de dificuldades, enviada com antecedência para os juízes.