Como cuidar de um filhote orfão

Como cuidar de um filhote órfão

Para cuidar de um filhote órfão quando a mãe não é mais capaz de dar-lhe a atenção adequada, ou porque não tem a capacidade de produzir a quantidade apropriada de leite, ou porque a progenitora tenha falecido ou porque diversas causas de comportamento a impedem de atender e cuidar dos animaizinhos da maneira que eles merecem, é preciso seguir uma série de regras.

Como um horário regular para a ingestão de alimentos, retirar os restos de suas necessidades fisiológicas, ter condições de prover um bom lugar para que o animal durma e descanse, um ambiente saudável e ter tempo para brincar.

Uma atenção adequada para um filhote órfão

Filhote
Com os melhores cuidados, as possibilidades de que o animal sobreviva são altas. Se eles têm menos de 5 dias, essas possibilidades diminuem, pois a ingestão do leite materno nos primeiros momentos é muito importante. A partir do sétimo dia, a probabilidade do filhote continuar vivo é bastante alta.

As medidas que precisam ser tomadas para que um filhote consiga sobreviver, e que o faça nas melhores condições possíveis, dependem de uma boa nutrição, higienização, temperatura e umidade adequadas e prevenção de doenças. Os filhotes mais saudáveis são gordos, fortes e tendem a dormir a maior parte do tempo. Os cães pequenos e doentes possuem um tônus muscular fraco e choram com frequência.

Nutrientes impresindíveis

É muito importante para a vida do filhote tomar durante as primeiras doze horas de vida o colostro materno. Depois das primeiras doze horas, eles podem ser alimentados com alimentos industrializados, como um leite especial para filhotes órfãos e com a ajuda de vários acessórios, como mamadeira, seringa, conta-gotas, etc.

Os leites industrializados que podemos encontrar no mercado possuem todos os nutrientes necessários para que os filhotes órfãos tenham uma dieta completa e equilibrada. As receitas caseiras de leite para filhotes também são muito eficazes.

A alimentação do filhote órfão deve ser realizada várias vezes ao dia ou todas as vezes em que eles choram ou que pedem comida. A quantidade administrada fica dependendo da raça e do tamanho, mas varia de acordo com o peso.

Durante os dois ou três primeiros dias de sua vida, os cãozinhos devem se alimentar a cada 2 horas. No restante dos dias da primeira semana de vida, a alimentação será a cada três horas durante o dia. Na segunda semana, eles se alimentam a cada 4 horas no decorrer do dia, e no caso da terceira semana, os filhotes órfãos devem consumir os alimentos pouco a pouco sozinhos.

A partir da semana número quatro, a alimentação se produzirá de 4 a 5 vezes ao dia, e pode ser suspensa a refeição noturna. E quando terminar a semana número seis, ele poderá começar a ingerir comida sólida, acompanhada sempre da quantidade de água adequada.

Limpeza e higiene

É preciso se lembrar que um filhote que acabou de nascer não pode urinar ou movimentar o intestino sozinho, pois ele ainda não terá desenvolvido o músculo que realiza essas funções. O animal precisa ser estimulado, ou seja, a mãe precisa lamber a zona anal para estimular o filhote a urinar e defecar, ou isso poderá ser feito manualmente, com cuidado, pegando um algodão úmido e esfregando suavemente a zona anal e genital do bichinho.

Em alguns casos, os filhotes órfãos respondem bem aos estímulos antes de comer, e em outros, depois da comida. Esse estímulo deve ser realizado até ele completar 21 dias. A partir dessa idade, os filhotes já conseguem controlar as suas necessidades.

Temperatura

 Filhote

Autor: Lisa L Wiedmeier

Para que eles estejam saudáveis e evoluam bem, eles precisam permanecer em uma temperatura ambiente adequada; nessa idade, eles não conservam bem o calor, por isso, é preciso complementar com outros elementos que exalam calor, como uma lâmpada, uma bolsa de água quente, um cobertor térmico, além de um isolamento adequado do piso.

A utilização de um termômetro é ideal para controlar a temperatura. Se o ambiente é muito seco, você poderá dispor de umidade extra colocando uma toalha úmida em cima ou ao lado da cesta ou caminha dos cães órfãos.

Educação e socialização

É importante para o filhote órfão começar a se comunicar bem com o resto dos membros da casa a partir de 5 a 6 semanas de idade. É preciso ter em mente que se trata de bebês e que é necessário manipulá-los com muito cuidado, para fazer com que eles se acostumem aos movimentos, barulhos e outras pessoas, e animais domésticos.