Alimentação para filhotes com digestão sensível

Quando tomamos a decisão de adotar um filhote para que se torne um membro a mais de nossa família, tenhamos ou não experiência na criação, provemos todos os cuidados para que ele cresça da melhor maneira possível: desparasitação, vacinas, socialização, adestramento, alimentação adequada, etc.

No entanto, às vezes costumam se apresentar situações que nos fazem ter que aprender “na marra” sobre a melhor forma de cuidar de nosso cachorrinho. É o caso dos filhotes que apresentam digestões difíceis ou que não toleram bem alguns alimentos.

Como deve ser encarada a alimentação dos filhotes com digestão sensível?

Filhotes comendo

Se o seu pequeno peludo começa a ter vômitos, flatulências e diarreia, é certo que você o levará correndo para o veterinário e, com certeza, essa é a decisão correta. Mas, descartados os problemas graves, o mais provável é que tenha um filhote com digestão sensível.

O certo é que o que pode ser bom para um filhote, pode não ser bom para outro.

De forma simples: o mesmo alimento que um filhote digere sem inconveniente algum, poderá trazer sérios problemas digestivos para outro. E, inclusive, poderá causar transtornos dermatológicos, como coceiras em diferentes partes de seu corpo.

O mais conveniente diante desta situação é proporcionar ao seu cachorrinho uma dieta na qual se exclua os ingredientes que poderão estar provocando esta sensibilidade alimentar.

O veterinário seguramente poderá recomendar a você as melhores opções, em rações especificamente desenvolvidas para enfrentar este problema ou, ainda, lhe aconselhar sobre a melhor forma de alimentação caseira para o seu pequeno cão.

Na maioria das vezes, estes transtornos digestivos se devem a uma reação de hipersensibilidade à proteína da carne.

A impossibilidade de digerir corretamente alguns nutrientes afeta, principalmente, as fezes do animal, que se apresentam com um mau odor e não têm a consistência adequada.

Algumas rações especialmente elaboradas para filhotes com digestão sensível, têm como principal fonte de proteínas, a carne de cordeiro.

Este ingrediente costuma ser digerido facilmente pelos cães, dado que foi o alimento natural deles durante milhares de anos. Ainda hoje, é uma parte da dieta habitual de muitos cães selvagens.

As rações especiais também costumam incluir:

Colostro

É uma substância que se encontra no primeiro leite materno que, além de suas comprovadas faculdades para reforçar as defesas do filhote, ajuda a equilibrar as bactérias boas e ruins do intestino.

Proteína do ovo

Incorpora-se na dieta por ser um ingrediente de fácil digestão.

Bentonita

Trata-se de uma argila nutricional que absorve toxinas e facilita que os excrementos adquiram características compactas, que indicam digestões saudáveis.

Combinação de fibras solúveis e insolúveis

Ajudam a manter a função intestinal.

Outras dietas balanceadas evitam as proteínas de carnes vermelhas e são elaboradas com base nas proteínas do peixe e de proteínas vegetais, para diminuir o risco de reações adversas ao alimento.

Filhotes bem alimentados e felizes

Filhotes se alimentando

Não há dúvidas de que o leite materno é o melhor alimento que o filhote pode receber em seus primeiros dias de vida. Ele não apenas cobre todas suas necessidades nutricionais, mas também lhe transmite as defesas necessárias para que ele tenha um sistema imunológico capaz de protegê-lo de diversas infecções.

O desmame costuma ocorrer entre a sexta e a oitava semana de vida mas, em suas fases iniciais, o leite materno continuará sendo uma parte fundamental da alimentação dos cachorrinhos.

Finalizado o desmame, o sistema digestivo dos filhotes ainda está imaturo. Por tal motivo, o animal ainda não está preparado para poder ingerir grandes quantidades de alimento e o ideal é lhe dar de comer entre quatro e cinco vezes por dia, para tentar evitar problemas como a diarreia.

Mas alguns animaizinhos apresentam uma digestão ainda mais delicada e, por isso, devem começar a receber uma alimentação especial.

De todas formas, com ou sem dietas específicas, a correta alimentação de seu filhote é vital para que ele goze de boa saúde ao longo de sua vida. E, enquanto os problemas digestivos costumam ser comuns em cães de todas as idades, a diarreia ou as fezes moles não necessariamente são sintomas de doenças.

Lembre-se de consultar o veterinário caso tenha qualquer dúvida. Mas o mais seguro é que, com alguma correção em sua dieta, seu filhote cresça saudável, forte e feliz.