Animais de estimação hipoalergênicos

Existem alimentos hipoalergênicos, cosméticos hipoalergênicos, tecidos hipoalergênicos, mas, há animais de estimação hipoalergênicos?

Enquanto pode-se afirmar que algumas raças de cães, ou cruzamento entre raças, são mais convenientes para quem sofre de alergias, alguns especialistas dizem que isso se trata de uma predisposição da pessoa.

Caso um paciente alérgico venha a tolerar determinado tipo de cão, isso não quer dizer que se transforme em uma regra geral e que funcionará para todos.

Não devemos nos esquecer que o grau de alergia pode ser diferente em cada indivíduo, portanto uma reação alérgica, ainda que se trate de uma mesma raça de cão, pode variar de maneira notável de pessoa para pessoa.

Guia para saber se o meu animal de estimação é hipoalergênico

Yorkshire

Afirma-se que as chamadas raças “hipoalergênicas” diminuem o risco de uma reação alérgica e tornam possível a convivência com as pessoas que sofrem dos irritantes sintomas alérgicos, que costumam se traduzir em inflamação da mucosa nasal, ocular ou bronquial.

A verdade é que a pelagem dos cães, sua saliva ou, até mesmo a caspa, podem provocar nas pessoas alérgicas ataques de asma ou algum tipo de reação alérgica que torna impossível a convivência com um cão ou outro animal de estimação.

Entre as raças de cães conceituadas como hipoalergênicas podemos encontrar:

  • Peruano: Trata-se de cães sem pelos, originários do Peru e tidos usualmente como animais de companhia.
  • Xoloitzcuintle: Caracterizados também por não terem pelos, têm sua origem no México e sua história está unida a dos astecas.
  • Cristado chinês: Chamam a atenção por sua falta de pelos em quase todo o corpo, com exceção de algumas mechas longas na crista, na parte baixa das patas e na cauda.
  • Yorkshire terrier: Apesar de sua longa cabeleira, não soltam quase nada de pelos, desde que sejam escovados regularmente. Além disso, seu pH coincide com o do ser humano.
  • Cão d’água português: Seu pelos com aspecto de lã não caem com facilidade.
  • Dachshund: Os chamados “cães salchichas” também não perdem muitos pelos.
  • Poodle: Sua pelagem densa e encaracolada não costuma cair se for escovada de forma adequada.
  • Schnauzer miniatura: Sempre que ele receber o cuidado adequado, dificilmente soltará sua áspera pelagem por toda a casa.
  • Bichón havanês: Tem duas capas de pelos finos e sedosos para poder se adaptar a qualquer tipo de clima e não perde pelos com facilidade.
  • O Bedlington Terrier e o Bichón Frisé também não têm tendência de perder pelos.

Gatos e outros animais de estimação

Gato Devon Rex

Qualquer animal com pelos ou penas pode provocar alergia em pessoas geneticamente predispostas a sofrê-las.

Enquanto os gatos e os cães são a causa mais frequente, pelo simples fato de que são animais de estimação muito populares, também foram documentados casos de alergia em relação a outros tipos de animais:

  • Cavalos;
  • Coelhos;
  • Porquinhos da índia;
  • Hams­ters;
  • Ratos;
  • Gerbo (esquilo da mongólia);
  • Chinchilas;
  • Esquilos;
  • Aves domésticas;
  • Iguanas;
  • Outros répteis.

No caso dos felinos, torna-se complicado conseguir animais com o “selo” de hipoalergênicos.

Há poucas raças de gatos sem pelos e elas costumam ser muito caras:

O Gato Esfinge e o Perterbald são alguns exemplos. A primeira não apresenta pelos como resultado de uma mutação totalmente natural. A segunda, é uma raça de gatos pelados, originada na Rússia em 1994.

Também pode-se considerar o Devon Rex, devido a sua pelagem curta, e o Siberiano que, além de não perder pelos, não produz o chamado hormônio Fel d1, responsável por 80% das alergias que os felinos provocam nas pessoas.

Animais de estimação menos habituais como as tartarugas e os peixes, são pouco prováveis de virem a provocar algum tipo de alergia e podem ser uma boa opção para aqueles que sofrem deste inconveniente. No entanto, bem sabemos que eles não são tão divertidos e amigáveis quanto um gato ou um cão.

Outra opção na hora de escolher um animal de estimação para os alérgicos, pode ser o furão, que não costuma provocar reações deste tipo.

De todas as formas, se você é parte dos 15% da população mundial que é alérgica à animais domésticos, recomendamos a você consultar o seu médico de confiança antes de adotar qualquer animal.

Certamente, você encontrará uma solução para que, apesar dos alérgenos, possa desfrutar da companhia e do amor que um animal de estimação sempre nos presenteia.