Uma delegacia na Austrália adota um bebê canguru

Bebê canguru

Sempre dizemos que os animais estão sempre nos surpreendendo, e isso acontece com alguns serem humanos também. No caso de hoje, a decisão de um homem nos surpreendeu positivamente. Essa história mostra mais uma vez que com o amor somos capazes de fazer qualquer coisa e que os animais não julgam pela cor ou pela aparência. Esta é a incrível história de Cuejo, um bebê canguru.

A história de Cuejo, o bebê canguru

Na Austrália, país onde vive esse animal tão peculiar, existem milhares de placas nas estradas que indicam perigo, e que obrigam os motoristas a reduzirem a velocidade porque, a qualquer momento, um canguru pode cruzar o seu caminho.

Isso ocorre porque os cangurus são uma espécie muito protegida na Austrália, e é por isso que eles não estão em perigo de extinção, pelo menos por hora.

Os atropelamentos desses animaizinhos não são comuns nas estradas, mas a mãe de Cuejo, o bebê canguru, não teve a mesma sorte. 

Ela foi atropelada por um caminhão e morreu na hora. Mas pelo visto, ou Cuejo conseguiu sair da sua bolsa devido ao impacto, ou ele ia atrás dela. Independente de como isso tenha acontecido, quando a polícia chegou no local do acidente, Cuejo continuava ao lado do cadáver de sua mãe.

Scott Mason foi um dos policiais que acudiu ao acidente. Foi ele que decidiu levar Cuejo para delegacia até que eles soubessem o que fazer com o animal, e resolvessem qual seria o melhor lugar para levá-lo.

O bebê canguru encontra um novo lar

Policial com filhote de canguru
Fonte da imagem: www.eldia.com

Eles não tiveram que pensar muito, pois Cuejo demorou poucos minutos para decidir quem seria a sua nova mamãe. E a escolhida foi… desculpe, e o escolhido foi… Scott Mason. E depois disso, Cuejo, o bebê canguru, começou a usar as camisas de Scott como bolsa marsupial e parece estar se adaptando bem a elas. Além disso, pelo visto, o fato não parece desagradar Scott.

Cuejo não parava de saltar enquanto seguia Scott pela delegacia, não importava aonde ele fosse, seja pela escada ou pelo elevador, lá estava sempre o novo “filho” de Scott.

Scott pediu ajuda nas redes sociais para dar um nome para o seu novo amiguinho. O nome escolhido foi Cuejo, e segundo fontes próximas a ele, foi uma mistura de Cue (lugar em que se situa a delegacia) e Joey (não sabemos muito bem o motivo para esse).

Não houve outro remédio para as autoridades a não ser permitir que Cuejo e Scott ficassem juntos. Cuejo parecia feliz e Scott, como você verá no vídeo que iremos compartilhar a seguir, também parece estar muito feliz.

O objetivo dessa convivência não é fazer com que Cuejo se torne o animal de estimação da delegacia, mas sim, que ele tenha uma vida sana e que logo ele possa ser livre de novo, assim que estiver preparado para deixar o seu novo lar, a delegacia de Cue.

Há algumas fotos muito fofas desse novo papai junto com o seu bebê, por exemplo, do bebê tomando a mamadeira ou dentro das camisas do uniforme da sua nova “mamãe”.

Pelo visto, Scott se sente responsável por Cuejo em todos os momentos e nunca se queixou das responsabilidades que envolvem cuidar de um animalzinho como esse. Pelo contrário, tanto no vídeo quanto nas imagens ele sempre aparece sorrindo dando a entender que ele faz essa função com muita felicidade, e não com tristeza.

Ficamos muito felizes que ainda existam pessoas maravilhosas neste mundo como Scott Mason, que se responsabilizam pela vida de outros seres vivos que também merecem ser felizes. Que maravilha seria se existissem mais pessoas como ele neste planeta!

A atitude de Cuejo com relação a Scott também nos ensina uma coisa: que os animais não nascem com medo dos seres humanos, esse temor cresce a partir do momento que eles percebem que queremos machucá-los. O amor consegue fazer com que tudo se torne possível, o amor nunca falha. Essa história é uma mais um exemplo de que se trocássemos o motor do mundo, o dinheiro, pelo amor, tudo seria muito diferente, não só entre as pessoas, mas também entre as pessoas e os animais.

A seguir está o vídeo. Divirta-se!