Como ajudar um cão engasgado

cão engasgado

Tudo parece estar tranquilo com o seu animal de estimação até que, de repente, seu cão engasga e começa a tossir com força e a respirar com dificuldade, enquanto tenta expelir sem êxito algo que parece estar atravessado em sua garganta. Não perca a calma. Contaremos como você deverá agir para ajudar um cão engasgado.

Como ajudar um cão engasgado

O engasgo se dá por conta de algum objeto que o animal ingeriu, mas que ficou entalado em sua traqueia. Pode se tratar de um osso, um brinquedo ou de infinidade de outros elementos que o seu peludo possa ter levado a boca.

Ante esta situação, é natural que o cão fique nervoso, complicando ainda mais o quadro. Por isso, a primeira coisa que você deverá fazer é tranquilizá-lo com palavras e carícias. Quanto mais se alterar o estado emocional do peludo, mais forte ele irá respirar e isso fará com que o objeto que o fez engasgar se introduza ainda mais em seu aparelho respiratório. Além disso:

  • Ligue para um veterinário que atenda emergências para que ele dê instruções sobre como agir. Assim, ele poderá te indicar se você deverá levar o bichinho ao consultório e como deverá proceder para salvar a vida dele, segundo a urgência do caso.
  • Peça ajuda de outra pessoa, para que ela colabore com as diferentes manobras que você deverá realizar em seu cão.

Diante de um cão engasgado, não perca a calma. Ligue para uma emergência veterinária e siga ao pé da letra as instruções que eles irão passar.

Como agir para que o seu cão expulse o objeto que o engasga

Um cão engasgado, muito provavelmente, fará com que você tenha que agir rapidamente para ajudá-lo, dentro do possível, seguindo as instruções telefônicas de um profissional.

Certamente, você deverá realizar uma ação similar à manobra de Heimlich, adaptada à animais, para tentar fazer com que o seu animal de estimação abra seu aparelho respiratório. Mas como fazer isso? Levantando as patas traseiras do cão para favorecer a saída do elemento que o está asfixiando.

Então, levante as patas de trás de seu cão e as apoie em suas pernas. Utilize também os braços para fazer com que o traseiro do animal fique levantado, embora não seja necessário que alcance a posição vertical completa.

Esta ação deverá ser suficiente para que o cão consiga expulsar o objeto que o engasga.

Outros tópicos a serem levados em conta diante um cão engasgado

Apenas se você tiver experiência em primeiros socorros para animais, poderá tentar aplicar uma pressão no final da caixa torácica do cão, para favorecer o desprendimento do elemento atravessado.

Mas se você não está seguro de como fazer isso, abstenha-se, já que a ação não só poderá ser ineficaz, mas também perigosa. Por exemplo: se a pressão provocar o vômito, isso poderá bloquear ainda mais as vias respiratórias do cão.

Além disso, se o elemento que está obstruindo o seu peludo estiver muito visível, não coloque a mão em sua boca para tentar tirá-lo. Se o fizer:

  • Você deixará o cão mais nervoso;
  • Bloqueará ainda mais a entrada de ar;
  • Corre-se o risco de que ele te morda, já que ele se encontra alterado e com dor pela situação que atravessa;
  • Você poderá fazer com que o objeto se introduza ainda mais profundamente em seu aparelho respiratório.

Como evitar que o seu cão engasgue

Se graças a sua ajuda o seu amigo de quatro patas superar o engasgo, você deverá levá-lo ao veterinário mesmo assim, para que ele o examine e verifique se ficou algum resto do objeto na traqueia, e que devará ser retirado.

Passado o susto, tome as medidas para que o seu animal de estimação não volte a engasgar. É você deverá ter muito cuidado com os elementos que deixa ao alcance de seu cão. Leve em conta que, por curiosidade, ele pode levar à boca qualquer coisa e vir a ser asfixiado por ela. Então:

  • Oriente seus filhos para que não deixem brinquedos pequenos ou que se quebrem facilmente ao alcance do amigo de quatro patas;
  • Utilize cestos de lixo que o cão não consiga abrir e pegar, assim, objetos perigosos;
  • Se você deixa o seu peludo sozinho, procure fazer com que ele fique em locais onde não tenha elementos que se rompam com facilidade (estofados, roupas, calçados, etc.).

Considerando esses detalhes, certamente seu cão correrá menos riscos de sofrer uma asfixia por engasgo.