Meu cão, o melhor companheiro de viagens

Cão, companheiro de viagens

Nosso cão pode ser o melhor companheiro de viagens que podemos vir a ter. Embora possa ocorrer de termos que nos adaptar as suas necessidades, ainda assim sempre será uma boa experiência compartilhar com o nosso pet a aventura de viajar em nossas férias.

As primeiras vezes que escolhermos o nosso cão como companheiro de viagens, poderão acontecer 2 coisas muito diferentes: 

  • O animal se integra bem nas viagens, desfruta e gosta;
  • No outro caso, nosso companheiro pode enjoar, sentir estresse e ansiedade ou estar muito incomodado, e nos fará estar incomodados também. Se for isto o que ocorrer, o melhor é permanecer calmo. Há soluções, passando pela lista de medicamentos que o veterinário poderá receitar.

Antes do dia da viagem, podemos ir fazendo“ensaios”, para que o animal se acostume. De vez em quando, podemos pegar o cão e colocá-lo na caixa de transporte. Ou o colocamos no carro e o deixamos lá por um bom momento. Obviamente com todas as precauções e condições de segurança.

É certo que o nosso animal de estimação irá se adaptar ao ambiente, e quando o carro circular, ele estará integrado, pelo menos o interior do veículo lhe será familiar.

Nosso companheiro de viagem vai se acostumando…

Cão andando de carro

Se o habituarmos simplesmente a estar no carro com o motor desligado, pode ser que o começo da viagem seja menos estressante. Logo, poderemos ir habituando o cão ao ruído do motor ligado e, pouco a pouco, ao movimento. No começo poderão ser viagens muito curtas, onde iremos observar sua reação.

Uma boa técnica é deixar que ele brinque durante estes trajetos curtos com o seu brinquedo favorito. Desta forma, o cão irá associando o viajar e o movimento do carro com um estímulo positivo, e a aprendizagem será mais fácil. Cada vez que o animal entrar no carro, ele saberá que ele terá um momento agradável e divertido, fazendo o que gosta, e isso é muito importante.

Comida, água, brinquedos

No dia da viagem é muito importante que levemos uma boa provisão de água, comida e alguns snacks para tornar o trajeto mais suportável.

Também, será essencial dar um passeio com ele antes de subir ao carro para que ele estique as patas, oxigene-se e faça suas necessidades. Evite dar de comer a ele 2 horas antes da viagem, isso diminuirá o risco de enjoos e seus efeitos dentro do veículo.

Se transportarmos o cão em uma caixa de transporte, ele terá que sentir que a caixa não é seu cárcere. Não empurre o cão para dentro dela, o ideal é que ele entre sozinho. Quando ele estiver no interior e se acomodar, então, poderemos fechá-la. Para que o cão relaxe, podemos usar algum óleo aromático. Podemos passá-lo em nossas mãos e fazermos uma boa massagem nele.

Começando a viagem!

Uma vez que comece a rota, a música ajudará muito. Estações de rádio, música gravada e inclusive o canto. Isto fará que o cão relaxe; os cães gostam de música e desfrutam dela.

Entre os fatores que devemos considerar durante o trajeto está o evitar que o animal coloque a cabeça para fora da janela. Embora ele possa ver a paisagem e se distrair com isso, a realidade é muito diferente e o nosso pet pode vir a sofrer um acidente, além de ter conjuntivite e outros riscos associados. As janelas podem ser baixadas até a metade, de forma que ele não possa colocar a cabeça para fora.

A hidratação contínua é muito importante, dê ao seu amigo peludo algo líquido de vez em quando, com o passar da viagem.

Além disso, é necessário fazer paradas a cada 2 horas de viagem, para que o cão saia e estique as patas. Se tivermos que sair do veículo, deveremos procurar fazer com que o animal nos acompanhe. Nunca deixe o cão trancado no carro, ainda que esteja na sombra. Eles podem sofrer uma insolação.

Hotéis e aviões

Cão na praia

Quando chegarmos ao destino, teremos que escolher um hotel que admita animais. Sempre há hotéis que acolhem cães. Além disso, devemos verificar no planejamento da viagem se na região do hotel há bons locais para passear, isso facilitará em muito a nossa estadia.

Também é importante verificar se onde vamos há locais para comprar a comida que o nosso pet precisa. Se não houver, é melhor levá-la de casa.

Se viajarmos de avião, a primeira coisa é contatar a companhia aérea e consultar os requisitos que eles exigem para o nosso pet. Cada companhia está acostumada a ter um protocolo diferente, e quanto antes saibamos qual é, melhor para evitar surpresas de última hora. Como regra geral, a maioria das companhias admitem que se viaje com o cão, contanto que ele esteja dentro de uma caixa de transporte, e dispõem nos aviões de locais preparados para isso.

Você terá que se assegurar bem de que na caixa de transporte não haja nenhum elemento que possa machucar ao cão durante o trajeto. Muito cuidado com as coleiras ou correias soltas no interior da jaula, com os que o animal poderá vir a se estrangular acidentalmente nelas.