Cão sofria rejeição por todos por ter cara de mal-humorado

rejeição

Cornélio é um cão que todo mundo rejeitava por sua cara de mal-humorado, sem se darem conta de que ele tinha uma doença. A deformidade de seu focinho o fazia parecer sempre aborrecido e, por isso, ele sofria rejeição.

Atualmente, Cornélio é muito seguido nas redes sociais e já não sofre mais rejeição. Sua história aconteceu em Toronto, Canadá.

Cornélio era o menor filhote de uma ninhada. Por azar, ele também nasceu com uma condição genética que deformava um pouco seu focinho. Por isso, sua aparência sempre dava a impressão que ele estava de mau humor, inclusive quando estava dormindo.

Mas não é só isso, ele também nasceu com leucismo, uma condição pouco comum. Assim como o albinismo, a pigmentação da pele é zero, quer dizer, parece não ter nenhuma cor, exceto a de seus belos olhos.

cao-sofria-rejeicao-2

Fonte: Facebook do Mister Cornelius

Mesmo com o passar do tempo, nada mudava e a rejeição permanecia

À medida que o tempo se passava para Cornélio, todos viam como seus irmãos tinham um perfeito estado de saúde, e a rejeição a ele continuava. Este cãozinho era olhado por todas as pessoas com assombro e, consequentemente, elas o rejeitavam.

Depois de sua recente adoção, Cornélio, em poucos dias, se tornou uma “estrela” nas redes sociais. A modo de exemplo, no Instagram ele já tem mais de 2,3 mil seguidores. Inclusive, apesar de sua doença, há vezes em que ele parece tentar sorrir e isso o torna belo.

Doenças comuns nos pugs

Assim como ocorre com outras raças, os pugs também têm doenças características de sua raça. Eles podem sofrer com problemas respiratórios, entre outras coisas, porque são braquicefálicos. Isso quer dizer que os ossos de seu crânio são muito pequenos.

Outras complicações que essa raça pode ter são: síndrome pulmonar obstrutiva, luxação de rótula, displasia de quadril, problemas nos olhos, etc.

O aspecto físico não é tão importante

Na hora de adotar um cão, sempre é melhor escolhê-lo por sua personalidade, do que por seu aspecto físico. Este último aspecto não deveria gerar rejeição.

Se você for a uma associação protetora ou a um abrigo, é interessante dizer aos cuidadores e cuidadoras a personalidade que você gostaria que tivesse seu novo amigo, mais que sua beleza estética.

A partir de sua personalidade, você poderá expor outras variáveis diferentes. Pode preferir que seja médio ou grande, ou pequeno, ou com pelos compridos, ou curtos, ou branco, ou cruzamento de nórdico ou de mastim, ou cão de caça, etc.

Um cão não é um acessório de moda para combinar com uma roupa determinada. Trata-se de um ser vivo com personalidade, preferências e peculiaridades, assim como necessidades vitais. Entre elas, encontra-se a necessidade de carinho. Um carinho que ele saberá devolver multiplicado.

Os cuidados e a limpeza

Você também terá que considerar a limpeza necessária no caso dos animais que você encontrar abandonados ou em um abrigo. A sua rejeição inicial ao peludo pode mudar. Embora possa faltar ao cão um bom banho, uma escovação e os cuidados mínimos, nos olhos de um cão abandonado sempre haverá beleza. Sempre há amor e nunca ressentimento.

Os benefícios da adoção

A adoção é muito mais interessante do que comprar um animal de estimação. Embora no momento de adotar todo mundo pareça querer que o animal seja muito bonito, os cães menos agraciados no aspecto físico também têm o direito de serem amados.

Leve em conta os gastos de se ter um animal de estimação

cao-sofria-rejeicao-3

Fonte: Facebook do Mister Cornelius

Principalmente no primeiro ano de vida do animal, há muitos gastos que são importantes levar em conta.

Entre estes gastos, está a própria compra ou adoção. Inclui ainda a identificação do animal através de um microchip. Depois, está a possível esterilização, a compra de acessórios, uma caixa de transporte para levá-lo de um lugar para outro, alguns brinquedos, a coleira e a correia no caso dos cães, um seguro de responsabilidade civil se o animal for de grande porte, etc.

Apesar disso poder parecer um gasto sem retorno, a verdade é que deve ser considerado como um investimento para se ter um animal de estimação em casa com todas as exigências legais e da forma mais saudável possível.

Quando o nosso cão já deixou de ser filhote, os gastos continuam. A alimentação, que deve ser de qualidade, muda, há a visita anual ao veterinário, as vacinas e outros tratamentos antiparasitários, banho e tosa, etc.

A responsabilidade é o fator fundamental na hora de tomar a decisão de se ter e de adotar um animal de estimação.

Fonte das imagens: Facebook do Mister Cornelius