A surdez em cães e gatos… O que podemos fazer?

A surdez de cachorros e gatos costuma ser comum quando eles chegam à velhice, ainda que também possa acontecer devido a um problema de nascença ou ocasionada por uma infecção. Não existe dúvida de que o dono de um animal de estimação sente uma grande satisfação quando seu bichinho corre em sua direção quando é chamado, todavia, quando isso não ocorre, é preciso levar em conta esse comportamento.

A princípio, acredita-se que, provavelmente, trate-se de um momento de distração do animal em não se apresentar quando é chamado. Contudo, quando isso se torna uma atitude constante, é preciso suspeitar que possa ser o indício de surdez.

No entanto, não se deve ficar de braços cruzados diante da situação, dado que é possível encontrar soluções, deixando a vida um pouco mais fácil com treinamento e alguns truques.

E, claro, será preciso ter paciência nesse período de aprendizagem, que poderá ser lento, mas efetivo.

Cachorros e gatos mais propensos à surdez

Cachorros e gatos mais propensos à surdez

As raças de cachorros mais propensas a ter surdez são o Dálmata, o Bull Terrier e o Terrier, enquanto os gatos brancos podem ter uma predisposição a ficar surdos.

Ainda que não seja conhecida a origem dessa anormalidade associada à coloração, acredita-se que se deva às estruturas nervosas do ouvido e à pigmentação.

Como enfrentar a surdez de cachorros e gatos?

A surdez costuma ser um grande problema para os animais, pois a audição é um dos sentidos mais importantes que possuem.

Tanto é assim que os gatos são capazes de perder o equilíbrio e não podem se manter firmes nas pontas das mesas ou nas árvores.

Os cachorros ou os gatos surdos ficam mais vulneráveis diante diversos perigos como o trânsito, por exemplo. Por isso, é fundamental que você sempre saia com seu animal de estimação com a guia e a coleira.

Há ocasiões em que os animais não respondem aos chamados dos donos, mas talvez não tenham perdido completamente a audição.

É possível que ainda consigam ouvir os sons mais agudos. No entanto, você também poderá recorrer à opção de usar sinais luminosos, como ligar e desligar uma lanterna, já que por mais que ele tenha sido abalado pela surdez, outros sentidos que não foram afetados e será preciso desenvolvê-los.

Um cachorro ou um gato surdos mantem o sentido do olfato e, por esse meio, devem ser estimulados através da colocação de comida para que você possa se comunicar com eles.

Linguagem de sinais

A surdez em animais

Os gatos e os cachorros são capazes de reagir diante dos movimentos da mão em forma de um chamado, assim como também é feito com as pessoas.

Por esse motivo, para que ele aprenda essa nova linguagem, você terá que premiá-lo cada vez que se aproxime de você.

No caso de dificuldades com o processo de aprendizado desse tipo de linguagem para animais surdos, procure algum curso ou livro sobre o assunto para descobrir como se comunicar melhor com seu animal de estimação.

Vibração

Os animais reconhecem a vibração que os seres humanos produzem com suas mãos, da mesmas maneira quando dão golpes firmes com os pés.

Além disso, existem algumas coleiras que são vendidas em lojas especializadas que têm a capacidade de vibrar e não causam qualquer dano ao animal de estimação.

Amigo como guia

Um animal de estimação surdo pode ter outro bichinho que não seja surdo que lhe sirva como guia. Ou seja, se tocar a campainha, por exemplo, o animal com boa audição sairá correndo para porta e o outro o seguirá.

Melhor prevenir do que remediar

Existem cuidados que, se tomados, podem prevenir as infecções e doenças capazes de provocar a surdez nos animais.

Um cuidado essencial é a limpeza dos ouvidos, que deverá ser feita mensalmente ou no máximo a cada dois meses. Todavia, caso o animal dê sinais de que está sentindo coceira ou dor na região, o melhor será levá-lo ao veterinário.

Nunca é demais consultá-lo a respeito dos produtos que estão disponíveis para limpar os ouvidos do cachorro ou do gato, e da melhor forma de fazê-lo, uma vez que se a limpeza não for feita corretamente, o animal de estimação pode ter uma infecção.

Teste para os gatos

Se você estiver intrigado para descobrir se seu gato o ignora por  seu temperamento ser assim mesmo ou se é problema de surdez, você poderá fazer um teste ligando um aspirador perto dele para ver se sai correndo com medo do barulho ou se vai brincar com o aparelho.

Também pode perceber se o miado está mais forte do que era antes, já que um gato surdo não consegue mais regular o volume.

O que você achou desse artigo sobre surdez em cachorros e gatos? Já realizou algum teste em seu animal?