Crianças e animais de estimação, uma amizade perfeita!

A infância é possivelmente uma das épocas mais felizes na vida das pessoas e a experiência de poder crescer ao lado de um animal de estimação faz desse período ainda mais especial. 

Definitivamente, a relação entre os animais e os pequeninos pode ter um grande significado para ambos e também para os adultos, além de representar uma vantagem de ter lado a lado duas criaturas que compartilham amor por igual.

Normalmente quando falamos de animais de estimação para crianças, pensamos, na maioria das vezes, nos cachorros e nos gatos.

Porém existe uma grande variedade de bichinhos que podem acompanhar nossos filhos de acordo com sua faixa de idade e as condições de espaço e econômicas que a família apresenta.

Quando tratam-se de crianças muito pequenas, o melhor é ter como animal de estimação um bicho de maior porte. Dessa maneira, o bebê não poderá machucá-lo por acidente.

Ainda que não se deva permitir que o bebê mexa muito com o animal de estimação, pois como eles estão aprendendo a reconhecer o mundo, incluindo os bichinhos, podem acabar machucando os animais mesmo sem querer.

Lembre-se também de que não é recomendável deixar seu filho ou nenhuma criança com menos de oito anos sozinha com um animal, não importa quanto anos tenha o bichinho, nem mesmo que ele seja muito bem treinado.

É muito frequente que, nessas condições, aconteça uma situação lamentável que poderia ter sido evitada com facilidade.

Para crianças um pouco maiores, com idades entre 5 e 8 anos, a variedade de animais é bastante ampla. No entanto, os cachorros são os grandes favoritos, pois eles têm muita energia, deixam que as crianças os toque, sempre que elas forem cuidadosas. 

Além do mais, os cachorros dão demonstração de afeto muito efusivas e isso pode ser muito saudável para a mente das crianças e também bem divertido.

Ensine as crianças a cuidar do bem estar de seu animal de estimação

psicoloriacanina2br

Outro animais como coelhos, hamsters ou tartarugas são bons para ensinar as crianças a respeitar a vida e a natureza.

Por exemplo, com as tartarugas é possível usar os cuidados com sua manutenção como uma experiência pedagógica, ensinando os pequenos sobre as necessidades de preservar o ecossistema para que animais como esses possam sobreviver.

Fale sobre seu processo alimentar (que é muito diferente do nosso) e tente gerar uma verdadeira inquietação sobre a preservação desse tipo de animal de estimação.

Com animais menores, como os hamsters, é possível educá-lo sobre como proteger os mais frágeis e a necessidade de ele ser responsável de cuidar de criaturas menores do que ele.

Ensiná-lo de que deve respeitar seu espaço e manter distância para o benefício do próprio animal.

Você ambém deve educá-lo sobre o tipo de brincadeiras que são apropriadas para envolver seu animal de estimação.

Por exemplo, aquelas que necessitem de coisas delicadas, como os brinquedos das crianças, ou as que impliquem que os pequenos segurem os animais em seus braços quando estejam de pé, não são apropriadas.

Nesse segundo caso, o animal pode escapar das mãos da criança e acabar se machucando.

Não transfira responsabilidades

meninacomcoelho

Existe uma perigosa confusão entre educar sobre como cuidar de um animal e responsabilizar a criança em relação ao mesmo.

Assim que adquirir um animal de estimação, a responsabilidade de cuidar dele deve sempre recair sobre um adulto, nunca na criança.

É muito bom e desejável que você queira ensinar a seu filho a ser responsável, e que parte do bem estar do animal de estimação dependerá das atitudes e dos comportamentos que ele tenha em relação a ele.

No entanto, as crianças não têm a capacidade de discernimento sobre certas coisas, como, por exemplo, a alimentação correta, sobre que alimentos podem ser tóxicos para os bichinhos, que objetos servem para brincar com eles, etc.

Não é justo, tanto para o animal de estimação quanto para o seu filho, deixar algo tão importante como a vida de um animal na vida de uma criança, especialmente quando ela é tão pequena.

Faça a seguinte pergunta: se o seu filho não tem capacidade de cuidar dele mesmo, será que terá condições de cuidar de um animal?

Essa é uma completa falta de critério da parte do adulto. E o pior é que se trata de um erro que é cometido com muita frequência.

Agora que você já sabe disso, descobrirá que crianças e animais de estimação são uma mistura maravilhosa. E se você cuidar disso de forma adequada para ambos, será uma experiência feliz que irá durar por muito tempo.