Algumas desvantagens da guia extensível: quais são as menos conhecidas?

Cachorro com guia extensível

Passear com o seu cão é importante, porque desta forma ele estimula sua musculatura, fortalece seus órgãos, também é bom para controlar o estresse e para melhoras sua qualidade de vida. No entanto, durante esta atividade, algumas vezes, tomamos algumas decisões que não são totalmente corretas.

Neste artigo, falaremos sobre algumas desvantagens da guia extensível.

As guias extensíveis são uma opção às guias comuns, que permitem tanto ao cão como ao dono ter uma maior liberdade, pois o primeiro poderá ir no seu próprio ritmo, puxando tanto quanto a corda permita e, com isto, o dono não precisa suportar os puxões do cão e nem faz maiores esforços para educar o cão para que ele caminhe ao seu lado.

Assim, o uso desta guia apresenta uma série de desvantagens que não faz seu uso recomendável para além do processo de educação do cão, para ele voltar para o seu lado.

Uso da guia extensível

Cão puxando a coleira

Este tipo de guia é muito útil para treinar o seu cão a voltar para o seu lado. Ela servirá a você caso queira ensinar seu cão a correr livremente na praia, em um bosque ou um parque, onde seja permitido que os cães corram sem guia.

Através da guia extensível, você poderá ensinar o seu cão a andar com um pouco de liberdade, farejar livremente sem se afastar de você e a voltar assim que você chamá-lo.

O ideal é que a guia seja utilizada apenas durante as sessões de treinamento, e empregue a guia normal para fazer os deslocamentos de lugar onde o cão deverá mostrar o que aprendeu durante as sessões de treinamento.

Tão logo o seu cão tenha aprendido o que ele deve fazer enquanto permanece sem guia, elimine seu uso.

Algumas desvantagens

· Perde-se o controle sobre o cão

A principal razão pela qual se deve passear com os cães com guia é para poder controlá-los. E é aqui que surge a maior desvantagem que este tipo de guias tem, é que o cão pode se afastar por até 7 metros do dono, chegando primeiro à esquinas, ruas, pessoas e animais.

Caso qualquer situação problema se apresente, o dono se verá em grande dificuldade para poder evitá-la. 

· Ensina o cão a puxar:

Como o cão se acostuma a se afastar o quanto quer, ele se acostumará também a estar puxando cada vez com mais força. A melhor maneira de evitar que um cão puxe a guia é não permitir nunca que ele faça isso. Não é necessário que ele esteja sempre ao seu lado, mas a guia deve permanecer distorcida a todo momento.

· Perde-se a tensão no pescoço:

Algo que se soma ao problema do cão se acostumar a puxar é que a maioria destas guias estão desenhadas para serem usadas com peitorais. A tensão que é gerada no pescoço quando o cão porta uma guia com coleira, é o que faz com que ele permaneça ao seu lado.

Ele aprende que quanto mais perto estiver de você, menos tensão ele receberá em seu pescoço e poderá caminhar mais comodamente. Com as guias extensíveis, não importa quão longe se encontre o cão do dono: ele não receberá esse estímulo.

Cães de coleira

· Sensação de falsa segurança:

Os donos usam a guia porque, dessa maneira, há a sensação de segurança de que se pode vigiar a integridade do cão enquanto ele está atado.

A situação de falsa segurança é especialmente delicada com as crianças, pois estas tratarão como um brinquedo um elemento que é realmente o salva-vidas do cão.

Isto ocorre porque os donos creem ter um controle que realmente não têm, em especial aqueles que não fazem uso do botão de segurança. Este botão é fundamental para controlar a distância que o cão pode se mover ou para que a corda não se recolha por acidente, caso você caia e assuste ao cão.

· Pode assustar o cão:

Uma das piores situações se dá quando, por algum motivo, a guia escapa das mãos do dono. Ela irá de encontro ao cão, que fugirá dela assustado.

O pior é que, se o cão se encontra a uma distância considerável e foge, você não terá a oportunidade de alcançá-lo.