5 causas de fobia nos gatos

Quem tem um gatinho sabe como eles são sensíveis a situações que mudam sua rotina diária. Desde barulhos incomuns até a mudança do lugar dos móveis, contaremos a você quais as principais causas de fobias em gatos e como solucionar esse problema.

Conheça algumas das causas de fobia em gatos

Os gatos domésticos são animais territoriais e que querem ter o controle sobre o lugar que habitam. É justamente por isso que algumas mudanças no ambiente podem provocar medo. Mas quanto o medo fica desproporcional, se transforma em fobia.

Entre as principais causas que provocam esse medo exagerado, podemos destacar:

filhote_de_gato_mordendo_dedo

  1. Ruídos estranhos e repentinos. Por exemplo: trovões, alarmes, sirenes, eletrodomésticos em funcionamento etc.
  2. Presença de pessoas estranhas na casa. Isso pode ocorrer se o gatinho não foi socializado corretamente.
  3. Contato com animais desconhecidos.
  4. Mudança temporária ou definitiva para um lugar estranho a ele.
  5. Mudanças na ordem dos móveis ou presença de novos objetos em casa.

“As fobias nos gatos são fáceis de detectar, mas difíceis de tratar. Por isso é muito importante aprender a detectar os sinais de ansiedade e medo em seu amigo felino, evitando, assim, que o problema fique maior.”

Como reconhecer um gato com fobia

As fobias são facilmente detectadas em gatos e costumam ter solução, apesar de serem mais difíceis de tratar que o simples medo. Portanto, é muito importante conseguir identificar os sinais a tempo.

Ante situações que consideram perigosas, os felinos desenvolvem um estado de ansiedade e podem reagir de diversas formas, entre elas:

  • Fogem e se escondem em um lugar que consideram seguro.
  • Mostram intenção de atacar (os pelos ficam eriçados, arqueiam as costas, bufam ou inclinam as orelhas para trás).
  • Ficam imóveis, como se estivessem paralisados, ou até mesmo tremem.
  • Podem ter taquicardia e diarreia.
  • Ficam hiperativos ou agressivos.
  • Marcam território com urina ou fezes em qualquer parte da casa.
  • Lambem-se em excesso, podendo provocar alopecia (redução de pelos em uma região do corpo).

Dicas para lidar com um gatinho com fobia

Lembre-se de que você não deve se aproximar de um gato quando ele está alterado pelo medo, muito menos tocá-lo ou tentar segurá-lo. O mais provável é que o animal tente arranhar você.

Deixe-o só por um tempo e, quando estiver mais calmo, tente se aproximar novamente, sem forçar o gatinho.

Além disso, o ideal é que o felino possa contar com um espaço em casa onde se sinta seguro e possa se esconder quando se sentir intimidado.

Lembre-se de que você não deve nunca estimular esse tipo de comportamento de seu amigo felino. Muito menos repreender ou castigar o animal. Você só conseguirá agravar a situação, tornando a recuperação ainda mais difícil.

Consulte um especialista em comportamento animal

Para curar esse “medo intenso e irracional ante uma coisa ou situação”, como define o dicionário, provavelmente será necessária a ajuda de um profissional.

Um veterinário ou um especialista em comportamento animal (etólogo) são os mais indicados para diagnosticar corretamente e determinar como solucionar esse problema de seu bicho de estimação.

Mas você pode ajudar, identificando a quais situações, seres ou objetos o seu amigo felino reage com medo. Dessa maneira, preste muita atenção ao comportamento dele para poder explicar detalhadamente ao profissional tudo o que você observou.

veterinario-gato

Como tratar a fobia em gatos

Uma possível solução para esse problema é expor o animalzinho, muito lentamente, à situação que lhe provoca ansiedade e temor. Assim, o bichano perderá pouco a pouco o seu medo.

Por isso é muito importante dar alguma recompensa para o peludo quando ele conquistar algum avanço, seja com carícias, palavras carinhosas ou algum alimento que ele gosta.

Você verá que a paciência e o amor são chaves fundamentais na convivência, tanto com animais de estimação como com pessoas.