Diabetes em cães: tratamento adequado

Quem nunca passou por isso talvez desconheça que uma das doenças que pode afetar nosso cão é o diabetes. Sim, esta doença tão humana também ataca os cães. No artigo de hoje falaremos sobre essa doença e também do tratamento mais indicado para o diabetes em cães.

O que é o diabetes nos cães

O organismo do cão fabrica um hormônio no pâncreas chamado insulina. Sua finalidade é que, em seu percurso pela corrente sanguínea, possa transformar os alimentos que foram ingeridos em nutrientes que dotem o corpo de energia.

Quando o diabetes se desenvolve nos cães, o animal não produz toda a insulina que este processo requer, ou a que ele gera não tem um funcionamento válido.

Quando os hidratos de carbono se converteram em glicose e, esta não pode ser metabolizada pelo organismo por não contar com a insulina necessária, ela se acumula, colocando em risco a saúde do animal.

Além disso, o animal não contará com energia suficiente para enfrentar o seu dia a dia. Por este motivo, nosso cão desejará ingerir mais comida, agravando o problema.

Porcentagem de diabetes em cães

Chow chow

Autor: Valerie

Ainda que não se saiba os números com precisão, estima-se que 1 em cada 500 cães sofram desta doença, uma proporção que aumenta quando o animal atinge os 4 anos de idade.

A idade não é o único fator de risco para a doença. O diabetes em cães ocorre com maior frequência quando o cão está acima do peso. Também existem certas raças que têm mais tendência a desenvolver diabetes, como o Samoieda, o Caniche, o Chow-Chow o Dobermann, dentre outras.

Sintomas do diabetes em cães

Quando o cão começa a acumular glicose no sangue, ele apresentará os primeiros sinais de que sofre de diabetes:

  • Um maior apetite ou o contrário;
  • Perda de peso ainda que coma mais que o de costume;
  • Excesso de sede;
  • Urina em demasia, já que aumentou a ingestão de líquidos;
  • Um estado de apatia generalizado, devido à falta de energia.

Tratamento do diabetes em cães

Como em qualquer outra doença, o tratamento do diabetes em cães deverá ser personalizado para cada caso. Por exemplo, um animal que foi diagnosticado com a doença e que continua comendo da maneira habitual e não apresenta vômitos, será tratado com injeções de insulina.

Isso será feito da maneira indicada pelo seu médico e sempre utilizando a insulina veterinária.

Em casos de maior gravidade, poderá ser necessário seu internamento em uma clínica veterinária para que seja realizado um tratamento intensivo contra a doença.

Geralmente, ele receberá duas injeções diárias e será monitorado para controlar suas funções vitais. Nestes casos, é possível que o veterinário decida qual é a melhor insulina para ser administrada, talvez seja a mesma empregada nos humanos.

A internação durará o tempo necessário para estabilizar a saúde do animal de estimação.

Em qualquer caso, o objetivo do tratamento do cão diabético é evitar que seus níveis de glicose se tornem muito baixos, enquanto no caso dos humanos, prima-se por estabilizá-los.

Altos níveis de glicose no sangue do animal têm uma menor incidência em sua saúde, já que sua vida é mais curta do que a dos humanos. De fato, quando estão ligeiramente altos, os sintomas da doença costumam desaparecer.

Ainda assim, se tentará que, na medida do possível, o dono do animal leve o registro da quantidade de comida e de bebida que o animal ingeriu, além de controlar os níveis de glicose no sangue.

Alimentação e exercício para tratar o diabetes em cães

Cão comendo

O veterinário determinará que dieta deveremos seguir na hora de alimentar o nosso animal de estimação. Sua dieta deverá ser variada e atraente.

Não podemos nos esquecer que, em certas ocasiões, o animal poderá apresentar como sintoma, a falta de apetite, um problema que teremos que lidar com constância e paciência.

Quando ocorrer o contrário, e o animal tiver mais fome do que o normal, teremos que tentar (e conseguir) fazer com que o animal não coma nada fora da dieta estabelecida.

O exercício é parte fundamental do tratamento do diabetes nos cães. Devemos tentar que o animal leve uma vida ativa, levando-o para passear diariamente. Não deixe que a letargia que o diabetes fora de controle pode causar, permita que ele leve uma vida sedentária.

Coloque sempre em prática todas as orientações que o seu veterinário lhe passou e você comprovará que o diabetes não impedirá que ele desfrute de uma vida normal. O diabetes em cães é completamente controlável.

 

Créditos da imagem: perlaroques e Valerie.