Alimentação para cães segundo suas características

Parte de cuidar bem de seu cão é saber como alimentá-lo, mas o que muitos donos não levam em consideração é que os cães têm necessidades alimentares que vão bem além de sua raça ou de seu tamanho.

Vejamos algumas das características que requerem uma dieta específica, nas quais determinados tipos de alimentos funcionarão melhor, de acordo com certas necessidades da fase ou da saúde do animal:

Alimentação para filhotes

Os cães menores de um ano têm necessidades energéticas muito diferentes dos cães adultos, eles precisam, igualmente, de cuidados especiais. Durante as primeiras semanas de vida, os filhotes obtêm tudo o que precisam de sua mãe.

Tão logo eles tenham desmamado, aproximadamente entre um mês e meio e dois meses de vida, os filhotes devem consumir alimentos especializados para esta etapa de vida, que se caracteriza por alimentos que têm um conteúdo alto de colostro, que é o componente principal do leite materno.

Igualmente, eles devem começar a consumir proteína animal diferente da que a mãe lhe proporciona, bem como procurar alimentos ricos em vitaminas que permitam um correto desenvolvimento da atividade cerebral e muscular, além de um conteúdo nutricional rico em gorduras animais, pois os filhotes têm que aumentar de peso rapidamente.

Alimentação para cães idosos

Da mesma forma que ocorre com os filhotes, os cães idosos requerem uma alimentação especial. Como é difícil para os cães idosos digerir elementos como a glicose, deve-se proporcionar a eles uma fonte de energia alternativa.

Igualmente, devem ser controladas as gorduras e proteínas pois, ao diminuir a atividade física, eles tendem a ganhar peso rapidamente.

A saúde oral é de suma importância. Em idades acima dos sete anos, os cães tendem a perder os dentes, resultado de um desgaste natural, de modo que será melhor que você lhe dê uma dieta macia ou semiúmida que, além de tudo, ajudará os cães idosos com a digestão.

Alimentação de cães obesos

Como alimentar os cães

O excesso de alimentação é um problema frequente que implica no fato dos cães virem a sofrer de obesidade. Isso provoca o aparecimento de diferentes classes de doenças, como a artrose, que põem em risco a qualidade de vida do cão e diminui a expectativa de vida.

Para tratar um cão com obesidade, aconselha-se oferecer uma dieta rica em fibras e pobre em gorduras, bem como alimentá-lo sempre em um mesmo horário e retirar a vasilha de comida assim que ele terminar de comer.

Além disso, sugere-se complementar a dieta com exercícios diários para ajudá-los a atingir o peso ideal.

Cães com problemas de pele e alergias

Existe uma diferença entre os cães com pele sensível e os cães com alergias, ainda que ambas as situações se manifestem na pele e na pelagem do cão.

No caso dos cães com pele sensível, isso se deve, principalmente, a uma disposição genética e está presente nos cães das raças como Buldogue e Boxer. Neste caso, esses cães podem ser tratados com alimentos ricos em ácidos graxos, como o ômega 3 (por exemplo, o peixe, em especial, o salmão).

No caso dos cães com alergias, recomenda-se o consumo de rações hipoalergênicas e aplicar uma dieta de eliminação, com a finalidade de determinar qual produto, ou produtos, estão gerando a reação alérgica no cão.

Alimentação para cães com estômagos sensíveis

Assim como a sensibilidade na pele, alguns cães têm tendência a desenvolver problemas digestivos ou, eles têm o estômago e o sistema digestivo mais sensível.

No caso de raças como Poodle e, em geral, os cães pequenos, é comum que desenvolvam esta classe de problemas, de modo que é recomendável alimentá-los com comida fácil de digerir, em especial aquelas que contêm carne de cordeiro ou ovo.

Alimentação para cães castrados

Alimentação correta

A castração é uma das maneiras mais usadas de controle da população canina, assim como é um elemento de diminuição da agressividade, no caso dos machos, já no das fêmeas, de redução de problemas de comportamento durante o cio.

No entanto, esta situação tende a aumentar as possibilidades deles virem a sofrer de obesidade, se o cão não se exercitar adequadamente. Portanto, recomenda-se, pelo menos durante os primeiros meses após a cirurgia, que ele tenha uma dieta baixa em gorduras.