A inteligência dos gatos: Saiba se o seu gato é inteligente ou não

Os rankings são muitas vezes odiados, eles tendem a confundir os parâmetros que são elegíveis quando falamos sobre se o seu gato é inteligente ou não. Basicamente essa confusão surge quando se fala de inteligência animal vs. inteligência humana. Vamos ver isso com mais detalhes.

O conceito de inteligência está ligado à capacidade de entender ou compreender alguma coisa, bem como a capacidade de resolver problemas relacionados com os processos mentais, tais como a percepção e a memória.

Este conceito abrange tanto o reino animal quanto o humano. Os gatos têm a capacidade de armazenar diferentes tipos de informações, que são reunidas através de seus sentidos (olfato, paladar, visão, tato e audição), da interação com outros animais e com os seres humanos e sua relação com o meio ambiente.

Essa informação irá afetar o comportamento dos gatos, porque, apesar de serem regidos pelo instinto, eles usam a sua experiência em processos de tomada de decisões.

A inteligência humana vai um passo além, devido ao processo de formação da linguagem, que é a capacidade de tomar referências a respeito do mundo real e, através de um processo mental, dar sentido aos elementos circundantes.

Essa é a principal característica da inteligência encontrada nos seres humanos.

Agora, quando falamos sobre a inteligência animal, se enfatiza o primeiro conceito, que não envolve a linguagem, porque embora eles executem processos mentais que afetam a sua tomada de decisão, afeta até mesmo seus humor ou necessidades; bem como os faz entender algumas características da nossa corporeidade, eles não fazem processos de significação da realidade.

Ainda assim, esta diferença não é clara para muitas pessoas, que confundem processos de inteligência e linguagem. Portanto, quando falamos de inteligência felina, estamos nos referindo exclusivamente ao processo de usar a experiência e como isso afeta o comportamento do gato.

Questão de raça

A inteligência e a raça dos gatos

Existem características específicas, dentro das diferentes raças de gatos, que os fazem serem identificados como mais ou menos inteligentes, levando em conta os padrões de comportamento específicos de cada uma das raças.

No entanto, essa não é uma garantia, porque a inteligência ou a capacidade de desenvolver é mediada pela experiência, e isso varia muito de um animal para outro.

Os parâmetros tomados em consideração para determinar a inteligência de um gato estão ligados à facilidade que estes têm para se darem bem com os seres humanos. É uma orientação que aponta diretamente para a vida.

Normalmente, estes ocupam o topo das mais nobres raças, também as mais dóceis e melhores adaptadas à vida doméstica, por exemplo, o Scottish Fold, o Azul Russo e o Ragdoll.

Proporcionalmente, os últimos lugares das raças são designados aos que têm uma domesticação mais curta e são caracterizados por serem mais independentes.

Seguindo essa linha, os padrões de comportamento que estão presentes são:

Docilidade

Esta é uma característica muito comum das novas raças, que se originaram de cruzamentos entre raças que levaram séculos. Tem se procurado destacar esse recurso, do cruzamento entre raças, para tornar a domesticação mais fácil.

Um dos principais problemas de algumas raças de gatos, é o da convivência, porque algumas raças ainda são meio selvagens, por terem sido domesticadas há menos tempo, em relação a outros animais domésticos, como os cães.

Aprendizagem rápida

Normalmente, os gatos mais independentes têm dificuldade em aprender as regras básicas de convivência, melhor nem falarmos de truques. Isto é devido a brigarem com os seus donos para manterem um papel dominante, então eles vão resistir a aprendizagem.

Características dos gatos

Capacidade de seguir ordens

Este aspecto tem a ver com o tempo que um gato demora para seguir uma instrução.

Entende-se que os gatos mais inteligentes são aqueles que são mais capazes de compreenderem mais comandos e palavras, procede do animal estar interessado no que o seu cuidador lhe diz e ter vontade o suficiente para seguir as instruções.

Sociabilidade

Por eles serem predadores que normalmente vivem em pequenos grupos, ou sozinhos, e por serem muito dominantes, a sociabilidade de um gato é mediada pelo instinto.

Parte do processo de se ter um gato sociável e confiante implica que ele tenha assumido um papel submisso, por isso vai ser mais fácil para estes felinos aceitarem os outros sem briga.