O cão sem nome e sua trágica história

Cão sem nome

A primeira coisa que fazemos ao trazer para casa um pet é lhe dar um nome. Como vamos ter um amigo que não sabemos o nome? É impossível! Bom, pois não é tanto, e para lhe demonstrar isso vamos contar a história de um cão que o dono amava muito (de fato, era seu único companheiro na vida) e que não tinha nome.

Porém, este cão sem nome não teve um final feliz. Apesar do endurecimento das penas contra o maltrato animal na Espanha, ainda há pessoas cruéis que fazem mal aos animais pelo simples prazer de sentir adrenalina. Dizem que tudo neste mundo se paga. Depois de sabermos deste caso, desejamos ainda mais que isto seja verdade.

O cão sem nome

homem-e-cão

Este cão sem nome vivia junto ao seu dono de 87 anos na localidade de Ribeira, em Zamora, na Espanha.

Um dia, seu dono, Antônio Velasco, faleceu. Ninguém soube até que os vizinhos começaram a sentir a falta dele. É que Antônio todos os dias fazia seus trabalhos e ia fazer suas compras de comida e de outros suprimentos.

Quando os vizinhos se deram conta de que já havia vários dias que não o viam, foram a sua casa e ali o acharam morto, junto ao seu cão sem nome. Seu pet se negou sair da casa e ficou ali vivendo como se Antônio continuasse com ele.

Um familiar de Antônio se encarregava de ir lhe dar comida diariamente. Ele ia, punha comida e retornava. Ele sabia que o cão sem nome sempre estava lá, até que não o viu mais. Foi então que se deu conta de que algo terrível tinha ocorrido e 5 dias já tinham se passado sem que ele visse o cão.

O trágico destino do cão sem nome

Alguém que passava pela Ponte Pinheiro, que liga a Villadepera com outra localidade chamada Pinheiro, informou ter visto um corpo pendurado na ponte. Era um cão que tinha uma pedra pendurada no pescoço. Não faz muito tempo um caso similar ocorreu e, em ambos os casos, a falta de provas impediu que o criminoso fosse punido.

Ante o aviso, a Guarda Civil foi até o lugar dos fatos para resgatar o corpo. E, então, verificou-se que alguém amarrou a pedra para atirá-lo para baixo, mas a corda que sustentava a pedra se enrolou em uma parte da estrutura da ponte e o bichinho ficou pendurando. Não se sabe se quando o lançaram ele estava morto ou se teve que sofrer a angustiante morte por enforcamento.

Seja como for, foi um ato de crueldade sem escrúpulos que esperamos que possa ser esclarecido e que o culpado seja condenado.

Duro resgate

cão-na-rua

Quando a Guarda Civil chegou ao lugar dos fatos, disposta a recuperar o corpo do cão sem nome, viram que o lugar no qual o animal ficou pendurado era de grande dificuldade de acesso, por isso tentaram resgatá-lo mediante uma escalada.

Porém, isso poderia colocar em perigo a vida dos agentes, por isso chamaram o GREIM (Grupo de Resgate e Intervenção em Montanha).

Eles puderam “resgatar” o animal mediante a descida pela ponte até o lugar onde estava o cão. Embora o plano inicial era baixar até a borda e dali tomar uma embarcação, considerou-se mais factível subir de novo pela ponte com o animal.

Uma vez resgatado o corpo do cão sem nome, ele foi entregue à polícia, que se encarregou da investigação para descobrir as causas da morte e saber se houve algum possível indício de quem poderia havê-lo feito.

A maldade do homem

Uma história triste. A quem poderia incomodar que um cão órfão vivesse na casa de seu dono sem incomodar ninguém? E será que matá-lo era a única opção?

A crueldade do homem para com os animais não tem limites e não é de se estranhar que muitos deles se rebelem ante a nossa presença. Desejamos muito que chegue logo o dia no qual as pessoas que maltratam os animais recebam seu castigo.