O comportamento estereotipado nos cães

Seu cão persegue a própria cauda e a morde? Caça insetos voadores inexistentes ou rastreia sombras? Rosna para ele mesmo? Ataca o seu prato de comida? Lambe certas partes de seu corpo de forma obsessiva? Talvez sua forma de agir possa ser enquadrada dentro do chamado comportamento estereotipado, que pode ter causas orgânicas ou psíquicas.

Para evitar que o seu animal de estimação chegue a se ferir, é importante que você recorra, urgentemente, ao veterinário para que ele determine o melhor tratamento.

Detalhes sobre o comportamento estereotipado nos cães

Comportamento

As estereotipias ou condutas compulsivas são comportamentos repetitivos que são executados sempre na mesma sequência e que não têm nenhuma função ou fim aparente, apresentam-se fora de contexto e costumam ser exagerados e mantidos por um período de tempo considerável.

É importante destacar que este comportamento não se manifesta só em animais domésticos, mas também em animais de granja, de zoológico, de criadouros, canis e em animais de abrigos para cães abandonados.

Os animais que se encontram em liberdade não desenvolvem comportamentos estereotipados. Todos os caminhos conduzem, então, a crer que a domesticação – e sobretudo, o confinamento – provocam este tipo de atitudes anormais.

A repetição destes comportamentos pode provocar lesões mais ou menos graves nos cães, sejam feridas em sua cauda pelas mordidas, ou dermatites acral, quando eles lambem de maneira compulsiva as suas extremidades – sempre no mesmo ponto – chegando inclusive a sofrer ulcerações.

De acordo com os resultados de alguns estudos, pode ser estabelecida uma predisposição racial a desenvolver certas condutas. Por exemplo:

  • Perseguir a cauda: Pastor Alemão e Bull Terrier.
  • Lambedura compulsiva de extremidades: Labrador, Doberman, Akita, Maltês, Dálmata, Setter Inglês, Shar-Pei, Schnauzer médio e Weimaraner.

Dentre as causas orgânicas que podem desencadear este tipo de condutas, encontram-se:

  • Problemas intracranianos: Hidrocefalia, tumores, meningoencefalite.
  • Compressão da cauda equina e fraturas da cauda.
  • Afecções de pele: dermatites e alergias alimentares ou por picadas.
  • Outras causas: doenças virais – como o Destempero canino –, lesões em vias nervosas periféricas, problemas oculares, intoxicação por chumbo e encefalopatia hepática.

O estresse e a ansiedade como desencadeante das estereotipias

Estresse e ansiedade

Se o comportamento não tem origem física, costuma-se originar por um estado de ansiedade ou estresse.

Nesses casos, é importante recordar em que momento começou a se manifestar: se coincidiu com uma mudança, com a chegada de um bebê ou de outro animal à casa, ou se aparece frente a determinados contextos, como uma discussão acalorada no grupo familiar, ou quando se utiliza com os animais uma linguagem corporal agressiva, com gesticulações excessivas e gritos.

Por norma, as atitudes repetitivas devem-se a um estado de frustração ou conflito aos quais os cães se veem submetidos durante um tempo e, que lhes provoca uma incapacidade para saber o que é o correto para, então, saírem das situações continuadas de estresse.

Um exemplo é privar aos cães dos estímulos necessários para que desenvolvam comportamentos normais. Se você o mantiver preso, impedindo-o de ter uma atividade normal de exploração, é muito provável que ele comece a desenvolver condutas estereotipadas.

Enquanto as situações de conflito e frustração podem ser frequentes, o problema não reside ali, mas sim em se prolongarem no tempo. É então quando os mecanismos de adaptação se rompem e surgem situações patológicas.

Além do aparecimento de diferentes problemas clínicos, os animais terão um desgaste energético excessivo que lhes provocará exaustão.

É provável também que os donos reforcem estas condutas nos cães, quando lhes prestam especial atenção no momento que as realizam. Sem querer, estão fazendo com que os cães repitam a ação como uma maneira de atrair o interesse de seus donos para eles. Outra causa menos conflitiva, mas nem por isso menor, pode ser o tédio.

Por isso, se seu cão está começando a manifestar algum destes comportamentos, além de levá-lo ao veterinário, trate de resolver as situações que poderão estar provocando estas atitudes.

Também tente estabelecer uma rotina onde a estimulação física e mental sejam realizadas através de jogos, passeios e brincadeiras.

Acaricie-o muito para acalmar seu estresse e procure por maneiras de ir o afastando de suas condutas compulsivas. Nunca faça isso a partir do castigo. Com isso, você só conseguirá piorar a situação.

Arme-se de paciência e lhe dê muito amor e entendimento. Esperamos que tenha gostado de nosso artigo sobre o comportamento estereotipado nos cães!