Descubra se você é ligeiramente um amante dos gatos ou um gato-dependente

Os bichanos são algumas das criaturas mais independentes que conhecemos. A maioria dos amantes dos gatos reconhecem que, se os gatos tivessem polegares, não precisariam dos seres humanos.

Este tipo de animal de estimação pode se divertir sem meios visíveis de apoio e meditar comodamente em meio ao caos extremo. Portanto, é quase impossível que um gato seja dependente.

O que pode, sim, ser uma realidade é que seus donos se transformem em amantes dos gatos ou gato-dependentes. A seguir compartilharemos algumas definições sobre estes dois conceitos os quais, talvez, você já se encontre familiarizado.

Amante dos gatos ou gato-dependente?

Gato dormindo no colo do dono

Pequenos, peludos, sutis, brincalhões, resmungões, elegantes, audazes, curiosos e muito, muito inteligentes, cabem todos estes adjetivos e muitos outros aos gatos.

Independentemente da raça que escolha, todos eles têm um dom particular que é a independência, o gosto pela aventura e também a estética dos felinos os tornam animais completos, admiráveis e queridos.

Um dono amante dos gatos é aquele que, antes de mais nada, respeita os felinos e, claro, a personalidade particular deles. Isto é, se o bichano não tem vontade de estar em uma reunião social, o dono não o força.

Se não quer ir quando o chama, o dono tem paciência, e se não quer que lhe façam carinhos, não o incomoda.

Ao compreender a personalidade dos gatos, entende-se e respeita-se seu grau de autonomia. Diferentemente dos cães, os gatos, durante seu processo de domesticação, escolheram os humanos para conviverem.

Portanto, uma das características mais notáveis do comportamento dos gatos é que eles se comportem como seres livres, sem atenderem às necessidades de seus donos.

Inclusive, até as pessoas que não sabem muito sobre gatos, reconhecem que os bichanos não precisam de muita ajuda externa. É por isso que palavras como “distante” e “indiferente” são as mais frequentes nas descrições do comportamento felino.

A maioria dos amantes dos gatos adoram a ideia de que o felino dormirá ao seu lado, ou que compartilhará o sofá com o seu dono durante extensas sonecas a tarde. Mas… isso é possível? Claro que sim! Desde que o seu gato tenha vontade de compartilhar estes espaços com você.

Por outro lado, se um gato é muito dependente de seus donos, talvez algo com a saúde dele não ande muito bem. Por isso é sempre recomendável que sejam realizadas visitas periódicas ao veterinário para descartar qualquer tipo de inconveniente.

Você é um gato-dependente?

Carinho em gato

No outro extremo, estão os donos que são gato-dependentes. Isto é, aquelas pessoas que pouco entendem sobre o comportamento felino e que, longe de o respeitar, não fazem outra coisa a não ser invadir, a todo momento, o espaço deles.

Um exemplo concreto de um dono gato-dependente é quando o animal se encontra dormido profundamente em alguma almofada e o dono invade seu espaço, o pega de surpresa e começa a incomodar para que ele responda com caras engraçadas.

Sem dúvidas, a cena que descrevemos no parágrafo anterior é um grande um erro. O gato é livre por natureza. Obrigá-lo a responder quando nós queremos, e da forma que queremos, não é a melhor coisa a se fazer.

Se fizermos isso, o felino se sentirá encurralado e, certamente, nos fará notar o seu mau humor.

“Eu o chamo e ele não vem”. Constantemente, muitos donos de gatos se confundem e tratam o seu bichano como se fosse um cão. Você pode chamar incansavelmente um gato e, ainda que ele te escute, se ele não quiser ir, ele não irá.

O compoeramento gato-dependente faz com que o dono cometa erros, não respeite o animal e pense que o felino deve obedecê-lo a toda hora, como se fosse um cão. Nada mais errado e distante do comportamento felino.

Exageradas demonstrações de carinho, comprar roupas para felinos ou responder a todos os desejos do gato também são sinais de que um dono se transformou em um gato-dependente.

Correr ou estar atento a cada miado e ter um tipo de atenção ilimitada para com os felinos também pode ser uma faca de dois gumes. Talvez o gato só esteja entediado e, por essa simples razão, fará tudo o que esteja a seu alcance para chamar a atenção de seus donos.

Mas tenha cuidado, com os gatos nunca se sabe e se o seu pequeno peludo está miando mais do que o normal, o melhor é que você o leve ao veterinário para descartar qualquer tipo de mal-estar.