As criação de cavalos em liberdade

A criação de cavalos em liberdade

A pessoa que se propõe a criar cavalos precisa criá-los em liberdade. Essa ideia é o segredo para o desenvolvimento adequado do animal, e é muito importante que aquele que irá se dedicar a isso, seja qual for a raça dos equinos, tenha todos os tipos de recursos necessários para criá-lo. Um dos requisitos mais importantes é o espaço. Vale lembrar que, quando eles forem adultos, se tornarão animais de grande porte, e que a prática de exercício correto requer trotes e corridas.

Por que é importante a criação de cavalos em liberdade?

Cavalo

O habitat natural dos cavalos é o pasto, a natureza e as grandes planícies. Além disso, o deslocamento constante que os animais fazem em busca de comida e de água contribui para que eles se mantenham em forma; o cavalo vive em grupo, é um ser que convive com outros animais da sua espécie, e quanto mais tempo ele passar entre eles, melhor.

Se uma égua tiver problemas durante o parto ou lesões, e precisar ser controlada em um estábulo, é normal que algumas crias morram devido a pisões, a empurrões e ao esmagamento que sua mãe poderá causar. Além disso, em estábulos pequenos é comum que os potros recebam algumas patadas.

Por isso, o recém-nascido com pouco tempo de vida, precisa se movimentar desde o nascimento, brincar, correr, interagir com grupos e com as tropas, respeitar a hierarquia em relação aos seus superiores, etc. A sua permanência em um estábulo não é algo natural para ele, e irá afetar de forma negativa o seu caráter e a sua saúde.

O começo da vida em liberdade

Na criação de cavalos, quando o potro ou a potra começar a desmamar de sua mãe, o ideal é reservar um tempo para que o animal nos conheça de perto, brincar com ele e ensiná-lo a respeitar desde pequeno o seu dono.

Porém, assim que ele for desmamado, o potro precisa viver em liberdade com outros potros, em espaços suficientes para a sua liberdade, que permitam que ele se exercite e que o obriguem a se deslocar constantemente em busca de alimento, mesmo que seja necessário complementar a sua dieta diária com suplementos vitamínicos e suplementos alimentícios que auxiliem no seu crescimento.

Além disso, um potro não deve ser retirado do campo antes de completar os três anos de idade. Com relação a sua alimentação, o animal deve estar bem alimentado, mas sem chegar ao sobrepeso. Inclusive, é preferível que ele seja mais pra magro, pois como os seus ossos e articulações estão frágeis, não estão preparadas para suportar o peso que uma hipotética beleza acrescenta.

O mais importante é saúde do seu animal, e um possível excesso de peso trará consequências para o seu futuro. Inclusive poderá inutilizar o cavalo para se tornar um animal de montaria. Portanto, é recomendável que o potro se mantenha magro nos seus primeiros anos de vida.

Um caráter e articulações apropriadas

cavalos

Um potro que vive em liberdade terá um caráter mais dócil, menos nervoso, menos assustadiço, saberá respeitar uma hierarquia e quando chegar a hora dele ser levado para baia, saberá respeitar com mais facilidade o seu jóquei e os seus cuidadores.

Se observarmos a evolução das articulações dos potros, iremos perceber que elas se desenvolvem de maneira diferente, devido a prática de uma atividade contínua, de forma natural, sem serem forçadas, em comparação àqueles cavalos que passam muito tempo em um estábulo ou em uma baia, sendo superalimentados e sem espaço a céu aberto.

Talvez seja necessário compensar a falta de exercício em espaços abertos fazendo trabalhos com cordas, caminhadas programadas, e até mesmo, usando uma piscina; os benefícios do exercício em liberdade para os potros são fundamentais nos seus primeiros anos de vida, e na evolução e no desenvolvimento ideal para o seu crescimento.

É lógico que o potro que foi criado em liberdade está sujeito a acidentes, cortes, pancadas, algumas fraturas, leves entorses, etc. A aparência física também se vê comprometida se o cavalo passar a vida toda dentro de um estábulo, pois o normal seria que o animal sofresse arranhões, levasse patadas, ficasse com a crina desarrumada, etc.

A sua aparência não será tão sadia quanto a daqueles que costumam ser criados dentro de uma baia. Porém, sem dúvida, os efeitos benéficos que essa convivência ao ar livre produzirá no animal, compensarão a médio e a largo prazo essa questão “menos sadia” que o potro parece ter. Portanto, a criação de cavalos em liberdade é a mais recomendável.