Conheça as doenças oftalmológicas mais comuns nos cães

Detectando doenças oftalmológicas em cães

Em geral, o cuidado com os olhos dos cães é relativamente simples. No entanto, existem doenças oftalmológicas que são mais frequentes. É bom que você tenha um pouco de informação à mão, pois é sempre melhor estar atento a qualquer mudança na saúde de nosso animal de estimação.

Você sempre deverá se lembrar que, além dos problemas congênitos, existem situações como machucados, a falta de higiene ou o contato com bactérias, que acabam por ocasionar doenças oftalmológicas. O mais curioso é que estas também são doenças comuns em humanos. Vamos conhecer algumas delas:

Conjuntivite

A conjuntivite apresenta-se nos cães como um sintoma secundário de algum vírus presente no organismo e se caracteriza por olhos vermelhos, acompanhada de lacrimejamento. Essa doença produz incômodos, portanto o olho afetado tende a permanecer semifechado.

Outro sintoma característico da conjuntivite é o aparecimento abundante de remelas verdes, brancas ou amareladas, que devem ser limpas para que não gerem mais dor ao cão ao coçar os olhos. Os cães poderão também apresentar sensibilidade à luz, seja essa luz de origem natural ou artificial.

Assim que você detectar estes sintomas, o mais aconselhável é levar o cão ao veterinário para evitar que o problema torne-se crônico e para identificar o vírus específico que está gerando a conjuntivite.

Desta forma, poderá ser feito uma detecção precoce de possíveis doenças que podem colocar em risco a vida de seu cão.

Cão com remela nos olhos

Catarata

A catarata é a principal razão de cegueira em cães. Trata-se de uma espécie de opacidade na íris dos cães, que se apresenta na maioria dos casos por herança genética. Ela pode se apresentar aproximadamente aos seis anos em cães grandes e gigantes e aos nove anos em cães médios e pequenos.

Caso a catarata não seja tratada, ela irá evoluir até se transformar em uma espécie de tela branca que acabará obstruindo a visão do cão de maneira total ou parcial.

Além do caráter hereditário ou da idade, a catarata pode surgir após fortes pancadas no olho ou como sintoma de diabetes no cão.

O único tratamento conhecido para a catarata consiste em retirar, de maneira cirúrgica, o cristalino opaco do olho do cão.

Glaucoma

Também chamado de hipertensão ocularCorresponde a um aumento na pressão sanguínea dentro do olho, que acaba deteriorando o nervo e a retina. Se não for tratada, esta doença vai fazer com que a visão do cão diminua até produzir uma cegueira total no olho afetado.

O glaucoma, geralmente, ocorre quando existe alguma outra situação médica no cão que ocasiona mudanças em sua pressão sanguínea, portanto é o reflexo de um mal maior.

O glaucoma se manifesta por uma inflamação muito evidente do olho, que se tornará azul na córnea a medida em que essa doença oftalmológica avança.

É de vital importância levar o cão com urgência ao veterinário, pois o glaucoma causa danos irreversíveis após 24 horas da inflamação ter se apresentado.

Olhos de cachorro

 Recomendações adicionais

  • Para os três casos de doenças oftalmológicas apresentados anteriormente, o tratamento deverá ser veterinário e, por nenhum motivo, você deverá dar nenhum tipo de medicamento ao cão que não tenha sido receitado pelo veterinário.
  • A limpeza é fundamental para garantir a saúde visual, então você deverá fazer disto um hábito. Em especial, limpar a sujeira que tenha na pelagem ou as remelas que possam se apresentar.
  • Entenda a linguagem corporal de seu cão, perceba se ele esfrega os olhos com as patas ou contra os objetos, ou se ele os mantêm semifechados, o mais provável é que pó ou pelos tenham caído neles.
  • O lacrimejo constante pode ser um sinal de que há sujeira nos olhos ou de doença, portanto preste atenção.
  • Visite frequentemente o veterinário, recomenda-se fazê-lo uma vez a cada seis meses caso o seu cão encontre-se saudável. Lembre-se que sempre é melhor prevenir do que remediar.