Cereais para cães: por que não posso dar?

Cereais para cães

A dieta adequada para os nossos amigos peludos é sempre uma fonte de discussões e que conduzem, em muitos casos, a posições extremas. Uma dessas discussões inclui se é bom ou ruim incluir cereais para cães na dieta cotidiana dos nossos amigos peludos.

Posições contrárias aos cereais para cães

Quem se opõe à utilização de cereais para cães argumenta que estes não são parte de sua alimentação natural. Como são seres carnívoros, a dieta dos cães deve ser rica em proteína animal. Além disso, não requer hidratos de carbonos, porque os cães obtêm energia da gordura.

Muitos assinalam que a incorporação destes alimentos na dieta dos cães se deu de forma maciça com o desenvolvimento de rações para animais. E isso, que resultou em um bom negócio para alguns, é algo nocivo para os cães.

Também pregam que a dieta adequada para os nossos companheiros de quatro patas deve ser ajustada o máximo possível ao que era sua alimentação natural, antes que o homem os domesticassem, dado que o organismo dos cães não está preparado para digerir cereais.

Consequências negativas do consumo de cereais

Labrador deitado

Conforme explicam estes especialistas, os cães carecem das enzimas necessárias para romper as cadeias de hidratos de carbono complexo (os amidos).

Isso gera, por exemplo, um sobre-esforço do pâncreas. Propiciando, assim, a aparição de certas enfermidades que, antes de que os alimentos balanceados fossem a base da alimentação de muitos animais de estimação, não se diagnosticavam de forma tão maciça como na atualidade. Entre elas:

Antes da ração

O certo é que, antes que surgisse a indústria de alimentos para animais de estimação, estes amigos peludos se alimentavam como podiam ou como queriam os seus donos.

Em geral, o faziam com as sobras do almoço e do jantar, incluíam ou não cereais e outros elementos, nem todos adequados para uma correta nutrição.

Para não mencionar os animais abandonados, que tanto no passado como atualmente, sobrevivem com o que conseguem no lixo.

Evolução e adaptação

Também é certo que tudo evolui. Um estudo da revista Nature confirma, contra a opinião de muitos, que atualmente os cães têm tolerância ao amido.

Segundo esta investigação, os cães teriam se adaptado às dietas ricas neste hidrato de carbono complexo devido a uma mutação genética que permite, na atualidade, aos cães assimilá-lo.

A conclusão é que, o abandono de uma alimentação estritamente carnívora pode ter sido a chave desta mutação.

Mas, embora a inclusão de cereais na alimentação dos cães não seja prejudicial, de acordo com os resultados desta pesquisa, o fato dos cães terem se adaptado à digestão de amidos, não significa que estes devam ser sua principal fonte de energia.

Uma dieta natural e rica em proteínas animais é a melhor opção para o seu cão.

Uma alimentação equilibrada

Cachorro esperando ração

Autor: Fernando Dall’Acqua

Em concordância com este estudo, alguns especialistas em nutrição animal – embora reconheçam que o cão não necessite de cereais em sua dieta – assinalam queos cães podem consumi-los, apesar de não ser a melhor opção para uma alimentação adequada.

Dar ao seu peludo um bom prato de arroz com frango ou de carne com massa, não é algo ruim, salvo se o animal tiver intolerância a glúten. Mas também não é o ideal, já que o seu cão continua sendo um animal carnívoro.

Em resumo, segundo estes nutricionistas animais, se você der ao seu peludo uma dieta rica em proteínas, poderá incluir nela uma porção menor de cereais.

Dieta saudável e natural para o seu cão

Algo que todas as posições parecem concordar é que a melhor opção para o seu cão é uma alimentação caseira – crua ou cozida -, que tenha como fonte principal a proteína animal e uma menor proporção de vegetais.

E, se você escolher alimentá-lo com ração, compre preferencialmente aquelas que indiquem expressamente que não utilizam cereais para cães e as que utilizam a menor quantidade de conservantes possível.

Se você tiver dúvidas de como alimentar corretamente o seu amigo de quatro patas, o melhor a fazer é consultar um veterinário ou um especialista em nutrição animal. Não fique sozinho com uma opinião e procure tirar as suas próprias conclusões.

Créditos da imagem: Lobato.