Cão salva um bebê de morrer afogado

 

Os cães são excelentes guardiães, mas além disso, são boas babás. Um bom exemplo disso é o caso de um cão que salvou um bebê de morrer afogado, no Michigan, nos Estados Unidos.

De acordo ao reportado pela imprensa americana, em uma tarde, Patrícia Drauch (30), mãe do bebê, encontrava-se na garagem de sua casa junto a Stanley, seu filho de 14 meses, arrumando umas ferramentas de jardinagem que tinham sido usadas durante o fim de semana. Quando terminou de organizar as ferramentas, ela se deu conta de que o menor já não se encontrava mais ao lado dela.

Drauch informou a uma rede de notícias que o menino sempre a seguia por todas as partes, portanto, quando o viu entrar na garagem confiou que Stanley ficaria com ela. Entretanto, ao que pareceu, o bebê entrou e, de um momento para outro, voltou a sair.

Ao perceber que Stanley não estava mais ao seu lado, Patrícia começou a buscá-lo desesperadamente. Foi então que ela o encontrou deitado de barriga para cima na piscina da família. “Dava medo. Seus lábios estavam azuis” contou Drauch, “Foi a sensação mais espantosa”.

labrador-preto

Depois do impacto inicial, Patrícia correu à piscina e pôde ver que Stanley não se encontrava só. Bear (urso em inglês), seu labrador preto, estava na água carregando o bebê sobre suas costas, o que ajudou a manter fora da água a cabeça do bebê.

O mais incrível é que Bear não se moveu um centímetro até que Patrícia tomou a Stanley em seus braços, nem tampouco emitiu um só som. Parecia que o cão tinha medo de fazer algo que pudesse jogar o bebê para o fundo da piscina. Isso se deu até que Patrícia chegou no local onde o bebê estava e o tomou em seus braços, daí então o cão saiu da piscina.

Quando a mãe tomou a Stanley, este se encontrava inconsciente e não respondia aos estímulos que ela lhe aplicava. Ela tentou ligar para o número de emergência, mas seu celular não conseguia efetuar a chamada. Portanto, ela pegou novamente o bebê e o pôs no automóvel junto de seus outros filhos, dirigindo-se imediatamente ao corpo de bombeiros, que ficava próximo de sua moradia. Felizmente, no trajeto Stanley despertou e vomitou.

No momento em que o bebê chegou ao corpo de bombeiros, foi constatado que ele estava em boas condições de saúde e alerta. Para a mãe de Stanley, o bebê não se afogou por auxílio do cão Bear, pois o fato do menino ter vomitado significa que ele engoliu água durante um tempo, antes que o cão o levasse para a superfície.

Portanto, apesar de não haver testemunhas do valoroso resgate, tantos os familiares do bebê como os membros do corpo de bombeiros concluíram que, graças à rápida ação do cão, Stanley se encontra com vida.

labrador2

Forte instinto

A ação do cão Bear foi simplesmente surpreendente, embora não corresponda a um caso isolado. São muitas as situações nas quais se reportaram casos de cães resgatando pessoas da água.

O fato de Bear ser um cão Labrador, também tem muito a ver com o resgate que ele levou a cabo. Os labradores eram usados anteriormente para resgatar presas durante a caça, treinados especialmente para as encontrar em rios e lagos.

O que parece desconcertar um pouco, é a forma como esse cão fez o resgate, pois na maioria das vezes os cães optam por tirar a vítima usando o focinho, embora também se reportou que em certas ocasiões eles usam seu lombo para que a vítima se apoie neste, mas o bebê se encontrava inconsciente e não saberia como fazer isto.

Além disto, os cães tendem a tratar os bebês como se fossem seus filhotes, reconhecendo que são indefesos e por isso são mais protetores com eles.

Seja qual for a situação, graças a atuação deste cão, Stanley poderá ter uma vida longa e, esperamos que, longe de qualquer tipo de acidentes.