Como ensinar seu cachorro a ficar sozinho em casa

Seu cachorro fica se lamentando, uiva, sai fazendo escavações, morde, destroça objetos ou destrói tudo o que vê pela frente quando você sai de casa?  Isso acontece porque ele não sabe ficar sozinho. Os cães necessitam de atenção e cuidados, todavia, também precisam aprender a permanecer em casa sem a presença de qualquer membro da família. Agora vamos lhe mostrar alguns truques para ensinar seu cachorro a ficar sozinho em casa.

Por que um cachorro não quer ficar sozinho?

Como ensinar seu cachorro ficar sozinho em casa

A resistência a ficar sozinho em casa pode se originar de um cachorro inseguro ou mesmo por traumas do passado. Os cães nascidos e criados em lugares perigosos são filhos de mães medrosas e infelizes que não puderam ensinar suas crias a serem animais equilibrados.

Também é possível que não tenham amamentado as suas crias por tempo suficiente, uma vez que os criadores tiraram os filhotes muito cedo. Isso os tornou cachorros medrosos e inseguros por natureza.

Além disso, os filhotes abandonados ou maltratados sofrem de pânico crônico e às vezes o excesso de atenção por parte dos donos também provoca no cachorro certa resistência a permanecer sozinho.

Os grandes traumas, inseguranças ou maus-tratos podem dar lugar a uma síndrome chamada ansiedade de separação.

Como consigo que meu cachorro fique em casa sozinho e tranquilo?

Como acostumar seu cachorro ficar sozinho

Se dermos pouca liberdade e vigilância aos cachorros durante suas primeiras semanas de vida, uma série de problemas de comportamento podem ser desenvolvidos, como fazer suas necessidades dentro de casa, mastigar objetos, escavar ou latir continuamente.

Para evitar isso, devemos seguir uma série de normas quando estivermos em casa com o cão e certos procedimentos quando deixarmos o local.

O primeiro deles é exercitar o cachorro, levá-lo para passear todos os dias, com tempo e dedicação, e brincar com ele para que seu animal de estimação possa liberar e descarregar toda a energia acumulada. Assim, quando ficar sozinho, estará feliz para aninhar-se e descansar.

Tenha cuidado e não o torne excessivamente dependente de você.  Quando estiver em casa com ele, deverá dedicar algum tempo para brincar e fazer mimos, porém, deverá deixar tempo para que ele se entretenha sozinho enquanto você faz outras coisas. Assim que ele vier pedindo mais mimos e você já tenha lhe dedicado tempo, o ignore.

Além disso, o ignore quando sair de casa e quando chegar. Tem que ensinar que o fato de sair e voltar não são uma coisa de grande importância e não devem ser motivo para celebração ou preocupação.

Não se despeça nem faça algo caso ele vem lhe saudar muito calorosamente na chegada. Espere que se tranquilize antes de cumprimentá-lo.

Outra coisa importante é não repreendê-lo por cada coisa errada que faça, pois isso apenas criará desconfiança, estresse crônico e dependência de seu dono, uma vez atenção negativa, de qualquer maneira, ainda é atenção.

O que deve fazer é ser um exemplo de tranquilidade e segurança para seu cachorro e cumprir sempre a mesma rotina. Os cachorros são animais de costumes, que aprendem pela repetição.

Dessa maneira , assim que se acostumarem que você vai fazer as mesmas coisas todos os dias, se adaptarão rapidamente a ficar sozinhos, pois saberão que ainda que se vá, irá sempre voltar.

Para acostumá-lo pouco a pouco ao fato de que você irá sair todos os dias, comece deixando a casa por espaços curtos e vá ampliando a duração das saídas até que deixe a residência durante o período de tempo que vá ficar fora habitualmente.

É conveniente que o alimente antes de sair, pois depois de comer ele ficará com sono e poderá tirar uma soneca enquanto você não estiver em casa.

Também é importante que exista um lugar para o cão aconchegar-se e sentir-se seguro, onde possa refugiar-se quando você não estiver.

Seria interessante se existir um cômodo que possa ser fechado quando você sair para que ele não fique distraído com tudo que há pela casa.

Simplesmente tranque-o em um quarto com três brinquedos, sua cama, água e leve-o para passear quando chegar e já tenha se acalmado. Outra possível solução, ainda que não necessariamente boa e recomendável, é introduzir outro cachorro na casa para que um faça companhia ao outro e se entretenham.

No entanto, isso depende de suas possibilidades econômicas e da disponibilidade de tempo que tenha, uma vez que dois cães requerem o dobro de atenção,  não a metade.