Cuidados para os gatos durante a velhice

É sempre conveniente nos preocuparmos em relação aos cuidados que devemos ter com os gatos durante qualquer etapa de suas vidas, porém, é ainda mais importante quando estes animais chegam à velhice. Nessa etapa, é necessário aumentar o controle em relação ao estado físico do felino e ir com maior frequência ao veterinário.

Quando o gato chega à velhice?

A velhice dos gatos começa a partir de seus oito anos, ainda que esse período possa ser retardado até os dez anos, sempre e quando tenham tido uma condição de vida excepcional.

Devido aos processos degenerativos, os felinos idosos podem ter mais problemas médicos do que costumavam sofrer durante sua fase jovem, apesar de que isso também depende do cuidado que tenham recebido ao longo de toda sua vida e, naturalmente, de sua alimentação.

No entanto, há outros elementos alheios à vida do gato, como as condições ambientais do lugar onde ele mora e dos fatores genéticos.

Quais são as doenças mais comuns dos felinos?

Com o passar dos anos, os gatos podem chegar a sofrer de uma série de doenças associadas à idade, como, por exemplo, a inflamação dos intestinos, problemas dentários, cardiovasculares, diabetes, pancreatite, câncer, artrite, perda da visão e audição, entre outras, que podem repercutir negativamente em sua qualidade de vida.

Se irão sofrer de uma ou outra enfermidade, seja de forma grave ou leve, dependerá em grande parte de como tenham sido os cuidados em relação à saúde e à alimentação tanto durante sua juventude quanto no período inicial de sua velhice.

Por que é importante uma avaliação veterinária?

A saúde do gato na velhice

Ainda que um gato aparente estar saudável e tenha um bom aspecto físico, isso não quer dizer que não tenha que levá-lo ao veterinário para realizar os exames necessários.

Portanto, é conveniente que um especialista realize uma análise dos glóbulos vermelhos, de urina, um exame físico, verifique sua alimentação, as unhas, os dentes, a pele e faça o controle do peso ao menos uma vez por ano.

Caso o gato doméstico apresente alguns inconvenientes leves de saúde, o médico veterinário deverá realizar uma verificação de rotina, bem como um eletrocardiograma ou uma radiografia do tórax.

Se o animal não estiver bem e sofrer de problemas mais graves, então será necessário somar aos exames anteriores uma radiografia de abdomen a cada seis meses.

Além disso, não devem ser esquecidas as aplicações das vacinas regulares a seu felino, de acordo com a idade que ele tenha. Quando a velhice chegar, terá que vaciná-lo com a FVRCP (contra a rinotraqueíte viral felina, calicivírus e panleucopenia), contra a clamídia, raiva, leucemia felina e bordetellosis.

 

Parasitas nos gatos durante sua velhice

Durante a velhice, será necessário vigiar o peso do gato, visto que ele pode emagrecer demais ou ficar muito gordo, contudo, isso nem sempre tem a ver com problemas de saúde. Também é preciso controlar a aparição de parasitas no felino, uma vez que eles podem causar infecções.

Como saber que tipo de parasita infesta o gato?

Um exame de fezes permite saber que tipo de verme está infestando seu gato e o veterinário poderá indicar como eliminá-lo com o uso de medicamentos.

Além disso, os exames de coração, olhos, urina e sangue precisam ser feitos rotineiramente e o especialista precisará limpar as orelhas do animal uma vez por mês ou a cada dois meses.

Também é imprescindível ficar atento ao apetite de seu gato, se ele tem odor anormal,  tosse persistente e feridas que não se curam, pois isso pode ser um alerta a respeito de uma infecção ou doença.

Cuidar da alimentação

A alimentação pode salvar um gato idoso

Uma coisa fundamental para que os problemas de saúde melhorem durante a velhice é oferecer a eles muitas porções de comida pequenas ao longo do dia.

Se o gato tiver hipertiroidismo, então, terá que aumentar o conteúdo energético da comida para que ele não perca muito peso.

Higiene oral e saúde dental

Para evitar que os dentes caíam por ação do tártaro será necessário oferecer a seu animal de estimação alimentos secos para que a dentição fique excelente.

Esse tipo de alimentação remove os depósitos de sujeira que são formados entre os dentes.

No caso de seu gato ter os dentes danificados, então precisará dar a ele alimentos moles e cortá-los em pedaços pequenos.

Além disso, a água que for servida ao felino idoso terá que estar fria para que não sofra de desidratação, já que pode descontrolar a temperatura de seu corpo e mudar sua percepção sobre a sede.

Cuidar de um gato idoso é mais difícil que tratar de um jovem, por isso precisará de mais tempo e paciência visando assegurar o bem estar do bichano.