Como detectar o envelhecimento cerebral canino?

Envelhecimento cerebral canino

À medida em que os anos vão se passando, os cães – assim como os humanos – começam a passar por alguns inconvenientes de saúde, próprios da idade avançada. Entre eles encontra-se o envelhecimento cerebral canino, que costuma se manifestar com mudanças progressivas no comportamento habitual do cão. Entretanto, com uma alimentação específica, esta deterioração pode ser controlada.

Envelhecimento cerebral canino: um problema difícil de ser detectado

A redução da função cerebral provoca alterações de comportamento em metade dos cães com mais de 8 anos.

Apesar disso, apenas 12% dos donos informam os veterinários sobre estas modificações, já que os donos costumam as considerar como questões normais, próprias da idade, e que, por esse motivo, não devem ou não podem ser tratadas.

Cachorro

Além disso, o envelhecimento cerebral canino não é simples de ser detectado em uma consulta de rotina com o profissional veterinário.

Mas, apesar dos sinais não serem muito perceptíveis em um primeiro momento, eles avançam de forma inexorável, prejudicando pouco a pouco a qualidade de vida do peludo, se o animal não for tratado a tempo.

Detectar de maneira precoce o envelhecimento cerebral canino e dar ao seu animal de estimação uma dieta especialmente desenvolvida para diminuir este problema, fará com que o seu peludo possa atravessar da melhor maneira possível esta última etapa de sua vida.

Aprenda a reconhecer os principais sinais do envelhecimento cerebral canino

Um dos principais sinais que podem estar indicando que o seu animal de estimação sofre um envelhecimento cerebral é a desorientação. Assim, preste muita atenção e consulte o veterinário se observar que o seu peludo:

  • Diminui a interação. Por exemplo: deixa de saudar de maneira efusiva, não procura atenção, não manifesta interesse pelas diferentes brincadeiras que você lhe propõe, não responde ao seu chamado;
  • Se mostra menos alerta;
  • Se move com dificuldade e caminha sem um rumo fixo;
  • Parece perdido em locais que são habituais para ele;
  • Não reconhece os membros de sua família nem os hábitos cotidianos;
  • Fica olhando a parede ou para o nada.

Outros sinais que poderiam indicar que seu animal de estimação sofre deste inconveniente

Os cães que sofrem envelhecimento cerebral também costumam apresentar algumas das seguintes alterações em seu comportamento:

  • Modificações no padrão de sono: Dormem mais de dia e menos de noite;
  • Em horários noturnos, andam pela casa e latem sem um sentido aparente;
  • Perdem o controle de seus esfíncteres. Fazem xixi ou cocô em qualquer lugar;
  • Não pedem para ir à rua para fazer suas necessidades.

Como tratar um cão que sofre envelhecimento cerebral

O envelhecimento cerebral canino pode ser reduzido proporcionando, aos muitos animais que sofrem desse mal, uma dieta específica. A indústria da alimentação de animais de estimação não se esqueceu de olhar para isso.

Trata-se de uma combinação de antioxidantes e de cofatores nutricionais que também incluem, entre outros elementos:

  • Vitaminas E e C;
  • Ácido lipóico;
  • Ômega 3;
  • Fosfatidilserina;
  • Acetil-l-carnitin.a

Depois de seis meses proporcionando essa combinação de antioxidantes aos animais de estimação com problemas de envelhecimento cerebral, comprovou-se, por exemplo, que 74% dos animais sofreram menos acidentes dentro da casa. Também que 61% recuperou o entusiasmo para saudar os membros humanos de sua família.

O diagnóstico precoce é fundamental nestas circunstâncias

Cachorro deitado na grama

Tenha em mente que um diagnóstico precoce e um tratamento adequado farão que os últimos anos de seu peludo transcorram com maior qualidade de vida.

Então, se o seu cão está se tornando idoso, dê muita atenção a suas mudanças de comportamento e recorra ao veterinário para determinar se a causa dessas mudanças têm a ver com o envelhecimento cerebral canino.

Não se esqueça que, em um primeiro momento, as modificações no comportamento dos animais de estimação podem ser sutis ou quase imperceptíveis para um dono distraído. Lembre-se que à medida em que o tempo passa, esses sinais se tornarão mais evidentes. Os diferentes sinais vão se desenvolvendo de maneira progressiva.

Por isso, como sempre, um diagnóstico precoce contribuirá para que o seu peludo possa passar da melhor forma possível pela última etapa de sua vida. Assim, cuide e ame muito o seu animal de estimação que, certamente, saberá retribuir isso com muito mais amor.