A história de um cão-guia que cuida de uma Gran Danés cega

Em 2011, a imagem de um cão-guia que cuidava de uma Gran Danés cega tocou o coração do mundo. Enquanto alguns debatiam se a foto era real ou não, outros se dedicavam a buscar mais informações sobre este companheiro canino peculiar, se depararam então com esta história incrível e maravilhosa.

Quando Lily, uma Gran Danés branca de seis anos, tinha apenas alguns meses, ela foi atropelada por um carro e o acidente causou graves danos aos olhos da cadela. Isso causou uma infecção e, para salvar a vida dela, os veterinários de Lily foram obrigados a extrair seus olhos.

Uma expectativa de vida muito curta foi dada a cachorra, especialmente por ela ter sido condenada a permanecer dentro de casa para evitar se perder.

É neste ponto que entra em jogo o papel de Maddison, outra Gran Danés (que atualmente tem sete anos), que interveio e se tornou a guia de sua companheira inseparável.

A cadela aprendeu a dar pequenos toques e a mostrar o caminho através grunhidos ou, até mesmo, de contatos físicos, o dono das cadelas resolveu colocar uma coleira, ligando as duas, para tornar mais fácil a tarefa de Madisson de guiar Lily.

No entanto, no final de 2010, o dono das cadelas passou por um período de crise financeira e ficou sem recursos suficientes para manter as duas cachorras, devido à qualidade de vida de Lily depender de Madisson, ele então, decidiu doá-las ao centro de adoção “Dogs Trust Re-homing”, localizado em Shrewsbury, na Inglaterra.

Gran Danés

A responsável pelo centro, Louise Campbell, ficou profundamente comovida ao ver a relação entre as duas cadelas, especialmente sabendo que Lily tinha sido capaz de levar uma vida razoavelmente normal, graças ao interesse e apoio de Madisson.

No entanto, ela estava ciente de que ambas as cachorras eram praticamente inadotáveis, considerando que já tinham ultrapassado os cinco anos de idade, além de serem de um tamanho gigante e, necessariamente, a pessoa que levaria uma das cachorras, deveria levar ambas.

Então, o centro de adoção “Dogs Trust Re-homing” começou uma campanha através de jornais locais a fim de divulgar a história e a situação ruim que os animais atravessavam.

O que Campbell nunca imaginou era que isso iria atrair a atenção de milhares de pessoas que simpatizavam com o caso e que se manifestaram de imediato.

Um dos jornais que publicaram a história recebeu cerca de duas mil declarações de pessoas que estavam dispostas a assumir Lily e Maddison.

Depois de um longo processo de seleção, o centro doou as cadelas sortudas para a família Williams, que é formada por Anne e seu marido Len, um ex-bombeiro que se apaixonou pela história assim que ele soube dela.

A adoção de cachorros

Sua filha havia se mudado recentemente e tinha levado os dois Setter ingleses da família, deixando a casa vazia. A família Williams tem uma vasta propriedade rural, que inclui um grande pátio onde os cães podem correr e brincar.

Também, eles precisavam de algo que os motivasse a fazer longas caminhadas, por isso eles encontraram em Lily e Maddison as companheiras perfeitas para preencher o vazio deixado pelos outros animais de estimação.

O casal ainda levou as cadelas Lily e Maddison para uma viagem, que gozaram de merecidas férias na França e em Lagos, onde se encontraram com os outros membros da família Williams.

Atualmente, ambas as cadelas desfrutam de uma vida feliz com a família Williams, que são dedicados e amorosos donos, que dão a elas tudo o que elas precisam. Louise Campbell disse que estava satisfeita com o resultado deste processo e por ter encontrado um lar tão bom para as cadelas.

Isso mostra que o reino animal tem muito a oferecer aos humanos, o bom é que essas histórias são comuns e todos os dias podemos nos surpreender com histórias maravilhosas que envolvem o amor entre seres humanos e animais.