Alergias a pelos de cães: Há cães que não dão alergia?

alergias a pelos de cães

Embora diga-se que há cães que podem causar alergia e outros que não, as alergias são causadas pela saliva e pela caspa que se desprende da pele do animal. Se você tem alergias a pelos de cães, saiba que os especialistas afirmam que não há cães denominados “hipoalergênicos”.

Portanto, qualquer raça canina poderia causar alergia. Embora alguns cães soltem menos pelos, as substâncias aderidas a seu pelo são transmitidas ao ambiente, e isto gerará alergia nas pessoas que a sofrem, independente da raça do cão.

Solucione às alergias a pelos de cães

alergias a pelos de cães

A solução para diminuir as consequências que às alergias a pelos de cães provoca pode vir da utilização de produtos específicos que serão aplicados sobre a pelagem do animal. Assim se evita que o epitélio, ou caspa que o animal desprende, se espalhe facilmente. Também, não se sabe sobre casos de cães que tenham, entre eles, reações alérgicas.

Quando o animal de estimação já está em casa e se descobre que um dos membros da família desenvolveu alergia, é possível administrar uma vacina, que nem sempre é indicada e que terá que atender a algumas variáveis, como o tipo de animal, os sintomas do paciente e inclusive outras enfermidades associadas.

O tamanho do cão

Alguns especialistas afirmam que, como não há raças de cães ou de gatos que provoquem alergia em maior ou menor intensidade, é possível que, em alguns casos, o grau da reação alérgica da pessoa seja menor. Por exemplo, quando o cão é de tamanho pequeno, a quantidade de epitélio que se desprende também é menor.

Os especialistas descobriram que as gatas e os machos esterilizados também produzem menos epitélio (caspa), responsável pelas reações alérgicas.

Em uma avaliação das raças de cães que têm uma menor incidência para as alergias, estão: Bedllington Terrier, Yorkshire Terrier, Poodle francês, Schnauzer e Xoloitzcuintle.

Em relação aos gatos, cabe mencionar raças como: Sphynx ou Esfinge, Devon Rex, Cornish Rex, Siberiano e Azul Russo.

Entretanto, estas raças ou referências quanto ao tamanho pequeno do animal não significam que a pessoa alérgica ao epitélio do cão ou do gato se livrará de vir a ter uma reação, sobretudo nos casos onde há uma grande reação da pessoa ao alérgeno. O melhor, se houver muitas suspeitas de alergia ao epitélio canino, é não ter um cão em casa.

O recomendável, portanto, é tomar as precauções adequadas ao se conviver com um cão para evitar problemas de saúde devido às alergias a pelos de cães, tomando as medidas corretas uma vez que o cão já está em casa e forma parte do lar.

Conselhos no lar contra às alergias a pelos de cães

Uma vez que o animal entrou no lar e alguém apresenta sintomas de alergia, há alguns conselhos que poderão ser seguidos com segurança:

alergias a pelos de cães

  • Banhar com frequência o animal de estimação, para evitar o efeito de sua pelagem.
  • Evitar que o recém-chegado entre nos quartos. É necessário fixar as regras de convivência, os lugares que nosso amigo pode acessar, e aqueles onde sua presença não é conveniente.
  • Escovar o cão de forma habitual, se possível fora de casa.
  • É muito positivo o uso de purificadores de ar com filtro, tanto no ar condicionado como na calefação, etc.
  • É importante evitar que os tecidos da casa e as roupas sejam impregnadas facilmente pelos elementos alérgenos, como é o caso de tapetes, tapeçarias, etc.
  • Nas lojas há muitos produtos que reduzem a sujeira e o pó do ambiente. Alguns produtos específicos podem ser aplicados diretamente sobre o cão.
  • Também existem sistemas de limpeza a vapor, que vão suprimindo as partículas que se encontram em suspensão no ar.
  • Também é possível fazer diferentes exames médicos que irão determinar a origem da alergia.
  • Quando já há alergia e ela está diagnosticada, não se recomenda uma convivência muito próxima com o animal em casa. Nestes casos, uma consulta ao médico será o que irá determinar se esta situação é ou não possível e as precauções que deverão ser adotadas.
  • Também, você terá que visitar um médico veterinário, que poderá lhe informar sobre os produtos que existem no mercado e que ajudarão a diminuir os efeitos da queda do epitélio, que é o que causa as alergias, assim como sobre outras medidas importantes que terão que ser tomadas.