Meu cão está doente. Como devo alimentá-lo?

Como alimentar um cão doente

Quando um cão está mal porque tem os sintomas de uma doença, ou está sentindo alguma dor, ele não pode dizer o que sente ou o que se passa com ele. Os donos precisam entender o que está acontecendo e tentar interpretar o seu comportamento.

No que diz respeito à alimentação durante a sua doença, quais são os alimentos mais adequados? Uma dieta bem equilibrada com os nutrientes adequados é uma boa forma de começar a recuperação do nosso animal de estimação. Devemos oferecer-lhe proteínas e carboidratos que proporcionem a energia necessária, além de vitaminas e nutrientes.

Primeiros passos quando um cão está doente

Ração para cães

A primeira coisa que observamos quando nosso cão está doente é que ele deixa de comer e seu organismo vai tirar de seus músculos a energia extra da qual ele precisa, já que a mesma não está sendo oferecida pelos alimentos.

O seu metabolismo se acelera para combater a doença, e isso deve ser compensado com os nutrientes necessários que lhe ajudariam a sarar e serão a base da recuperação.

Meu cão ficou doente. O que ele deve comer?

Na escolha da dieta mais adequada, o primeiro a analisar é a doença que o animal tem. Cada condição teve ser tratada de uma forma individualizada, e a dieta que iremos fornecer ao animal durante esta situação deverá ser definida em função da doença concreta.

Como um exemplo, se existem problemas digestivos, é preciso oferecer alimentos com uma boa quantidade de fibras para ajudar a micro flora do corpo de nosso amigo, sem oferecer muita gordura.

Se nosso cão tem enjoos ou náuseas, diarreia e vômito, devemos dar a ele uma boa quantidade de líquidos, já que, assim como ocorre no caso dos seres humanos, estas condições vão desidratando o seu organismo.

Como conseguir que nosso cão doente coma?

Entre os incentivos que daremos ao nosso cão para que ele tenha vontade de comer nestes momentos em que, provavelmente, comer é a última coisa que ele quer fazer, é usar os seus alimentos preferidos. Se conhecemos seus gostos e preferências, sabemos o que dar a ele nestes momentos.

Uma regra interessante é que os cães costumam preferir os alimentos macios do que as rações fabricadas para eles. Nosso carinho e paciência devem completar o processo para que o animal coma.

Entre os truques que podemos utilizar para que nosso cão coma em seus piores momentos está o aroma potente de alguns alimentos, o que provoca a salivação de nosso amigo e irá despertar o seu interesse pela comida que oferecermos a ele.

Além disso, o calor ressalta os aromas; se aquecermos previamente a comida conseguiremos fazer com que ela tenha um toque mais atraente para o cão.

Além dos alimentos naturais, que sempre são recomendáveis, também foi sendo desenvolvida nos mercados uma grande variedade de produtos para os cães. Além de rações específicas para determinadas condições ou carências, existem outras terapêuticas que servem para a prevenção de determinadas doenças e oferecem uma qualidade de vida ótima para o animal.

Diferentes nutrientes muito necessários

O que dar de comida a um cão doente

Em relação aos nutrientes específicos que devemos oferecer ao nosso animal de estimação para que ele possa se recuperar da sua doença, devemos saber que as proteínas são os elementos básicos para a recuperação, pois fortalecem as defesas e o sistema imunológico de nosso cão. O animal que está doente precisa de mais proteínas do que um que se sente saudável, pois seu corpo está sofrendo um desgaste significativo.

As gorduras e os carboidratos também são uma fonte de energia importante para um cão doente. A gordura deve ser saborosa e atraente para o animal, e tem que estar mais concentrada, para poder oferecer os níveis de energia dos quais ele precisa em um número menor de porções.

No que diz respeito a minerais e vitaminas, a presença destes nutrientes vai ajudar no processo de cura do cão, diminuindo o tempo de recuperação da doença e repondo os níveis físicos desgastados.

Devemos ficar atentos para que a pele de nosso cão e seu pelo não sofram nenhum desgaste durante a doença. Se ele teve uma lesão ou se o veterinário o operou, temos que ficar atentos à região tratada continuamente para que a sua aparência não piore. Qualquer inflamação deve ser tratada por um veterinário o mais rápido possível.

É possível que tenhamos que dar ao nosso amigo de quatro patas a medicação prescrita pelo veterinário, ou que devamos ajudá-lo a se recuperar fisicamente, ou que tenhamos que fazer curativos na região ferida, etc. Tudo isso deve ser sempre supervisionado e aconselhado pelo veterinário que cuida do seu animal.