Cães de Gaza já têm um abrigo

Em regiões castigadas por conflitos armados, onde a vida humana muitas vezes perde o valor, são poucas as chances de que alguém se ocupe do destino dos animais. No entanto, parece que uma luz de esperança sempre floresce. E hoje, podemos dizer que os cães da região de Gaza, na Palestina, já contam com um abrigo.

Os cães, vítimas de conflitos armados e interpretações religiosas extremistas

Apesar de – da mesma forma que as pessoas – sofrerem as consequências das agressões do Estado de Israel, os cães que habitam a Faixa de Gaza têm que lidar com um “inimigo interno”. Algumas interpretações extremistas do Corão consideram esses animais impuros e os admitem apenas como guardiões e para a caça. É por essa razão que alguns palestinos, em meio à tragédia cotidiana, parecem não se importar com os peludos.

Mas nem todos pensam assim. É o caso de Said al Ar, que abriu o primeiro abrigo para cães de rua, a Associação Al Sulala, para proteção, reabilitação e adestramento. A iniciativa despertou nos palestinos, como já era possível esperar, reações de incompreensão, mas também de solidariedade.

Assim, em um subúrbio ao sul da cidade de Gaza, em uma área de 2,1 mil metros quadrados, moram 75 cães e também alguns gatos.

“Vítimas de conflitos armados e das interpretações religiosas extremistas, os cães de Gaza parecem ter reencontrado a esperança. Já está em funcionamento o primeiro abrigo para animais de rua. É a Associação Al Sulala para proteção, reabilitação e adestramento.”

Alguns dados sobre o primeiro abrigo de animais de Gaza

Said al Ar, de 45 anos, é apaixonado por cães. Há algum tempo dirigiu o canil da polícia, especializado na detecção de drogas e explosivos. Desligado de seu posto em 2007, quando o grupo armado Hamas tomou o controle da região, decidiu usar os conhecimentos e o tempo livre para ajudar os animais abandonados.

Para isso, Said al Ar investe boa parte do dinheiro que recebe da Autoridade Palestina, além de organizar campanhas internacionais de doação de recursos.

Os principais objetivos da Associação Sulala são:

  • Recolher os animais em situação de rua.
  • Proporcionar a eles cuidados veterinários e alimentação adequada.
  • Adestrá-los.
  • Oferecer os animais para adoção, sob o compromisso de cuidar e tratar muito bem deles.
  • Conscientizar a população sobre o respeito que os animais merecem.

Cães e humanos em Gaza: uma relação em mudança

Refugio de cães em gaza

 

A tarefa da Associação não parece fácil, ainda mais em uma sociedade que desconfia de cães de rua, chegando ao ponto de envenená-los ou até mesmo matá-los quando se aproximam de crianças ou pomares.

Segundo a Associação, a autoridade Palestina, que não possui uma política definida sobre o tema – principalmente pela falta de meios – chegou a usar venenos para eliminar os animais de rua. Felizmente a prática foi interrompida para não afetar as pessoas.

No entanto, a situação parece mudar aos poucos e o abrigo atrai cada vez mais pessoas, principalmente crianças que buscam a amizade de um cão. A Associação também recebe ligações constantes de pessoas que avisam sobre a existência de animais abandonados para que possam ser resgatados.

Associação Al Sulala: um projeto em expansão

A Associação conta com voluntários que, entre outras tarefas, recorrem diariamente a restaurantes e outros estabelecimentos comerciais em busca de doação de restos de carne para alimentar os cães e gatos resgatados.

Além disso, as autoridades se comprometeram a ceder um terreno de cinco hectares para ampliar o abrigo e assim receber todos os animais em situação de rua.

No novo terreno, Said al Ar sonha instalar um grande lar para cães, junto a uma fábrica de comida para animais e uma clínica veterinária para que possam ser atendidos todos os animaizinhos abandonados. Que Alá e os homens o acompanhem nessa tarefa.