Como saber o sexo de um papagaio?

Quando adquirimos um ave, normalmente, seu sexo é desconhecido; e mesmo que ele seja conhecido, pode ser que não seja o sexo correto. Diferenciar o sexo das aves, em geral, é complicado, porque os órgãos reprodutores são internos e, portanto, não são visíveis externamente. Não é estranho que uma pessoa passe 4 anos com seu animal e, de repente, descubra que seu papagaio chamado Kevin é, na verdade, uma fêmea. Vamos contar aqui os diferentes métodos para saber o sexo de um louro ou melhor, papagaio.

Quando falamos de papagaios em geral, normalmente estamos falando da família dos psittaciformes, um grupo de aves também conhecidas como aves de bico curvo que inclui louros, ou papagaios, periquitos, periquitos e araras.
No caso dos periquitos, a diferenciação entre macho e fêmea é muito fácil,  já que esse tipo de ave possui diferenças físicas destacáveis, como é a cor da cera do nariz.

A cera é a membrana que cobre os orifícios nasais situados na parte superior do bico. Os machos têm a cera de cor azul (ou, dependendo da variedade, rosa) e as fêmeas de cor branca azulada ou marrom.

As cores definitivas não se desenvolvem até que o periquito torne-se adulto, mas é uma forma muito fácil para conhecer o seu sexo, quando se deseja realizar um cruzamento. Para os demais psittaciformes, será necessário verificar outros fatores.

Caracteres sexuais secundárias

sexo-loros-2

Os caracteres sexuais secundários são atributos que não têm relação direta com o aparelho reprodutor, mas que são diferentes nos machos e nas fêmeas. São desenvolvidos na puberdade e são mais evidentes na etapa adulta.

Um exemplo nos seres humanos é a voz. Embora ela não tem relação direta com o órgão reprodutor, os homens costumam ter a voz mais grave, e as mulheres, mais aguda. Existem exceções, mas mesmo assim é comum poder distinguir se é um homem que está falando ou se é uma mulher.

O mesmo acontece com os animais. Não com a voz, mas sim com outras características, como, por exemplo, o tamanho ou a cor da plumagem.

No caso dos louros, os machos costumam ser maiores, mais coloridos e costumam também ter a cabeça mais alongada. Além disso, as fêmeas são mais agressivas do que os machos. Em muitas espécies de louros, tanto o macho como a fêmea alcançam a maturidade sexual entre um e dois anos de idade.

A partir de então, quase todas as fêmeas começam a pôr os ovos, mas não todas. Então se seu louro pôr um ovo, é uma fêmea, mas se não puser, continuará existindo a dúvida (condição necessária, mas não suficiente).

A identificação dos caracteres sexuais secundários é uma forma de distinguir o sexo, mas muitas vezes, não é excludente, portanto, se faz necessário recorrer a outros métodos.

Palpação púbica

A palpação púbica é um dos métodos mais utilizados, já que ele pode ser usado em animais jovens, e é mais econômico que levar a ave ao veterinário. Entretanto, não é 100% concludente.

Para realizar uma palpação púbica, deve-se pegar o louro com cuidado, coloca-lo de barriga para baixo e apalpar, sem pressionar muito, os ossos da pélvis, justo acima do ânus.

Se for fêmea, é possível poder perceber uma separação entre os ossos do púbis, que pode chegar a medir mais de meio centímetro. Este vazio é por onde vai passar o ovo, portanto, se o animal não tiver esse espaço, ele pode ser macho.

Entretanto, se você  não notar esse vazio, não significa que a ave não a tenha, por isso, embora esse método seja mais confiável do que os caracteres sexuais secundários, ele também não é infalível.

Veterinário

sexo-loros-3

Os métodos que podem ser usados pelo veterinário são três: um estudo do DNA do animal, uma endoscopia e uma análise hormonal. Esses métodos são infalíveis, mas requerem o uso de um especialista e certo desembolso econômico.

O estudo do DNA pode ser feito através de amostras de sangue ou, inclusive, de penas, e consiste basicamente em analisar os genes da amostra, procurando os genes que condicionam o sexo, que são diferentes nos machos e nas fêmeas.

Com esse método, podem ser identificadas, também, doenças genéticas ou o pedigree do louro (se estiver disponível uma amostra de DNA dos pais).

A endoscopia consiste em introduzir uma câmara no interior do animal que permite ver seus órgãos reprodutores. Esse processo requer a sedação do animal, mas determina o gênero de forma definitiva.

O terceiro processo é uma análise hormonal através de uma amostra de sangue. Os hormônios estão presentes em diferentes quantidades em machos e em fêmeas, fazendo desse método um fator altamente determinante.