Dia do cão sem raça definida

Cão sem raça definida

Na Espanha, o dia do cão sem raça definida é celebrado todos os anos em 28 de maio. Estes animais têm o mesmo encanto que os cães considerados de raça pura. É importante que nos assessoremos antes de gastar elevadas somas de dinheiro em um cão. Há muitos que estão necessitando um lar e que não são queridos pelo simples fato de serem um cão sem raça definida. Este aspecto não deve ser o mais importante. O fundamental é a relação dele conosco, não sua aparência.

Neste dia, as passeatas com cães são feitas para conscientizar a muitas pessoas sobre a importância de valorizar o carinho e a entrega incondicional de todos os cães, independentemente de sua raça.

Termo ‘vira-latas’

Cachorros sem raça

Fonte: www.bbc.com

Ao utilizarmos o termo “vira-latas”, estamos nos referimos a palavras como animal vagabundo, doente, sarnento e de rua, tudo de forma depreciativa. Mas essa não é a realidade. O termo vira-latas significa um cão de raça não identificável ou puro ou, ainda, o chamado cão “misturado”, essa é diferença deles para um cão de raça ou de um cão com pedigree.

Vantagens e desvantagens do cão sem raça definida

Mas esses cães vira-latas têm suas vantagens, entre elas está a de serem menos afetados por enfermidades congênitas, embora eles também sejam suscetíveis a enfermidades sérias e necessitem da mesma quantidade de cuidado que um cão de raça.

Uma desvantagem evidente é que não podemos predizer a aparência, o comportamento e a personalidade do cão na idade adulta, como fazemos com alguns cães de raça.

Ao escolher um cão de raça teremos que levar em conta que não basta que sejam bonitos, mas teremos que analisar todas as necessidades e cuidados que necessita a raça e saber se poderemos ou não as oferecer.

Um exemplo disso é o cuidado dos pelos. Os cães de raça pura precisam de muita dedicação e cuidado; algumas raças pequenas além do cuidado regular dos pelos, requerem cuidados de beleza de um profissional.

No caso das raças puras, existem muitos defeitos hereditários, os quais algumas raças são mais suscetíveis. Devemos nos assegurar dos problemas que poderão haver antes de irmos de encontro a uma ninhada de filhotes. Olhá-los pode nos causar muita atração, mas teremos que ter responsabilidade.

Os cães misturados ou mestiços não têm desvantagens evidentes com relação aos de raça, mas sim muitas vantagens. São animais muito amáveis e carinhosos, além de fiéis, gratos e com uma enorme capacidade de doação de afeto e demonstrações de carinho.

Cada cão sem raça definida é único

Estes cães que não têm uma raça pura são muito inteligentes e facilmente adestráveis. Não sofrem degenerações por consanguinidade e, graças às “misturas” das raças que provêm, eles têm lindas peculiaridades que fazem de cada um deles um indivíduo exclusivo, singular, único. Além disso, esses cães têm uma grande resistência física e longa duração de vida (já houve casos de cães sem raça definida que chegaram a viver 20 anos).

Está provado que eles são mais tranquilos e equilibrados do que seus parentes de raça pura; é certo que os cruzamentos realizados por criadores pouco profissionais podem provocar alterações de comportamento em alguns exemplares de raça; entretanto a seleção natural dos mestiços evita quase que na totalidade certas alterações.

Os cães que estão vagabundeando por nossas ruas e os que “escapam” de serem sacrificados, vão desenvolver um instinto de sobrevivência e que irá ceder as gerações posteriores, algo que não ocorre com os de raça pura.

Um cão mestiço pode ter convivido com seus donos e com os antepassados de seus donos até que, por diferentes razões, acaba em abandono. Por isso pode se tratar de um animal que está desejando ter uma segunda oportunidade de conviver novamente com outra família. Quando conseguir, ele será grato ao extremo.

Como se forma uma raça?

Carinho em cachorro

Uma teoria interessante para se considerar é a que diz os cães de raça pura na verdade foram cães mestiços por um período prolongados de tempo. Por exemplo, uma raça tão admirada como é a São Bernardo, se analisarmos a genealogia dela, veremos que nela se misturam os sangues do Dogue alemão e do Cão de montanha dos Pirineus; o Dogue alemão provêm da mistura de Mastin com Galgo irlandês, enquanto que o cão de montanha dos Pirineus descende do Maremmano-Abruces e do Pastor húngaro Kuvasz, que a sua vez provém de outras raças.

Não devemos demonizar o cão sem raça definida ou mestiço por não serem puros.