Campanhas contra a raiva nos cães

A raiva canina é uma doença infectocontagiosa, produzida por um vírus que se encontra na saliva de um animal com raiva: cachorro, gato ou símios. Geralmente é transmitida pela saliva através de mordidas ou lambidas em feridas na pele.

Um cachorro que tem raiva é agressivo, tem os olhos vermelhos, baba, anda cambaleando, perde o apetite, não toma água, morde tudo, se esconde, não caminha bem, tem a mandíbula caída, mostra medo exagerado da água, do ar e da luz; pode chegar a não reconhecer o dono e a abandonar o seu lar.

A raiva pode ser evitada em nossos animais, vacinando-os a cada ano a partir do primeiro mês de vida.

Se ele apresenta mordidas provenientes de um animal que tem raiva, é preciso lavar a ferida com bastante água e sabão, localizar o animal agressor e logo levá-lo o mais rápido possível para um centro de saúde para ser feita uma avaliação da ferida.

Conceito básico

ca%cc%83es-latindo

Trata-se de uma doença infecciosa viral do sistema nervoso central que provoca a encefalite aguda. É um vírus que ataca os mamíferos domésticos e selvagens, inclusive o homem. Normalmente está presente nas secreções dos animais infectados e é transmitida ao homem através de mordidas ou por meio de algum corte na pele que tenha contato com a saliva do animal infectado.

Nos cachorros, é uma doença que deve ser tratada com urgência, caso contrário pode levar à morte. Depois da mordida, pode demorar entre 60 e 300 dias para doença se manifestar.

É uma doença grave, porque não existe tratamento para a raiva humana e quase sempre é mortal. Por isso, para prevenir, é recomendada a eliminação da raiva canina mediante a vacinação desses animais.

Dados e estatísticas

Todos os anos morrem aproximadamente 55 mil pessoas devido a essa doença, o que significa um óbito a cada 10 minutos. Uma vez que uma pessoa é mordida por um animal possivelmente infectado é preciso vacinar o quanto antes para prevenir a doença. A maneira habitual de transmissão é através de mordidas de animais infectados.

Campanha antirrábica 2016

Por falta de auxílios adequados, a campanha antirrábica 2016 é difundida e organizada pelos próprios veterinários. A vacina pode ser realizada a qualquer momento, não é necessário tomá-la durante as campanhas.

Segundo o calendário mundial, o dia 28 de setembro foi estabelecido como a celebração do Dia Mundial Contra a Raiva, coordenado com a OPS/OMS, a organização internacional Aliança para o Controle da Raiva, os Centros para o Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos, Instituto Pasteur da França e Oficiais Veterinários em muitos países.

Entre os objetivos, está o aumento das ações ao redor de todo mundo para conscientizar a sociedade e colocar em curso os recursos correspondentes.

As crianças e outros setores são os grupos mais vulneráveis e estão sujeitos a múltiplas agressões. A raiva nos seres humanos pode ser prevenida assegurando para as pessoas em risco a atenção e o controle adequado dos animais, educando as populações vulneráveis e melhorando o acesso à saúde dos que sofreram agressões de animais infectados pela doença.

A raiva no mundo

vacinac%cc%a7a%cc%83o-para-ca%cc%83es

Ainda que não tenha cura, a raiva pode ser prevenida. No caso das pessoas, é uma doença totalmente prevenível, mas que requer educação e acesso ao tratamento biológico. Diferentes países estão realizando grandes esforços para realizar seu controle, conseguindo avanços importantes na eliminação da raiva humana transmitida pelo cão.

Mesmo com todas essas ações, a raiva silvestre ainda continua causando muitos danos, sobretudo em setores da população com menos recursos e em zonas de difícil acesso.

Entre os dados que se tem em mãos, a nível mundial, a raiva em cães em muitos países do mundo continua sendo a causa de aproximadamente 55 mil mortes humanas por ano, como dito acima.

As diferentes campanhas de prevenção seguem sendo eficazes. Alguns países, como a Espanha, atualmente apresentam uma incidência mínima. A razão é que foi possível vencer a doença mediante campanhas antirrábicas. É necessário nunca baixar a guarda diante dessa doença.