Cães de caça, vítimas silenciosas

Cães de caça

É um feito lamentável, mas apesar do avanço da civilização, os animais continuam suportando distintos tipos de maus tratos por parte do ser humano. Entre eles se encontram os cães que sofrem ao serem utilizados para caça.

Apesar do trabalho de diversos defensores dos direitos destes seres, os cães de caça sofrem um calvário que, em muitos casos, resulta em uma morte prematura e violenta.

Uma história antiga e repudiável

cachorro beagle

O homem tem utilizado os cães para caça desde tempos imemoráveis. Talvez tenha sido a primeira tarefa que nossos antepassados realizaram com os cães, mesmo antes de sua domesticação.

Ao longo do tempo as técnicas de caça foram se aperfeiçoando e também foram surgindo distintas raças de cães destinadas a este objetivo.

Esta atividade se desenvolveu e se desenvolve em muitos casos com fins de subsistência. Em algum momento se tornou espetáculo ou esporte. Foi aí que começou os grandes problemas para os cães.

Verdadeiras vítimas silenciosas

Que o ser humano explora as habilidades de caça dos cães para seu próprio benefício pode soar repugnante para muitos.

Apesar disso, o horror se multiplica quando se conhecem os detalhes sobre o trato que recebem estes animais, que são criados somente com o propósito de servir a um mercado milionário.

Os protetores advertem que os cães usados para essa atividade são os que mais sofrem o maltrato e abandono, já que a ideia é que não representem um gasto excessivo. Quando já não são mais úteis, são descartados.

“O homem cruel com os animais será também com os mesmos homens. A crueldade é sempre a mesma coisa, mesmo que o objeto mude.”

Cães de caça, maltratados desde o nascimento

O pesadelo deste animais começa desde o nascimento. Eles são amontoados em jaulas dos criadores em condições higiênicas e sanitárias absolutamente inadequadas e com uma alimentação deficiente. Nestes lugares as cadelas são obrigadas a parir de forma contínua.

A cada nascimento são escolhidos os melhores cães, que estão aptos para o objetivo buscado. Geralmente são selecionados um ou dois cachorros de um total de cinco ou seis.

São eliminados os cães que:

  • Mostram muita agressividade;
  • Não são suficientemente fortes;
  • Não apresentam capacidade predatória.

Além disso, em uma etapa de treinamento, se busca conseguir a absoluta submissão do animal ao seu dono. Na maioria das vezes isso se alcança através de golpes e espancamentos.

Horrores nas temporadas de caça

Durante o processo das distintas modalidades de caça continua o calvário para os cães:

ainda que troque seu objeto” -Blas Infante-

  •  Em caso  contrário será morto ou abandonado.
  • Muitos se enganam e acabam se perdendo e só serão procurados se “valerem a pena”, segundo o critério dos donos. O resto morrerá de fome, por um disparo ou atropelado por algum automóvel.

Esse maldito costume humano do “Usar e jogar fora”

 

galgo

Uma vez terminada a temporada de caça chega a vez de tirar os cães que já não são úteis para as próximas temporadas. As formas de fazer isso são variadas: entre elas se encontram o abandono ou outras coisas piores.

Alguns, só alguns, terão a sorte de serem entregues em centros de acolhida ou são recolhidos por associações protetoras. Destes, poucos serão adotados. Outros correrão o risco de serem sacrificados.

Pelo direito do cuidado com os cães de caça

Distintos grupos que defendem os direitos dos animais continuam lutando para que vire lei na Espanha a proibição de caça com galgos e a utilização de grupos de cães de variadas raças.

Também reclamam por melhoras na regulação e controle do uso de todo tipo de cão nas distintas atividades caça.

Enquanto isso, mais uma vez, os cães seguem sendo vítimas inocentes do ser humano.