Desparasitação e alimentação para cuidar da saúde do cão no verão

A desparasitação de cães

A desparasitação e a comida dos cães são dois aspectos importantíssimos para conservar a saúde de nossos amigos de quatro patas. Os parasitas podem ser encontrados em uma grande variedade de formas e tamanhos, e são muito prejudiciais para os nossos animais de estimação.

Não importa quão bem você cuide de seu fiel peludo. O mais provável é que, em algum momento de sua vida, ele venha a ter parasitas e não apenas coloque em risco a sua própria saúde, mas também a de outros cães e seres humanos, por isso uma desparasitação regular é tão importante.

Que tipos de parasitas afetam os cães?

Existem duas categorias principais de parasitas que afetam os cães. Estes são as lombrigas e as tênias.

O mais comum dos vermes (também chamados nematódeos) é o denominado Toxocara canis, que é similar a fios ou fibras de espaguete, em função de seu tamanho.

Os maiores podem chegar a crescer até 18 cm de longitude. Vivem nos alimentos que os cães digerem e residem em seu intestino. Os ovos são microscópicos e liberam-se no meio ambiente mediante as fezes dos animais.

Lombrigas

Cão comendo grama

As lombrigas são formadas por correntes de segmentos planos muito, muito longos. Podem crescer até 70 cm. A mais comum é a chamada Dipylidium caninum. Aderem-se à parede intestinal, e produzem continuamente ovos que se rompem gradualmente e se excretam com as fezes dos cães.

As temperaturas quentes ajudam com que estes parasitas se propaguem.

Os nematódeos adentram o corpo do animal a partir do meio ambiente, através do focinho de seu cão, patas e pelagem, enquanto ele cheira, lambe e brinca em zonas contaminadas; depois são ingeridos e, assim, continuam o seu ciclo de vida.

Apesar de todos os rastros nas fezes desaparecerem por completo, os ovos podem permanecer infectantes na grama ou na terra durante dois ou mais anos.

Também podem ser transmitidos indiretamente se o cão comer um roedor ou um pássaro que anteriormente os tenha ingerido.

Os cachorros são especialmente vulneráveis aos parasitas e podem nascer já infectados com eles, já que a fêmea os pode transmitir através de seu leite ou quando os lambe.

Por isso é importantíssimo que, quando a cadela estiver grávida, que ela seja desparasitada, o mesmo deve acontecer com os filhotes, tão logo eles nasçam.

Tênias

As tênias, por sua vez, precisam ser ingeridas por um hóspede intermediário, pode ser uma pulga. Quando um cão engole uma pulga infectada, o ciclo de vida continua.

Riscos à saúde

Os vermes podem prejudicar o intestino, causar diarreia, desidratação, anemia, perda de peso severa e fazer com que o seu cão se torne bem mais suscetível a outras doenças que inclusive, em alguns casos, podem ser fatais.

Não é só seu cão que está em risco; os seres humanos também podem ser afetados em sua saúde.

Se ingerirem os ovos dos parasitas, estes costumam se transformar em larvas que podem viajar por todo o corpo. Desde os pulmões até o fígado e, algumas vezes, até os olhos, onde podem causar alteração e até a perda total da visão.

Ter boas normas de higiene é importantíssimo, sobretudo as crianças, a quem devemos ensinar a não compartilhar pratos de comida com o cão e a lavarem as mãos após acariciarem ou brincarem com ele.

Prevenção

Cão com comida

Uma boa estratégia de prevenção é tão importante quanto algum tipo de inseticida ou produto para desparasitação. Por isso, seu cão deve estar sempre limpo e os lugares que ele frequenta também devem estar nas mesmas condições.

A frequência da desparatização depende do produto que se utilize, a idade de seu cão e o seu estilo de vida. Os filhotes são geralmente desparasitados a cada duas ou três semanas, a partir de duas semanas de vida até a décima segunda semana.

Depois, mensalmente, até os seis meses de idade. Depois, a cada três meses é suficiente.

Os cães que vivem em lares com crianças pequenas, que estão fortemente infectados ou que habitam em zonas de alto risco, podem precisar de tratamento antiparasitário com mais frequência.

A alimentação também é importantíssima. Tente fazer com que o seu cão siga uma dieta saudável. Se optar por alimentos naturais, lave-os bem e mantenha seus comedouros e bebedouros limpos e com água fresca.

Em caso de dar a ele alimentos processados, lembre-se que estes devem ser de boa qualidade e recomendados por um veterinário.