Comida para cães e dúvidas frequentes sobre elas

A alimentação de nosso cão é de vital importância. Por isso, neste artigo você terá algumas dicas essenciais para mantê-lo saudável e para escolher bem a sua comida, porque uma alimentação errada poderá causar problemas de saúde, como vômitos, diarreia ou anemia.

A comida do meu filhote

A ração dos filhotes

A primeira coisa a se considerar é quantas vezes por dia você deve alimentar o seu filhote. Por exemplo, você sabia que os filhotes precisam comer mais vezes que um cão adulto e em quantidades mais reduzidas?

Quantas vezes o meu filhote deve comer, então? Eles devem comer pelo menos 4 vezes ao dia, até atingirem os 3 meses de idade, em pequenas porções. A partir de 6 meses, devem comer 3 vezes ao dia.

Daí em diante, até o primeiro ano de vida, você poderá alimentá-lo 2 vezes ao dia e, passando do primeiro ano, só será necessário que ele coma 1 vez ao dia.

Posso umedecer a comida de meu filhote? Sim. Ainda mais se ele for muito pequeno, é melhor umedecer a ração para que seja mais fácil de mastigar, pela pouca paciência que eles têm para comer.

Em que momentos do dia devo alimentá-los? O ideal é alimentá-los na mesma hora do dia para que compreendam a dinâmica da comida e, se isso não acontecer, podemos lhe retirar o prato passados 30 minutos para que ele entenda qual é o horário de sua comida.

Como posso mudar o alimento do meu filhote? O ideal é não fazer isso muitas vezes, mas, se for necessário, o melhor é fazer gradualmente, isto é, ao longo de um período de 5 a 10 dias.

Sempre aumentando a quantidade do alimento novo e diminuindo o anterior. O ideal é estimular a nosso cão a comer alimentos secos, porque são bons para a dentição e troca de dentes.

A comida ideal para os cães adultos

Ração para os cães adultos

A que horas os cães devem comer? O ideal é alimentá-los a noite, depois de realizarem toda sua atividade física durante o dia, antes das horas de descanso, já que em cães grandes pode ser que tenham problemas no estômago, sobretudo, se após comer saem para brincar.

Em tais casos, poderia ser produzida uma torção do estômago devido aos movimentos.

Quanta comida devemos dar a eles? Devemos seguir as recomendações que nos indicam os fabricantes de rações ou das latas dos alimentos, já que a quantidade será em relação ao peso e ao tamanho de nosso cão. Às vezes também dependerá da raça.

Há diferenças entre os alimentos secos, enlatados e semiúmidos? Cada tipo de alimento pode proporcionar uma nutrição completa e balanceada.

A diferença entre estes produtos se dá, principalmente, na quantidade de umidade, que lhes dá características exclusivas.

As comidas secas para cães são as mais econômicas do mercado. São convenientes para guardar e servir, devido a sua durabilidade. As bolachas, por exemplo, ajudam a reduzir a formação de placa e tártaros nos dentes dos animais.

Os alimentos semiúmidos são, geralmente, mais saborosos que os secos, são bons também para o armazenarmos e servir, alguns deles não requerem refrigeração. No entanto, são mais caros que os produtos secos.

Os alimentos enlatados para cães têm maior quantidade de umidade, portanto, são os que menos nutrientes têm por quilo e, além disto, requerem uma porção maior. Ainda que sejam muito saborosos para os nossos cães, são menos convenientes para nós.

O que devo fazer se meu animal de estimação estiver engordando? Em primeiro, parar de dar petiscos. Em segundo, ajustar a dose de sua comida. Em terceiro, aumentar o exercício físico de seu cachorro. Como última opção você poderia considerar trocar o alimento por um com menos calorias.

Sempre é uma boa ideia consultar o veterinário antes de colocar em prática qualquer mudança na alimentação de nossos cães: recordemos que cada um tem necessidades diferentes.