Meu cão destrói tudo o que vê: o que eu faço?

Se o seu cão destrói tudo o que está ao alcance dele em sua na casa, no quintal ou no jardim, é hora de você começar a se perguntar o que você está fazendo de errado e tentar corrigir. Ainda que os motivos deste tipo de comportamento possam ser diversos, a solução nunca passa pelo castigo e, em algumas ocasiões, você deverá pedir ajuda ao veterinário.

Comportamentos normais e comportamentos exagerados

Cão

Partiremos do pressuposto de que é normal que um cão morda ou mastigue diferentes coisas, cave poços e marque o seu território com seu xixi. Tudo isso é parte de sua natureza e é perfeitamente normal que ele o faça em lugares permitidos e com os objetos adequados, para que ele possa exercitar os seus dentes.

O problema surge quando esta atividade se torna excessiva e quando ele a empreende contra sapatos, roupa, móveis, plantas ou qualquer elemento de sua propriedade.

A primeira coisa que você deve saber é que você não ganhará nada com a raiva e com o castigo. O mais provável é que você consiga com isso, apenas um reforço destes comportamentos ou o aparecimento de outros sintomas relacionados com o estresse e com a ansiedade.

Note que se você chegar em sua casa e encontrar as suas melhores meias destroçadas e começar a gritar, o seu cão não poderá relacionar a sua raiva com o fato dele ter rasgado suas meias.

Você só deverá repreendê-lo se o encontrar, em flagrante, mastigando o seu sapato ou destroçando sua planta favorita. Depois do ocorrido, já não adianta.

Além disso, por mais que você pense que o animal faz o que faz para se vingar, porque você o deixa sozinho, e que ele conhece perfeitamente o motivo de sua ira, você está errado.

Alguns motivos pelos quais o seu cão destrói tudo o que tem ao alcance dele

Estes comportamentos destrutivos, quando em excesso, costumam ser um sintoma de que algo não está bem com o seu animal de estimação e, na maioria dos casos, estes comportamentos ocorrem quando o animal está sozinho.

Os possíveis motivos são:

  • Tédio: geralmente em animais jovens, nos quais sobra energia, mas carecem de estímulos.
  • Medo: causado por eventos imprevistos, por exemplo, algum ruído incomum.
  • Estresse: pode ser causado por uma mudança de rotina, briga na família, nascimentos, mortes ou mudanças.
  • Ansiedade por separação: ocorre quando os cães não podem suportar ficar sozinhos em casa, afastados de seus donos.

No caso dos filhotes, note que se eles estiverem em período de dentição, a necessidade de morder será maior, para acalmar a inflamação e a dor de suas gengivas.

Como agir com cães com atitudes destrutivas

Cão mordendo sapato

Então, se o seu cão destrói tudo, é hora de apanhar o touro a unha. Procure encontrar as formas mais adequadas de ajudá-lo a canalizar a sua energia. Analise as possíveis causas e encontre as soluções para o seu medo, estresse ou ansiedade.

Por exemplo:

  •  Aumente a sua rotina de passeios e brincadeiras.
  • Proporcione a ele brinquedos adequados, em especial aqueles que podem ser recheados com comida (assim ele ficará distraído por um longo tempo) e também aqueles que ele possa morder sem que corra risco de se machucar ou de se afogar.
  • Se você dispõe de um jardim, reserve ao seu cão um lugar para que ele possa cavar à vontade. Também assegure-se de deixar claro que ele não poderá cavar em outros lugares.
  • Mantenha-o protegido de ruídos externos, feche as janelas ou mantenha-o em cômodos mais afastados da rua.

Nos casos de estresse e ansiedade por separação, o ideal é que você consulte o seu veterinário. O problema passa por uma mudança gradual de certas formas de você se relacionar com o seu cão, para que ele entenda que se você sair, isto não deve ser um problema para ele; principalmente, faça-o compreender que você vai voltar.

Mais paciência e carinho e menos destruição

Lembre-se que educar o seu cão para que ele se comporte devidamente e acate as regras da casa, exigirá de você:

  • Excesso de paciência;
  • Grande quantidade de carinho;
  • Zero castigo;
  • Muito reforço positivo (recompensar o que ele fizer corretamente e ignorar o que ele fizer de ruim).

E que nunca passe pela sua cabeça abandonar o seu cão, por mais que ele tenha destruído o seu objeto mais precioso. O objeto tem substituição. O amor de seu animal de estimação não.

Um exercício interessante que você poderá realizar é gravar o seu amigo peludo quando ele ficar sozinho em casa. Isso ajudará você a entender melhor suas atitudes e a encontrar uma solução adequada para que os dois sejam mais felizes.