Como cachorros ajudam crianças autistas

Os cachorros têm feito companhia aos seres humanos por centenas de anos. Na verdade, não existe uma cidade, povoado ou aldeia em que não existam cães. Nós estamos tão habituados a eles como eles estão a nós. Por isso, seria quase impossível imaginar um mundo sem cachorros. É por essa razão que eles também nos auxiliam em campos tão pessoais como a saúde, especialmente quando se trata de crianças.

Crescer com um cachorro é uma experiência bela. No entanto, existem situações em que se poderia pensar que não seria adequado ter um animal de estimação. No entanto, isso não é mais que uma simples aparência.

A seguir veremos como os cachorros são capazes de beneficiar crianças autistas.

O que é o autismo e como os animais de estimação ajudam

Como os cachorros ajudam crianças com autismo

Em termos simples, o autismo é uma condição de desenvolvimento do sistema neurológico que tem suas etapas iniciais durante a infância e é mantida durante toda a vida do indivíduo.

Ele se apresenta de maneiras muito variadas, incluindo formas severas de transtornos de socialização, como o Asperger, que afetam principalmente a maneira com que as pessoas se comportam e interagem em seu processo de aprendizagem e linguagem.

Atualmente, os motivos que causam o surgimento do autismo não são conhecidos. Porém, presume-se que fatores genéticos e ambientais tenham a ver com seu desenvolvimento.

A condição não tem um tratamento específico, no entanto, os esforços se concentram em maximizar as capacidades da pessoa, para que ela possa levar a vida mais próxima do normal e da forma mais independente possível.

Dentro disso estão incluídas terapias de linguagem, motrizes, sociais e alguns medicamentos para o controle de sintomas típicos.

De acordo com um estudo realizado pela Universidade de Missouri (EUA), crianças com autismo que possuem algum animal de estimação têm maiores habilidades sociais se comparadas a crianças que não os possuem.

No caso das crianças que têm cachorro, elas apresentam melhor desenvolvimento dessas habilidades. Isso pode acontecer devido às necessidades afetivas dos cães e de suas maneiras de expressar carinho.

Ainda que alguns animais de estimação possam se mostrar um pouco relutantes ou não sejam apropriados para se manipular constantemente, os cachorros são muito efusivos em suas demonstrações de carinho, além de buscar atenção e companhia.

Vejamos alguns desses benefícios com maior detalhamento.

Maior socialização

Como dissemos acima, o estudo descobriu que crianças com autismo e que convivem com qualquer tipo de animal de estimação reagem bem dentro dos processos de terapia social.

No entanto, (ainda que isso varie de acordo com as características do autismo presente em cada criança) a interação com os cachorros resultaram ser extremamente benéficas nesse aspecto.

O cachorro se transforma em parte das dinâmicas sociais da criança, de suas atividades e de seus centros de interesses.

Elas se envolveram mais com as pessoas que compõe seu lar

A influência de cães em crianças autistas

Devido à posse responsável de animais de estimação e de ficar alerta para as necessidades das crianças, as brincadeiras com o cachorro acabam se tornando uma ponte para unir as pessoas que compõem a família.

Os passeios e as longas caminhadas acabam se tornando desculpas perfeitas para incluir a criança e expô-la a situações em que ela se vê envolvida em diferentes dinâmicas de interação e recreação.

As crianças com autismo têm dificuldades para se aproximar de pessoas que são alheias à sua casa, mas se esse indivíduo começa um diálogo conversando com o cachorro, terá mais possibilidade de que a criança responda diante dessa situação e se mostre mais aberta a continuar a conversação.

Compreensão de atitudes e comportamentos

Possivelmente, uma das situações mais difíceis de lidar em relação às crianças autistas é decodificar diferentes atitudes e comportamentos humanos, tais como gestos e entendimentos da linguagem corporal.

No entanto, por meio da interação constante com cachorros, os pequenos podem entrar nesse mundo e começar a compreender desde os níveis mais básicos (o nível animal) até as estruturas mais complexas da linguagem.

Interessa-se pelo animal de estimação e pesquisa sobre ele

A criança também desenvolve uma relação de interesse sobre o animal de estimação, o que a leva a querer conhecer mais sobre o cachorro. Tudo o que está relacionado com o cão se torna um tema relevante e, portanto, isso facilita o processo de socialização abrindo sempre uma porta de comunicação para o uso de temas semelhantes.