Conheça mais de perto os adoráveis cães de raças nórdicas

Na década de noventa, os cães de raças nórdicas ficaram na moda. Seu rosto de pelúcia e sua pelagem impressionante foram, em muitos casos, as causas que determinaram a decisão de introduzir esta raça de cães em uma casa. Entretanto, muitos destas animais terminaram abandonadas na beira das estradas. Hoje, eles são a raça mais abandonada por falta de adaptação na Espanha.

Por que os cães de raças nórdicas têm problemas de adaptação?

Cães da raça Husky Siberiano

Cada raça tem um comportamento instintivo característico que vem do seu modo de vida tradicional. Os nórdicos são cães de trenó, por isso precisam de muito exercício físico diário e são aficionados à caça.

Muitas vezes, os fracassos na adaptação destas raças se devem à falta de conhecimento do animal por parte da família de adoção. Na maioria dos casos, eles são adotados como cães de guarda, mas eles são animais pacíficos e nem sequer ladram.

Outro motivo frequente para a adoção desses cães é porque eles estão na moda ou porque são bonitos. Todas essas causas, junto com uma falta de liderança por parte dos donos, fazem com que se produzam decepções constantes na convivência, que culminam com o abandono do animal.

Além disso, para que estes cães cresçam felizes, eles devem se integrar bem na família, porque não suportam a solidão. Para isso, ele sempre deve ser educado com reforços positivos e o dono deve se transformar no líder da matilha, a quem o cão deve obedecer.

Como eles são cães de caça, você deve ter cuidado com sua convivência com outros animais, especialmente se forem animais do campo.

O dono, um líder para o cão nórdico

Para compartilhar casa e vida com um desses cães, você terá que ser consciência de que o dono deve ocupar o posto de líder da matilha. Do contrário, o cão vai ocupar esse lugar e pode, inclusive, se mostrar agressivo com algum membro da família.

Estas raças sempre rejeitam pessoas instáveis, nervosas e que têm pouca personalidade. Do mesmo modo, nunca vão respeitar uma pessoa insegura.

Então, para ser um bom dono é muito importante aprender a adestrar o cão, prescindindo de castigos violentos, sair para as montanhas no inverno, não perder a paciência em determinadas situações, estar disposto a fazer grande uma quantidade de exercício por dia, e não pretender que ele se torne um ‘cachorro de madame’.

Estes cães são muito independentes e precisam viver em contato direto com a família.

Como é a personalidade dos cães nórdicos?

Os cães nórdicos e sua personalidade

Os cães nórdicos são, em geral, animais inteligentes, muito ativos e com uma grande curiosidade. Estão adaptados para viver em climas extremos e gostam do frio.

Entretanto, se adaptam muito bem a qualquer ambiente. Por isso, com abundante exercício diário, ele pode viver em um apartamento.

Além disso, eles são silenciosos e não costumam latir. Do mesmo modo, eles vão facilmente com qualquer estranho que lhes ofereça carinho, por isso não são bons cães de guarda.

Como tradicionalmente foram cães de trenó, são grandes esportistas, portanto é aconselhável praticar com eles atividades como o agility, o mushing ou o canicross. O trabalho e o exercício físico farão com que eles fiquem mais tranquilos e se comportem melhor em casa.

São cães com um forte conceito de matilha e  que detestam viver sozinhos, por isso a situação ideal é ter dois exemplares da mesma espécie.

O que acontece com os cães nórdicos que são abandonados?

Os cães nórdicos abandonados sofrem muito na hora de se adaptar nos abrigos para animais. Para tentar remediar essa situação, surgiu o Projeto Nórdico, que lançou um centro para atender de forma individual os nórdicos abandonados e para buscar uma boa família de adoção para eles.

A personalidade especial desses cães faz com que eles precisem de um tratamento personalizado de especialistas que conheçam suas necessidades.

A função principal da organização Projeto Nórdico é difundir as histórias desses animais, proporcionar conselhos úteis aos donos destas raças, promover a esterilização como forma de controlar a superpopulação e potencializar a adoção responsável.

Estas raças têm uma escassa possibilidade de serem adotadas e arrastam histórias de maus tratos e abandonos. Por esse motivo, antes de adotar um cão, é preciso conhecer em profundidade suas necessidades e sua personalidade.