Como alimentar um gato com diarreia

A diarreia é caracterizada por evacuações frequentes de fezes moles ou líquidas. Pode ser causada por uma mudança na dieta, infecção ou uma doença grave. O tempo de duração depende de cada caso. Podem ser súbitas ou durarem semanas ou meses. 

Um gato com diarreia não deve ser motivo de preocupação se essa condição não persistir por mais de um dia, caso persista, você deverá levar o seu animal de estimação ao veterinário porque seu gato poderá ficar desidratado.

O que causa a diarreia?

O que causa a diarreia nos gatos?

A diarreia pode ser causada por várias razões. Uma das mais frequentes é uma mudança na dieta.

Também pode ocorrer pela ingestão de determinados alimentos que não estejam em bom estado. Outra causa refere-se a uma infecção bacteriana ou uma doença inflamatória intestinal.

Outros motivos estão relacionados com doenças renais ou hepáticas, câncer ou outros tumores do aparelho digestivo. Ela também pode ocorrer pela ingestão de determinados medicamentos ou por hipertireoidismo.

Os sintomas mais comuns da diarreia são as fezes frequentes. Outros sinais incluem flatulências, presença de sangue nas fezes, esforço e uma maior urgência para ir ao banheiro.

Também causa letargia, desidratação, febre, vômitos, perda de apetite e redução de peso.

Se a diarreia de seu gato vier acompanhada de fezes com sangue, ele poderá estar sofrendo de hemorragia no estômago ou intestino. Portanto, ele deve ser examinado imediatamente por um veterinário.

Um gato com diarreia, se não for examinado a tempo, e se não forem tomadas certas precauções, poderá desenvolver uma condição de maior gravidade.

Nesse sentido, é muito importante cuidar de sua dieta. É que, tendo este problema, é aconselhável que se evite alimentá-lo entre 12 e 24 horas. No entanto, você deve fornecer água fresca e limpa, para evitar uma desidratação.

Para introduzir bactérias úteis no trato digestivo, os gatos podem consumir probióticos. Os probióticos para o consumo humano também podem ser bastante benéficos para os gatos, já que eles, muitas vezes, contêm mais de uma espécie de bactérias úteis e benéficas.

Em lojas que vendem vitaminas você pode obter cápsulas de probióticos, que podem conter até 7 bilhões de microrganismos por unidade.

Então, os seus gatinhos poderão consumi-los misturados pela metade na dose de sua refeição, duas vezes por dia. Se você quiser, também pode dissolver e dar a eles com uma seringa.

O iogurte natural sem gordura é um outro método para introduzir bactérias benéficas no trato digestivo de um gato. Muitos gatos adoram. Você pode dar à eles uma ou duas colheres de sopa por dia.

Como a diarreia em gatos pode ser evitada?

Como evitar a diarreia em gatos?

Os gatos normalmente não devem ter diarreia. Os gatos que têm bolas de pelo também podem passar por esse tipo de problema.

No entanto, isso também pode indicar outros problemas: uma doença inflamatória intestinal, poe exemplo. Se for esse o caso, deve ser tratada imediatamente.

Por outro lado, os gatos que passam muito tempo ao ar livre podem correr um risco maior de contraírem parasitas internos e de comerem alimentos inadequados.

Esse tipo de situação também pode ser uma das causas da diarreia. Por esta razão, você deve monitorar os hábitos do seu gatinho.

Evite produtos lácteos na dieta do seu gato, não importa o quanto ele goste. Quase todos os gatos gostam do sabor do leite e do iogurte, mas alguns animais adultos são intolerantes à lactose, a enzima necessária para a digestão de qualquer tipo de comida láctea.

A lactose não é digerida no intestino dos gatinhos, lá ela fermenta causando gases ou diarreia. Portanto, o melhor é que você não a inclua na dieta de seus bichanos.

Por outro lado, se você decidiu mudar a alimentação do seu gato, o mais adequado é introduzi-la aos poucos, misturando com a marca antiga para garantir uma transição mais fácil no trato digestivo do seu animal de estimação.

No caso da diarreia continuar, leve o seu gato ao veterinário. Ele irá examinar o seu animal para detectar ou descartar doenças subjacentes.

Para fazer isso, será colhida uma amostra de sangue e também de excrementos, para determinar a presença de parasitas internos.

Outros testes de diagnóstico podem incluir radiografias, ultrassom, endoscopia e até uma biópsia. Os exames e os tratamentos recomendados irão depender do tempo que a diarreia esteve presente e das condições em que o seu animal de estimação se encontra.