Como alimento um pássaro que encontrei na rua?

Se há uma coisa que está bem clara é que os amantes dos animais, na maioria dos casos, têm um grande coração. Estão dispostos a adotar um ser que só irá contribuir com ganhos emocionais, ainda que tenham que investir uma grande quantidade de tempo, dinheiro e esforços.

No entanto, quando recebemos seu amor e companhia, percebemos que acertamos em nossa escolha. Às vezes, chega de surpresa um novo membro para a nossa família, sem que tenhamos feito planos para isso.

Muitas pessoas, e muitas vezes, já encontraram na rua um pássaro e tiveram dúvidas em como deveriam o alimentá-lo se o levassem para a casa.

Neste artigo iremos lhe passar com detalhes esta informação.

Quando encontramos um pássaro necessitado

Como alimentar um pássaro

Em primeiro lugar, começamos por dizer que se você encontrar um filhote na rua que não pode voar, vale a pena que se arrisque a levá-lo para a sua casa.

Ainda que você possa não saber muito bem como cuidar dele, tenha claro que, se você não o fizer, o fim dele, de uma maneira ou de outra, será a morte.

Se o pássaro já for adulto, a opção de adotá-lo pode ser uma boa escolha, ainda mais se ele estiver ferido ou desorientado.

Já se um destes animais entrar por engano em sua casa e não souber como sair, a decisão é muito pessoal. Você deve considerar se ele estará melhor com você ou se será mais conveniente permitir que ele se vá.

A seguir veremos o que fazer, em detalhes, quando você encontrar um na rua e ele precisar de sua ajuda.

Como alimentar o pássaro encontrado

papagaio-gris-africano-2

A primeira coisa que temos que fazer é nos assegurar de que o animal não perca o calor ou que o recupere se ele esfriou, sobretudo quando se trata de filhotes ou animais feridos. Se não o fizer, seguramente, o pássaro não sobreviverá.

O melhor é que o coloque em uma caixa de sapatos ou algo similar, com um pano como forro para que ele mantenha melhor a temperatura.

Se for inverno, coloque a caixa perto de uma fonte de calor, mas sempre com muito cuidado, porque, em excesso, poderia fazer mais mal do que bem. Você terá que ser paciente e trocar o pano com frequência, já que ele o sujará.

Ainda que tradicionalmente a opção mais empregada para alimentar a estas aves seja dar a elas migalhas de pão com água, não recomendamos isso.

É bem mais conveniente ir até uma loja de animais e comprar uma papinha especial ou, se for um pássaro adulto, será melhor que lhe forneça alpiste.

A papinha deve ser de uma textura adequada para que ao animal goste. Na própria embalagem encontrará o melhor modo de prepará-la.

É claro, não se trata de nada que seja muito complicado, mas é melhor seguir as instruções, para dar o ponto certo a ela. Essa espécie de mingau não tem que ficar líquida e nem muito espessa. O melhor é que seja cremoso.

Até aqui passamos a parte mais simples do processo. Agora é que a coisa se complica. Dependendo do estado em que se encontre a ave, ela comerá melhor ou pior.

Sua capacidade para persistir incidirá, em grande parte, nas possibilidades de sucesso. Mas é fundamental que ela se alimente.

Para dar-lhe de comer o melhor é que utilize uma seringa, sem agulha, é claro, mas para escolher o método, o melhor é você leve em conta sua logística e utilize aquilo que pareça mais prático para você.

Leve em conta também que você é um perfeito desconhecido para o pássaro, que ele estará assustado e que pode ser que desconfie de suas intenções. Por tudo isso, não é de se estranhar que, no começo, ele custe aceitar a comida.

Coloque como objetivo que, ao começar, a quantidade seja mínima. Dedique bastante tempo a esta tarefa e conseguirá. Uma vez estabelecida uma boa rotina, tudo fluirá facilmente.

Espere sempre que ele engula o que tem no papo antes de lhe introduzir mais comida. Se você não fizer isso, existe o risco de que duas coisas ocorram: ou que se afogue com o alimento ou que este se endureça no interior de sua boca.

De modo que você terá que ser paciente e se assegurar de que ele engula o alimento completamente.

Como nos primeiros dias ele comerá muito pouco, o melhor é que você lhe dê comida umas 5 vezes ao dia.

Pouco a pouco, tão logo ele venha a comer melhor, você poderá ir reduzindo esta quantidade. Alegre-se, chegará um momento em que ele o fará por si mesmo.

Neste ponto, caberá a você decidir o que fazer com o seu novo animal de estimação.