Cães podem se apaixonar?

Cães podem se apaixonar?

O amor é, possivelmente, o sentimento mais forte que alguém pode chegar a sentir. Porém… você alguma vez se perguntou se cães podem se apaixonar?

É comum ouvir alusões ao amor que esses animais sentem pelos humanos e, de fato, o sistema endócrino dos cães parecem indicar que chegam a sentir algo muito similar ao amor. No entanto, esse sentimento é igual entre eles?

Aparentemente, a resposta para essa pergunta segue sendo positiva, pois os cães podem desenvolver fortes emoções com os outros e em diferentes níveis de profundidade. O que se tem demonstrado é que seres humanos e cães compartilham as mesmas alterações químicas (hormonais) quando veem ou têm contato com aqueles de quem gostam.

O que diz a ciência

As investigações científicas encarregadas de estudar as emoções dos cachorros chegaram à conclusão de que a mente dos cães equivale mais ou menos a de um ser humano de dois anos e meio de idade em relação a sua capacidade mental, emoções e aprendizado.

Embora toda a gama de emoções não esteja completamente desenvolvida nos cães, a base existe e eles tendem (assim como as crianças pequenas) a amar profundamente.

cachorro dando amor

Em estudo realizado pela universidade norte-americana de Emory (Atlanta) descobriu-se que uma parte do cérebro que se encontra associada justamente com as emoções positivas, tem reações similares entre cães e pessoas. Podemos interpretar, com o resultado, que humanos e cachorros sentem (pelo menos emocionalmente) experiências como amizade, amor, apego etc.

Realidade emocional

Esse conjunto de hormônios resulta em uma forma de sentir e de reagir ante estímulos diferentes. E não apenas na relação com seres humanos, já que transcende seus pares e inclui animais de espécies diferentes.

Entretanto, não se pode dizer que os cães amem exatamente como os humanos amam, pois o amor, além de uma série de sensações que resultam de estímulos e da ação de hormônios, tem um nível conceitual e simbólico na raça humana.

Os cachorros não possuem essa capacidade de conceituar acerca dos eventos que lhes ocorrem, especialmente os valores subjetivos (entre eles, o amor). É por isso que reagem guiados por seus instintos, de maneira impulsiva, e fazem o que sentem.

É por isso que cães tendem a dar grandes demonstrações de afeto ou desprezo, já que seus sentimentos são, por assim dizer, puros.

O amor e a convivência

Já que os cães têm uma estrutura social sólida e consolidada de forma hierárquica, tendem a desenvolver vínculos muito fortes com os membros de sua manada, especialmente o Alfa.

A convivência influencia profundamente nesse processo, pois quanto mais tempo um cão conviva com uma pessoa ou outro animal, maior será o nível de vínculo que sentirá.

Isso não quer dizer que os cães deixem de gostar ou esquecem seus donos anteriores, apenas que, graças à mudança na relação hierárquica, o animal desenvolve novas emoções.

No entanto, têm sido amplamente reportados casos de cães que reagem de maneira eufórica ao ver seus donos ou antigos amigos de brincadeira, inclusive anos depois de terem se visto pela última vez.

cachorro apaixonados

Formas de demonstrar afeto

Os cães têm muitas formas de dizer que amam seu dono ou outro animal sem “dizê-lo” com palavras. Algumas das maneiras que encontram para demonstrar o quanto nos amam são as seguintes:

Segue a pessoa com quem ele se sente protegido ou com quem se sente a salvo.

  • Abana a cauda quando o vê (uma das formas mais visíveis de afeto).
  • Convida para brincadeiras, principalmente com os brinquedos de que gosta.
  • Dorme profundamente perto de você.
  • Busca que o reconforte quando está assustado ou nervoso.
  • Limpa (lambe) a pessoa ou o animal em quem confia.