Conheça as doenças psicológicas que seu cão pode sofrer

Doenças psicológicas que afetam os cães

As doenças psicológicas são um dos maiores problemas que seu cão pode sofrer, já que essas enfermidades se caracterizam por serem muito difíceis de serem tratadas. Se você não as conhece, no artigo a seguir nos aprofundaremos nas três doenças psicológicas que mais afetam os cães.

Depressão

Sem nenhuma sombra de dúvidas, esta é uma das doenças psicológicas mais comuns que o melhor amigo do homem pode vir a sofrer, já que por serem animais extremamente emotivos, eles podem desenvolver um forte quadro depressivo por diferentes razões, por isso se trata de um mal que, em algumas ocasiões, pode ser muito difícil de se evitar.

O mais preocupante de tudo é que, em tal estado mental, o cão pode chegar níveis depressivos tão intensos que pode desenvolver diferentes tipos de comportamentos autodestrutivos que culminam em um desinteresse geral, o que pode levar o cão ao suicídio por desnutrição, já que assim como os humanos, um cão deprimido não se alimenta.

Como se pode imaginar, quando o melhor amigo do homem sofre desta terrível doença psicológica, ela apresenta uma série de sintomas muito característicos, eles são os seguintes:

cachorro

  • Falta de emoção ante qualquer estímulo;
  • Dorme muitas horas, além do comum;
  • Não faz nenhuma atividade física;
  • Não consegue sentir nenhum tipo de prazer;
  • Começa a se lamber compulsivamente, o que pode ser extremamente prejudicial para sua saúde, já que pode gerar lesões dolorosas como o granuloma acral.

Assim que você notar algum destes sintomas, é importante que você tome as ações correspondentes, ou vá a um veterinário.

Fobias

Se por acaso você não sabe, este terrível problema não somente afeta aos seres humanos, os cães também podem vir a sofrê-la, por isso se trata de um mal que não só é pouco conhecido para algumas pessoas, mas que também pode causar muitíssimo sofrimento ao pequeno amigo de quatro patas.

Diferente de outras enfermidades psicológicas, essa se caracteriza por apresentar respostas desmedidas por parte do cão ante a um medo em particular, por isso costuma ser tão difícil de tratar e que, longe de poder ser eliminada por completo, em inúmeras ocasiões, a única solução que existe para este mal é tentar, ao menos, reduzir suas consequências.

Como você pode supor, as fobias no cão nascem do medo extremo a uma pessoa ou a um feito em particular, geralmente gerado por traumas de situações passadas que deixaram no cão uma terrível experiência. Estas costumam ser as mais comuns:

  • Ruídos fortes como um rojão, disparos ou trovões, já que por contarem com uma capacidade auditiva muito superior à nossa, os cães são mais suscetíveis aos sons fortes;
  • O maltrato animal também costuma ser uma das causas mais comuns, já que por terem sido violentado por seu dono ou por alguma outra alguma pessoa, ele responderá inconscientemente ao contato físico;
  • O abandono e toda a sensação que isto lhes produz também representa um trauma que costuma deixar cicatrizes psicológicas.

Por essa ser uma enfermidade virtualmente incurável, é importante ir ao veterinário para que ele lhe explique os sintomas que se apresentam e encontrar uma forma de, pelo menos, diminui-los, já que assim seu cão estará mais calmo.

Uma das doenças psicológicas mais comuns: ansiedade por separação

Mulher abraçando cachorro

Por ser a mais normal, não significa, nem muito menos que seja, a menos grave, já que um dos sintomas mais comuns do cão quando sofre desta enfermidade é o estresse, o medo, a ansiedade e a depressão, as quais podem levá-lo a se lamber até o ponto de se machucar ou a destruir o lugar em que se encontra.

A ansiedade por separação é uma angústia extrema que o seu cão sofre quando você o deixa sozinho, devido à pouca confiança que ele tem nele mesmo, além de um alto nível de dependência que o cão desenvolve para com o seu dono, sobretudo quando ele é um filhote, o que faz ser literalmente insuportável para ele estar sem sua companhia, exteriorizando isso da forma que acabamos de descrever acima.

As razões pelas quais os cães sofrem desta doença psicológica são as seguintes:

  • Desmame prematuro;
  • Fatores genéticos;
  • Algum trauma gerado por maltrato ou abandono.

Por não existir uma maneira de eliminar para sempre este mal, numerosos especialistas recomendaram deixá-los sozinhos de vez em quando, no momento em que são filhotes, e não manifestar nenhum tipo de carinho ou emoção quando você sair ou quando você chegar, já que isto lhes fará entender que estas são situações normais.