Conselhos para resolver as brigas dos animais domésticos

Os animais domésticos, em especial aqueles que usamos como animais de companhia, tendem a ser muito territorialistas e protetores. É muito habitual que muitos, que usualmente são tranquilos, reajam de maneira agressiva frente à presença de outro animal, portanto lhe damos alguns conselhos para resolver as brigas dos animais domésticos.


Normalmente, os animais domésticos que mais caem nesse tipo de situação são os cães e os gatos (seja entre eles ou entre seus congêneres). Entretanto, esse não é um comportamento exclusivo deles.

Algumas aves como os louros ou cacatuas, os roedores, os porcos de estimação, entre outros; podem reagir com agressão, embora seja menos frequente e os danos em uma confrontação, raramente são severos.

Os motivos disso estão arraigados no instinto dos animais, pois na vida selvagem, as demais criaturas são ameaças potenciais que precisam ser reduzidas ou expulsas, seja porque competem por alimento, território ou porque alguém pode pertencer à dieta do outro. Este risco aumenta bastante em animais que não foram socializados.

As lesões que causadas em uma briga de mamíferos maiores, como a briga entre cães e gatos, merecem atenção, tanto para os animais envolvidos, quanto para os que tentam separá-los.

Vejamos algumas estratégias que você pode usar uma vez que a briga já foi iniciada.

Recomendações gerais para cães e gatos

Estratégias para separar uma briga entre animais

Muitas das brigas entre cães e gatos devem-se a que seus donos permitem que eles estejam na rua soltos,  seja porque o gato saia de casa, o cão passeie sem coleira ou por serem deixados em um espaço sem supervisão.

Não é recomendável se interpor no meio de uma briga enquanto ela está acontecendo, pois os animais raramente distinguem quem eles mordem ou arranham no calor do momento.

Normalmente, conhecemos a linguagem corporal dos nossos animais, assim quando vemos que começam a ficar tensos frente à presença de outro animal, sugerimos duas opções: se seu bichinho for pequeno, simplesmente pegue-o no colo e leve-o embora imediatamente; em caso de ser um cão grande ou pesado, grite “não!” e retire-o imediatamente do lugar, ajudando com a coleira.

Eles entendem nossos tons de voz e, se você usar essa ordem com frequência, com sorte poderá evitar confrontamentos.

Caso de que a briga já tenha começado, jogue algum objeto em cima do seu animal, pode ser uma jaqueta ou uma camisa, e levante-o pela pele perto do pescoço, afastando-o o quanto for possível do outro animal.

Caso o outro dono esteja perto, diga a ele para fazer a mesma coisa. O objeto evitará que se machuquem.

Se tiver à mão algum recipiente com água ou uma mangueira, molhe-os e aproveite a distração para levar embora o seu animal. Em caso de eles não pararem, as lutas tendem a durar pouco, mas podem chegar a ser fatais, utilize a estratégia que lhe sugerimos no parágrafo anterior.

Apresentação e socialização

Uma maneira de evitar que os animais de estimação briguem, é acostumá-las desde quando terminam seu quadro de vacinação, a compartilhar espaços com outros animais.

Os cães e gatos nem sempre se mostram hostis, mas deve-se ter em conta que o excesso de energia pode chegar a ser um inconveniente durante a apresentação, assim, antes de apresentá-lo a um animal desconhecido, é melhor que ele esteja cansado e tranquilo.

Recomenda-se que os cães e gatos sejam apresentados fora do lar, porque eles tendem a se mostrar mais dominantes dentro do seu território. Entretanto, isso implica um inconveniente, e é o de que não podermos levar outro animal para casa.

Como evitar as brigas

Como evitar a briga

  • Certifique-se que seu cão só saia para passear usando uma coleira.
  • Não deixe animais que acabaram de se conhecer sem supervisão.
  • Os cães devem assumir uma postura de submissão dentro da hierarquia do lar.
  • Quando vivem sob o mesmo teto, dê o seu espaço para cada animal, assim eles não brigarão entre eles.
  • Apresente suas animais corretamente, dando tempo para que eles se conheçam, se cheirem ou se afastem, se assim desejarem.
  • Não deixe que seu animal se aproxime de outra, salvo que você saiba que ele não é agressivo.
  • Mantenha-se alerta enquanto está na rua com o seu pequeno amigo, há animais que agridem sem avisar.